Desastres e Catástrofes - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebemos através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amig que nos escreve:
"...Caro João Batista, muita paz.
Gostaria de traçar alguns comentários a respeito deste teu escrito (Muitos destes espíritos que estão desencarnando hoje haviam passado vários anos em locais de maldade e sofrimento nas zonas espirituais inferiores e estão por graça divina recebendo uma última oportunidade de se "regenerarem" aqui na terra, para que "se quiserem" não necessitem ser retirados da psicosfera da Terra, e por seu próprio esforço e merecimento permaneçam entre os que ficarem.)
Li que uma filha de uma mulher vítima do avião da TAM, havia processada uma Escritora espírita, por ter dido em seu livro que as vítimas do avião, aquele que saiu da pista e chocou-se com um prédio, que elas pagaram por um mal praticado na Roma Antiga. Pelo que li abaixo pude perceber que os desercarnes coletivos são um especie de renovação de uma região para fins evolutivo, o resto são só expeculações.
No caso do Haiti, aquela "tragédia", vista aos nossos olhos, são apenas uma renovação, vão chegar espíritos mais comprometidos e, é isso que eu pude perceber.
João, quando falamos em última oportunidade de ficar na Terra, isso dar a ideia que só existe a Terra com mundo de provas e expiações. Essas migrações e emigrações não são processo natural e de programa reencarnatório, não? Se o corpo não vale tanto como pensamos, morre não é um castigo, pelo menos, não para os que partem e sim para os que ficam. Pude, também, perceber que as tragédias, mostram aos homens as suas inferioridades diante de Deus. Afastando D'eles a propotência e o orgulho e etc em uma nova existência.
Amigo, desculpe essa seu amigo questionador e se puder, comente.
Um forte abraço...."


Ao qual respondemos abaixo:

"Olá ________________.

É sempre uma alegria trocar idéias com você. E é sempre bom questionarmos e buscarmos a razão por tras de tudo; afinal, é isso que nos ensina a nossa Doutrina, náo é? Não aceitar os mistérios e os dogmas, mas buscar as causas que geraram os efeitos que vemos hoje.

Vou separar em algumas partes a sua questão para ficar melhor detalhada, ok?

1) Li que uma filha de uma mulher vítima do avião da TAM, havia processada uma Escritora espírita, por ter dido em seu livro que as vítimas do avião, aquele que saiu da pista e chocou-se com um prédio, que elas pagaram por um mal praticado na Roma Antiga. Pelo que li abaixo pude perceber que os desercarnes coletivos são um especie de renovação de uma região para fins evolutivo, o resto são só expeculações.
- Todo desencarne é uma renovação. Quer seja renovação para os compromissos e programações dos espíritos endividados que desencarnam e se libertam de uma parte de seu passado ou da região espiritual/física através de modificações na psicosfera ou nas confições físicas. Porém é necessário lembrar que "deus nada faz de inútil" e que a espiritualidade aproveita as oportunidades para realizar as influencias necessárias ao bom cumprimento das necessidades de todos nós. Kardec nos esclarece bem nas questões 525 a 529 e 536 (a e b) do LE.

Desta forma quando exsite a necessidade (por programação, expiação ou libertação) de um desencarne de várias pessoas a espiritualidade toma a liberdade de influenciar/orientar os que necessitam para determinado local onde ocorrerá um fato que possibilitará o desencarne. Assim teremos em um local diversas pessoas que executaram erros no passado juntos ou diversas pessoas que cometeram o mesmo tipo de erro no passado e necessitam expiar daquela forma (mesmo que não tenham sido cumplices) ou ainda diversas pessoas que necessitam por motivos de programação espiritual desencarnar daquela forma (muitas vezes até por solicitação do próprio espírito) ou, muitas vezes, todos estes motivos e ainda mais que desconhecemos juntos em um evento cataclísmico.

No livro "cartas e crônicas", no capítulo 6, o espírito Humberto de Campos nos dá uma aula sobre isso. Vale a pena ler.

2)No caso do Haiti, aquela "tragédia", vista aos nossos olhos, são apenas uma renovação, vão chegar espíritos mais comprometidos e, é isso que eu pude perceber.
- A tragédia no Haiti nos leva a considerar alguns motivos, embasados no conhecimento espírita da questão, entre eles:
* A necessidade do desencarne de espíritos que já haviam cumprido sua programação para esta encarnação
* A necessidade do desencarne de espíritos que serão afastados da terra para outro orbe
* A necessidade de reconstrução moral e física para os que ficam e permanecem como uma sociedade
* A necessidade de gerar vibrações positivas para aqueles que partem e para os que ficam, quer seja em orações ou em auxílio físico
* A oportunidade de nós(o resto do mundo), que não estamos envolvidos diretamente, encontrarmos algum meio de auxiliar - exemplificando assim a caridade moral e a caridade material
* A próvável expiação de uma raça, referente a erros do passado sendo ressarcidos hoje.
* A oportunidade da população se renovar, dando espaço para novos e melhores espíritos encarnarem e se destacarem como líderes e seguidores mais sintonizados com a nova psicosfera terrestre; entre outros.

3)quando falamos em última oportunidade de ficar na Terra, isso dar a ideia que só existe a Terra com mundo de provas e expiações. Essas migrações e emigrações não são processo natural e de programa reencarnatório, não?- Certamente estas revoluções fazem parte de um programa universal e a terra é apenas mais um mundo onde acontece neste momento a oportunidade de expiações e provas pelo universo. É necessário entender que estes espíritos que são exilados da terra não irão para outros mundos como castigo; eles irão - certamente - para mundos compatíveis com a Terra, em estado de expiações e provas, para que possam alí continuarem o seu caminho evolutivo. Quando me refiro a "última oportunidade" não quero colocar isto como castigo, mas como uma chance de continuar na terra e aproveitar o estado e as oportunidades que um mundo de regeneração oferece para os que permanecerem nele. Vale a pena ler o ESE, Capítulo 3, pontos 3 a 19, para compeendermos melhor.

4) Se o corpo não vale tanto como pensamos, morrer não é um castigo, pelo menos, não para os que partem e sim para os que ficam.
Allan Kardec por diversas vezes na Codificação nos esclarece que a situação do espírito encarnado é a do pássaro preso na gaiola ou a do prisioneiro em cela opressiva. Sempre que ocorre o desencarne é a libertação do espírito para que possa seguir em frente com suas necessidades evolutivas. mesmo que o espírito passe algum tempo em zonas espirituais de sofrimento já é um avanço, pois sabemos que tão logo seja possível será resgatado e orientado, retornando ao mundo original - o do espírito.

Nós, humanos encarnados, é que, devido ao nosso apego às sensações e prazeres do corpo e ao instinto de sobrevivência (LE 730) que nos orienta a ficarmos encarnados, procuramos evitar a morte do corpo físico a todo custo. Ainda não compreendemos que o corpo é apenas uma ferramenta para que possamos através da experiência física evoluir espiritualmente.

Assim, os que partem já cumpriram parte de sua tarefa, os que ficam ainda necessitam continuar; mas ambos os lados da vida nos dão oportunidades de crescermos e aprendermos sempre. Devemos agradecer a Deus por todas estas oportunidades e suas importancias, onde quer que estejamos.

5)Pude, também, perceber que as tragédias, mostram aos homens as suas inferioridades diante de Deus. Afastando D'eles a propotência e o orgulho e etc em uma nova existência.
- Um dos ensinamentos que podemos adquirir com estas experiências é a submissão aos desígnios divinos, ou seja, à vontade de Deus. Porém precisamos sempre ter em mente que Deus não deseja nos humilhar nem fazer sofrer para que enxerguemos a sua divindade (LE 738); nós, por outro lado, ainda em desenvolvimento de nossa consciencia espiritual, é que não enxergamos a beleza e divindade nos pequenos atos da vida e nos detalhes do universo.

Deus nos dá a consciencia para que possamos através dela entender seu relacionamento conosco e o amor que tem por seus filhos. Já reparou o quanto ele nos dá e não nos cobra nada em troca?

Nós, enganados pelo orgulho e vaidade, substituímos o sentimento de respeito e admiração que devemos ter por Ele por ilusões sociais, políticas e científicas - e terminamos nos sentindo mais importantes que Deus e sem tempo para pensar nestas besteiras. Não admira Jesus ter afirmado que "graças dava ao pai por haver oculto os mistérios da vida aos doutos e prudentes e os haver revelado aos humildes e pobres" - Os humildes e pobres tem a necessidade da esperança que Deus pode fazer nascer em nossos corações - eles tem a consciencia que nada são comparados ao Pai que nos criou - já passaram por eventos, em suas existencias, que deram esta experiencia a eles.

Assim, Deus, em sua misericordia, no dá a cada existencia nova oportunidade de nos reconhecermos simples e ignorantes e necessitados de seu amor para sermos realmente felizes e completos. Esperemos que não precisemos colher tantos frutos de sofrimento, plantados por nós mesmos, para entender tal verdade.

Para uma maior apreciação sobre o tema você pode escutar a palestra que dei recentemenre, ela está neste endereço aqui: http://www.bomespirito.com/2010/01/desastres-e-catastrofes-alestras-em-mp3.html

Espero ter sido de algum auxílio.

paz contigo."

Um comentário:

ANGELA M. S. BUENO - FPÓLIS/SC disse...

COM RELAÇÃO AO TEMA FLAGELOS DESTRUIDORES, ACHO INTERESSANTE MENCIONAR O QUE VAI NA REVISTA ESPÍRITA DE 1866 (FEB: PÁGS. 401-402; 409-412), E TAMBÉM O QUE VAI NA REVISTA DE 1868 (PÁGS. 446-449), E SE JULGAR IMPORTANTE, PUBLICAR O QUE ALI FOI ESCRITO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...