Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 23

Caminhemos, meus irmãos,
pois que o caminho é comprido 
e a distância é grande
e ainda vamos só no início de nossa jornada.

Caminhemos, meus irmãos,
pois que ao nosso lado caminha também
uma alma sedenta de amor
e de Deus afastada e desviada.

Caminhemos, meus irmãos, 
pois que mais à frente segue
Jesus em seu reino de amor
e vamos seguindo seus ensinos
tentando vencer nossa dor.

Caminhemos, meus irmãos, 
pois que assim como nós próprios
seguem conosco os nossos amados ou desconhecidos irmãos,
em caminho longo e repleto de erros,
aguardando o apoio de nossas mãos.

Caminhemos, meus irmãos, 
e cheguemos enfim ao final
do caminho e da jornada eterna
que para cada um é sem igual.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 22

Um dia o pequeno perguntou ao grande: 
Como faço para ser igual a você?
E o grande respondeu: Porque desejas ser igual a mim?

O pequeno disse: Para ser forte e afastar os que me perseguem.
Para ser grande e vencer os obstáculos.
Para ser corajoso e enfrentar os perigos.

O grande, depois de pensar um pouco, 
respondeu com sinceridade e ternura:
Meu pequeno amigo,
não precisas ser grande para fazer nada disso...
Basta que tenhas a retidão de caráter
e a amplitude de coração que demonstras
para que possas tomar teu lugar no mundo 
e realizar o que te cabe, 
sem que tenhas medo ou angustia pelo que te fazem ou que te dizem.

Apenas assim
poderás fazer a diferença entre o hoje e o amanhã,
entre o sonho e a realidade.
Mas lembra:
Se em todos os teus passos tomares frente a tua obra, 
serás grande como eu ...
Mas se colocares Deus à frente de tudo
serás então um gigante... 
E ninguém poderá te impedir.

Sejamos nós pequenos
e nos tornemos grandes através de nossa fé,
de nossas obras, de nossos caminhos.

Mas sejamos gigantes através da Misericórdia Divina
que deixemos viver e agir através de nós...

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 21

Não derramemos hoje, meus filhos, 
lágrimas de dor
onde devemos plantar sementes 
de bem e de amor.

Não cortemos hoje, meus filhos, 
os galhos que frutificarão mais tarde;
sem que deles tenham obtido o doce fruto
os irmãos que necessitam do amparo de nossas mãos.

Não arranquemos hoje, meus filhos, 
as raízes que trazemos em nosso coração,
aprofundadas em sementes de amor;
apenas porque a dor se fez presente
e desejamos cortar os laços 
com quem nos fere.

Mas dediquemos, ao contrário,
tudo que pudermos em paz e harmonia,
em esperança e amparo,
ao que traz em suas mãos
pedras para nos ferir.

Através destes simples atos de caridade e compreensão,
transformaremos as pedras que ferem
em pedras de construção,
da base de amor
que ergueremos entre nós.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 20

Em nossas mãos deposita o Senhor da vida
o futuro nosso e de nosso irmão.

Seja apenas no falar, 
ou também no agir, 
todos temos nossas responsabilidades
com o que corre distante, 
assim como com aquele que divide conosco
o prato de comida.

Não nos neguemos a estender a mão ao que necessita
e nem tiremos proveito do nosso auxílio,
desejando assim uma recompensa mais tarde
no céu que tanto aguardamos.

Nossa recompensa, meus irmãos, 
é dada, ou conquistada, aqui mesmo
enquanto encarnados;
através da consciência tranquila
do serviço bem feito,
em nome de Jesus,
e em benefício de nosso irmão.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 19

Fechemos, meus filhos, os olhos em oração e prece ao alto, 
nos momentos de dor e desespero.

Quando a chaga abrir-se e doer
exalando o fétido odor da morte e do sofrimento,
abramos nossos corações em prece
pedindo a Deus por misericórdia.

Não esqueçamos o que temos 
de necessidade do sofrimento em nossas vidas.

Entretanto, não façamos de nossa caminhada 
um plantio apenas de tristezas e de sonhos sem rumo.

Temos todo o direito de pedir ao Pai
por auxílio e por socorro,
por amparo e por apoio.

E Ele, em sua misericórdia, 
não nos desamparará, certamente;
entretanto, será necessário que recebamos
à medida do que plantamos.

Como tem sido a nossa sementeira?

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 18

Na madrugada sombria do homem, 
brilha no horizonte uma luz,
que vem raiando sempre
seu nome : Jesus.

Na madrugada sombria do homem,
podemos ver e deixar passar,
aquilo que nos abraça,
aquilo que chamamos de lar.

Na madrugada sombria do homem,
a sombra espalha-se em dor,
observemos e aprendamos
com a luz que espalha o amor.

Deixemos de lado a angustia,
a inimizade e o ódio;
tragamos a paz e o bem,
o amparo e a caridade.

Caso não tenhamos acesso ao que desejamos,
oremos ao pai por bondade.

Tenhamos então meus irmãos
a vontade de agir agora;
pois que o tempo passa rápido e 
a hora é neste momento:
agora.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 17

Um dia a luz raiou no mundo e tomou forma radiante.
Ofuscou os que dela discordaram 
e que tinham o coração endurecido e apagado.

Um dia a luz veio à Terra
e nada ficou sem vê-la.
Pois que brilhou tanto,
que no horizonte
pôde se observar uma estrela.

Entretanto os que eram seus não o receberam
e deixaram sua hora passar.
Não observaram seus olhos,
Não provaram do seu amor
e sequer aceitaram suas palavras.

A luz que nos deixou em pessoa
hoje retorna em ensinamentos.
Trazida por missionários e trabalhadores
que se dedicam em exemplo e em paz.

Não deixemos que ela passe mais uma vez
sem que nós observemos o que podemos.
Pois que a hora se faz presente
e não sabemos quando a ela retornaremos.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 16

Não tenhamos ainda
a vontade de sermos melhores do que somos,
pois por mais que nos esforcemos
não vencemos o que carregamos no peito.

Não tenhamos ainda 
a ilusão de poder mais do que temos
pois que melhor que seja nossa vontade
ainda carregamos a dor em nosso leito.

Não tenhamos ainda
a dor como redentora sagrada,
pois por mais que digamos e bendigamos
ainda é longa a nossa estrada.

Mas tenhamos por agora
o Cristo como guia e modelo,
o Cristo como imagem e semelhança,
como não podia deixar de sê-lo.

O Cristo que nos aguarda
em seu meio de paz e amor,
é aquele que na estrada
nos livra do ódio e da dor.

Igual a ele podemos ser
se nos esforçarmos bastante;
se nos guiarmos por suas palavras
não estaremos dele tão distantes.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 15

Calma, meus filhos, 
ante a angustia que consome o coração
ou a dor que espeta o peito;
tenhamos calma e esperança
pois que na Terra tudo passa.

Paz, meus filhos, 
ante as dores e dificuldades da vida,
ante as injustiças dos homens
ou ante a angústia 
que nos leva ao princípio do ódio.
Paz é a resposta às nossas necessidades.

Esperança, meus filhos, 
esperança em um mundo melhor;
esperança em um homem melhor;
esperança em um futuro melhor.

Que se incia hoje, amanhã, 
ou sempre que nós, 
que tanto desejamos o melhor, 
nos dispomos a dar o melhor de nós
ao nosso próximo,
ao nosso irmão.

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 14

Não chore pelo que fez, meu irmão.
Pois que foi o melhor que poderia ser feito.
Erro, maldade, discriminação?
São momentos em nossa vida eterna de espíritos em crescimento...

Observemos nosso passado não como um plantio de culpas
mas como um jardim de oportunidades.
Aprendamos com o que não gostamos
e repitamos o que nos agrada.

Apenas assim poderemos vencer o que nós mesmos plantamos
e criar para nós a paz tão desejada...

Um Espírito Amigo - Livro 3 - Mensagem 13

Paz e bem, amor e bondade
são ainda o que desejamos viver
e interiorizar em plena caridade.

Entretanto, meus filhos, 
o que estamos preparando para nosso futuro
de forma que ele nos abrace da maneira como desejamos?

Plantamos rosas e flores nos caminhos,
não dos nossos,
mas daqueles por quem passamos?

Doamos abrigo e agasalho
ao que sofre de frio e solidão?
Dividimos com quem tem fome
o nosso pedaço de pão?

Observemos, meus filhos, 
o que realizamos agora,
pois que são as sementes plantadas
e os frutos virão em outra hora.

Não deixemos de aproveitar
os momentos e as oportunidades que temos.
Pois que o Cristo nos aguarda
para prestar conta daquilo que nós fizemos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...