Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebemos hoje através do nosso formulário "Entre em contato" a pergunta mostrada logo abaixo:

"o que os espiritas acham da doação de orgãos"?


Prezada ____________, bom dia!

Esta questão é de muita atualidade e de bastante repercursão não somente no meio espírita como também em grande parte da sociedade brasileira.

Do meu ponto de vista nós brasileiros temos, a princípio, um grande entrave socio/cultural em aceitar a doação de órgãos; que remonta do medo de qualquer pessoa que esteja na cama de um hospital possa ser sacirifcada, por pessoas inescrupulosas em busca de dinheiro fácil, e ter seus órgãos retirados para atender a alguns que tenham recursos e ofereçam pagar por este tipo de mercado negro.

O governo e os órgãos competentes estão trabalhando em prol da eliminação deste tipo de procedimento, que infelizmente existe ainda, e buscando também uma moralização e conscientização da sociedade como um todo. Mas este não é o ponto da nossa conversa.

O meio espírita apresenta diversas opiniões a este respeito. Até porque este assunto não é tratado por Kardec na Codificação Espírita, então desta forma não existe uma OPINIÃO ESPÍRITA(referente a assuntos expostos nas obras básicas como: aborto, eutanásia, etc), mas sim uma OPINIÃO DE ESPÍRITA(pessoas que estudaram as obras básicas ou trabalharam com espíritos nas obras complementares).

Acho muito prudentes e coerentes com a posição de Kardec as afirmações de espíritos como Emmanuel, André Luiz, Joanna de Ângelis, Bezerra e outros. Por isso mesmo trago abaixo a transcrição de dois trechos onde podemos conhecer a opinião de dois destes espíritos sobre o assunto:

Pergunta: O que a Doutrina Espírita pode falar a respeito de doação de órgãos, sabendo-se que o desligamento total do espírito pode às vezes ocorrer em até 24 horas e que, para a medicina, o tempo é muito importante para a eficácia dos transplantes? O Espiritismo é contra ou a favor dos transplantes?
Emmanuel - O benefício daqueles que necessitam consiste numa das maiores recompensas para o espírito. Desse modo, a Doutrina Espírita vê com bons olhos a doação de órgãos.
Mesmo que a separação entre o espírito e o corpo não se tenha completado, a Espiritualidade dispõe de recursos para impedir impressões penosas e sofrimentos aos doadores. A doação de órgãos não é contrária às Leis da Natureza, porque beneficia, além disso, é uma oportunidade para que se desenvolvam os conhecimentos científicos, colocando-os a serviço de vários necessitados. -
“Plantão De Respostas “ – Francisco Cândido Xavier


"(...) Verdadeira bênção, o transplante de órgãos concede oportunidade de prosseguimento da existência física, na condição de moratória, através da qual o Espírito continua o périplo orgânico. Afinal, a vida no corpo é meio para a plenitude — que é a vida em si mesma, estuante e real" -
Joanna de ângelis - Dias Gloriosos - Divaldo Pereira Franco


Podemos assim partir do princípio que gandes vultos do espiritismo não tem opinião contrária ao transplante de órgãos, sendo inclusive abertamente a favor; temos ainda a assertiva de dizer que, uma vez que tudo somente acontece com a permissão de Deus e foi ele que deu ao homem a capacidade intelectual e tecnológica de realizar tais feitos na medicina, o transplante de órgãos nada mais é do que uma consequência do avanço natural da humanidade; assim com podemos também colocar neste parâmetro a eletricidade, os meios de comunicação, a criação de vacinas etc.

Um dos grandes argumento que os opositores do transplante utilizam é o fato que muitas vezes os espíritos que desencarnam não aceitam este desencarne e que ficam próximos ao corpo tentando retornar a ele; assim com a retirada dos órgãos, e o transplante dos mesmos, estes espíritos entrariam em profundo sofrimento no mundo espiritual ou se revoltariam e iniciariam uma obsessão sobre o receptor.

No meu ponto de vista este fato apresenta um sofisma. Uma distorção de uma verdade.

Lembremos que após o rompimento dos laços que ligam o espírito ao corpo o mesmo não pode retornar a este de nenhuma maneira, e que, após algumas horas, todo aquele organismo estará entrando em decomposição(que é uma lei natural da matéria) o que leva a família a tomar medidas como enterro ou cremação. Neste caso, mesmo sem a retirada dos órgãos, o espírito estará sofrendo igualmente pois poderá acompanhar todo o processo, inclusive a decomposição do corpo (se for o caso).

Este sofrimento no mundo espiritual apenas se apresentaria para pessoas ainda muito ligadas ao mundo material, ao corpo, às posses físicas etc. O que indica que, de qualquer forma, este espírito passaria um período maior ou menor de sofrimento enquanto não de desfizesse destes laços(que são puramente psicológicos) e recebesse auxílio dos socorristas. Sabemos, pela vasta literatura espírita, que muitos espíritos são adormecidos ou socorridos imediatamente após o desencarne e não tomam nenhum conhecimento do que ocorreu com seu corpo; mais uma vez a lei natural da CAUSA e EFEITO vale acima de tudo, nos mostrando que apenas passará por sofrimento aquele que estiver em sintonia com os valores mais baixos e materiais, e neste caso o transplante não vai influir em nada para piorar a situação.

No tocante a Obsessão em torno do receptor é, para mim, mais um caso onde a lei de CAUSA e EFEITO imperará suprema. Pois, a própria Doutrina nos esclarece isso, sabemos que somente haverá obsessão espiritual se o obsessor e obsidiado estiverem em sintonia espiritual. Ou seja, por mais que o espírito tente prejudicar alguém encarnado, apenas conseguirá se encontrar na pessoa algum sentimento de recíproca verdadeiro, sintonizando com aquele sentimento negativo e se utilizando de sua interferencia para prejudicar o receptor. Caso não exista sintonia, não haverá influência negativa.

Muitas vezes atribui-se a rejeição à interferencia do espírito do doador, o que pode ser realmente verdadeiro; mas esquece-se de dizer também que pode ser efeito de uma progamação cármica na vida do receptor, onde não está em sua programação a "cura" de determinado mal; pelo menos por aquela vez.



Outro fator de importante relevancia é o fato dos receptores e suas famílias, na maioria das vezes, sentem uma gratidão profunda pelo desencarnado e oram por ele; o que vai melhorar sua situação no mundo espiritual. Sem contar que, mesmo inconscientemente ele está realizando um ato de caridade, permitindo que alguém sobreviva com o seu sacrifício.

Espero ter auxiliado na sua dúvida. No mais, estamos aqui para qualquer coisa.

Muita Paz.

João Batista Sobrinho

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...