Palavras de Joanna de Ângelis...


TENTA O AMOR

Ninguém sintetizou com igual sabedoria a regra
áurea da felicidade como Ele o fez.

Todos quantos lideraram as massas agarraram-se ao
poder a à dominação arbitrária.

Desfilaram guindados ao êxito transitório, carregados
pela falácia e ricos de presunção.

Ergueram-se como construtores de impérios e
governaram, discriminatoriament e, mais temidos que
amados.

Filósofos que O anteciparam, trazendo ardentes na lama
as flamas do bem e do ideal, inscreveram em estelas de
pedra, em pergaminhos e peles de animais, tijolos de
barro cozido e papiros, as instruções para a libertação
das consciências e dos corações.

No entanto, os seus mais excelentes excertos não
lograram penetrar fundo no imo das criaturas.

Ele, não!

Viveu ensinando pelo exemplo, pacífico e pacificador,
amando sempre.

Estatuiu o amor como sendo o zênite e o nadir da Vida e,
ao fazê-lo, mudou as estruturas da ética, da cultura e
da civilização.

Jesus dividiu a história e fez, marco limítrofe de
todos os tempos, o amor, que é a origem, o meio e o fim
de todas as realidades, de todas as vidas.

O homem, na sua faina de crescer e de conquistar, vem
dilatando os espaços e preenchendo- os com guerras e
desolações, lutas e ambições.

Fascinado pelo poder, venceu as distâncias, acumulou
ouropéis e caminha, por isso mesmo, vitimado pelo
tormento da egoesclerose que o enlouquece.

Só o amor é-lhe a terapêutica ideal, que até agora tem
recusado com espírito de sistema e de presunção.

Combalido e triste nas lutas do teu cotidiano entre
dissabores e amarguras, tenta o amor.

Sobrecarregado de dores e anátemas, a sós na multidão,
e vergastado pela sandice, sem uma saída aparentemente
feliz, tenta o amor.

A um passo do desespero, sentindo-te estiolado e
perdido, pára e tenta o amor.

Em qualquer circunstância e ocorrência por mais sombrias
se te apresentem, tenta o amor, espargindo-o como pólen
de luz e o amor te responderá em paz e beleza tudo quanto
ensementares nos outros corações.

Haja, portanto, o que houver, não revides mal por mal,
desejando e fazendo ao teu próximo todo o bem que
desejares que ele te faça.

Descobrirás que o amor ao próximo, efeito imediato e
mais urgente do amor a Deus e a si próprio, é a regra de
ouro, a solução para todos os quesitos do pensamento
universal.

Faze, portanto, como Jesus, e jamais te cansarás de
tentar o amor até que ele domine soberano em teu coração.


Do Espírito Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco
Do livro Viver e Amar, Editora LEAL

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...