Grandes Milagres do Dia-a-Dia...


A espiritualidade nos esclarece que os bebês que são formados com algum defeito físico, notadamente os que se geram sem cérebro - anencéfalos - vêm com objetivos definitos e claros.

Quer seja como prova para os pais, talvez para que aprendam a dar valor a algo que não valorizaram em outra vida ou para ensinar a resignação e o carinho que devemos ter com pessoas com necessidades especiais...

Quer seja como necessidade de refazimento para o espírito reencarnante, que precisa deixar "na carne" alguma lesão em seu perispírito ou que necessita daqueles poucos momentos de vida física para completar um estágio em sua programação espiritual...

Muitos são os possíveis motivos, de um lado ou de outro, e certamente através deste fato as partes envolvidas serão auxiliadas a níveis que, muitas vezes, ainda escapam a nossa compreensao.

A medicina nos mostra que essas crianças que nascem anencéfalas normalmente não vivem mais que algumas horas ou um ou dois dias. Recentemente, no Brasil, um caso especial vem mostrando a todos que este tipo de regras não podem ser aplicadas sem excessões à criação Divina.

Marcela é uma bebê que nasceu anencéfala e vem desafiando a ciência há sete meses. Vivendo e desenvolvendo o seu corpo físico normalmente, mesmo que não tenha cérebro, como mostram as duas reportagens abaixo:

"Bebê anencéfala completa 7 meses na quarta-feira
Da Agência Estado - 18/06/2007

09h46-Quando a agricultora Cacilda Galante, 36 anos, descobriu, no quarto mês de gravidez, que carregava no ventre um feto sem cérebro (anencefalia), os médicos disseram a ela que, se o bebê nascesse com vida, resistiria apenas por algumas horas. Com muita sorte, viveria poucos dias. Contrariando os prognósticos, Marcela vai completar 7 meses na quarta-feira. Para a mãe, um milagre. Para os médicos, um mistério.

Depois de passarem cinco meses no hospital, ela e a mãe vivem sozinhas numa casa de dois cômodos, com poucos móveis, no centrinho de Patrocínio Paulista, a 420 km de São Paulo. Antes da terceira gravidez, a vida de Cacilda era cultivar café, frutas e fazer queijos no sítio da família. Agora, é cuidar da filha, a quem chama de 'meu anjinho'. A dedicação da mãe está expressa abaixo dos cotovelos: ela ganhou dois calos de tanto ficar apoiada no berço, adorando a menina. "Agradeço a Deus cada minuto de vida da Marcela. E coloco tudo nas mãos dele.

A menina nasceu com 2,5 kg e 47 cm na Santa Casa de Patrocínio Paulista. Marcela não tem a chamada calota craniana, nem o córtex cerebral. Acima da testa, há uma deformação - líquido envolto por uma pele rosada. O tronco encefálico, na altura do pescoço, mantém a respiração e os batimentos cardíacos. Os olhos claros de Marcela não enxergam. Ela também não escuta. Com esse quadro, segundo a pediatra Márcia Barcellos, que acompanha o caso, Marcela deveria estar em estado vegetativo, sem reflexos. Mas quem a conhece vê o contrário.

Ela sente fome e chora quando a comida não chega na hora certa. Faz reina quando está com cólica, e se mexe irritadamente quando não está numa posição que lhe agrade. Prefere os dias frios aos de muito calor porque transpira e fica inquieta. Marcela se alimenta com a ajuda de uma sonda, que vai até seu estômago. Ela não precisa de aparelhos para respirar, mas usa uma espécie de capacete, que concentra o oxigênio, para evitar que fique cansada."


"Marcela: a anencéfala que desafia os abortistas
(nascida em 20/11/2006, ela permanece viva e recebendo cuidados da mãe)
A Diocese de Franca (SP) e, mais especificamente, a cidade de Patrocínio Paulista, foram agraciadas com um presente do Céu: Marcela de Jesus Ferreira, uma menina anencéfala, filha de Cacilda Galante Ferreira (36 anos) e Dionísio Justino Ferreira (46 anos). Aos quatro meses de gestação, Sra. Cacilda soube que seu bebê era anencéfalo e recebeu a sugestão de "interromper a gravidez" ou "antecipar o parto". Católica e temente a Deus, Sra. Cacilda rejeitou totalmente a idéia do aborto. Marcela nasceu na Santa Casa da Patrocínio Paulista no dia 20 de novembro de 2006. O Diácono Fábio Costa batizou-a logo após o nascimento. Mas a criança, contrariando os prognósticos, permanece viva até o dia de hoje, com 28 dias de nascida. "A Marcela é um anjinho, muito amada. Ela é muito bonitinha", diz Sra. Cacilda. Para as mães, ela tem a seguinte mensagem: "Acreditem em Deus. Deus é o mais importante na vida da gente. Só ele dá a vida. Só ele tem o direito de tirar". E acrescenta: "Que as mães que têm crianças saudáveis nunca se esqueçam de agradecer a Deus".


"Sofrer a gente sofre, mas ela não pertence a mim, mas a Deus, e eu cuido dela aqui [...]. Enquanto isso, cada segundo da vida dela é precioso pra mim" (Cacilda Galante Ferreira, mãe de Marcela)
Anápolis, 18 de dezembro de 2006.
Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz
Presidente do Pró-Vida de Anápolis"

Busquei na internet e verifiquei que se pode definir anencefalia como:
"anencefalia é uma malformação incompatível com a vida. O diagnóstico é preciso e não existe tratamento disponível. Esta é a forma mais grave dos chamados defeitos de fechamento do tubo neural (DTN) que incluem também as mielomeningoceles e as encefaloceles. Sua origem é multifatorial ,portanto, coexistem fatores genéticos e ambientais, em proporções variadas. Segundo estatísticas do ECLAMC (Estudo colaborativo latino-americano de malformações congênitas) a incidência de casos de anencefalia é em torno de 1 para cada 1000 nascidos vivos. Esse estudo foi conduzido pelo Prof. Eduardo Castilla, da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), no Rio de Janeiro."

Mas a pequena Marcela vem mostrando que esta doença não é tão "incompatível com a vida" quanto se imagina... e dá claras evidências que o cérebro é meramente a máquina que recebe os comandos de um órgão ainda superior: a mente.

A inexistencia do cérebro de Marcela e a continuidade de seus processos orgânicos é mais uma evidência que o corpo é coordenado por um espírito pensante, e que neste espírito, ligado perispiritualmente ao corpo físico, habita uma mente que gerencia as atividades do pequeno corpo sem cérebro.

Oportunidade de estudo? Merecimento da pequenina? Exemplo para o mundo? Esperança para os pais? Quem poderá saber o designio de Deus para que um pequeno ser que deveria estár morto esteja crescendo e vivendo? Apenas nos resta orar para que ela e sua família possam receber todo auxílio espiritual que merecem e necessitam.

Muita Paz.



Um comentário:

Anônimo disse...

Minha filha tambem nasceu com encefalocele occipital,mas so o poder de deus a salvou,milagre existe si e so acreditar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...