Agradecimentos...


Queridos amigos, bom dia!!!

Sempre que possível acompanho os relatórios de fluxo de visitantes e dos dados acessados no blog, na rádio e na biblioteca; e, ao verificar hoje pela manhã, tive a agradável surpresa de perceber que os nossos acessos estão aumentando sempre e mais.

Quero agradecer a todos pelo carinho pelo nosso pequeno trabalho, e também pedir que continuemos com a divulgação da Doutrina Espírita, enviando a todos os nossos amigos os endereços de sites onde eles possam encontrar material Espírita de qualidade.

Coloco abaixo os gráficos que fiz com os dados para que vocês também possam se alegrar comigo.

Vamos todos espalhar o espiritismo cada vez mais e dar aos nossos queridos a oportunidade de aprender e evoluir sempre.

Paz com todos.





Mensagens em imagens...



Compromisso

Industrialização de Eventos Espíritas "Grandiosos" - Observações...


Queridos amigos, bom dia!

Recebi também outro email de um amigo que solicitou a opinião sobre este outro artigo na internet, que trata sobre a industrialização dos eventos espíritas (pode ser encontrado aqui: http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2010/03/industrializacao-de-eventos-espiritas.html )

Nosso amigo solicitou que eu fizesse comentasse sobre o texto em questão e, colocou em seu email a seguinte observação:

"...Caro João Batista, muita paz.
Gostaria que você comentasse essa iniciativa, saliento, que concordo plenamente e, que lamento o que estão fazendo com a nossa Doutrina.
Concordo plenamente com o exposto. Esta orientação deve ser seguida sob pena de discriminar os nossos irmãos que não podem e não devem sacrificar seus compromissos para pagar a entrada de um mega evento espírita.
No meu caso, com o valor do ingresso que corresponde a R$ 20,00 ou 30,00, eu prefiro fazer uma doação de uma cesta básica para uma pessoa necessitada ou até mesmo comprar um par de tênis para uma criança filha de pais desempregados, para ir para a escola.
Definitivamente, eu não vou a um mega evento espírita.
Eu quero deixar claro que não sou contra quem realiza ou quem participa desses eventos, cujos objetos é a divulgação da doutrina espírita e levantar recursos para ajudar as instituições que os promovem..."


Segue abaixo o comentário efetuado para apreciação de todos:

"Amigo ____________, bom dia.

Peço desculpas pela demora em reponder seu email, mas tenho andado ocupado com alguns afazeres e isso tem diminuido o meu tempo útil para o blog.

Este tema que você coloca, como também muitos de nossos confrades pelo Brasil afora, é atual, pertinente e, sem dúvida, passível de uma observação mais profunda.

De minha opinião particular acredito que, embora concordando com a afirmação que os ensinamentos do espiritismo devem ser aplicados gratuitamente e o mais amplamente possível, não sei se o mesmo proceda para os eventos (mega ou não).

Explico minha colocação: Nós, os espíritas, sempre desejamos aprender mais e contar com pessoas mais capacitadas para nos trazerem informações que achamos relevantes, mesmo que estas pessoas - que normalmente são "famosas" - estejam bastante ocupadas atendendo a compromissos marcados em centros diversos no país e no mundo. Normalmente queremos ver estas pessoas porque, em nossa maioria, não achamos que as colocações de "joão" ou "valter" são boas o bastante para atender nossas expectativas e "precisamos" escutar as colocações e orientações destes trabalhadores "famosos".

Para trazer estes famosos para o centro, ou para a cidade, normalmente é necessário marcar com meses de antecedência e se predispor a sua agenda (sempre lotada); quando ele tem disponibilidade para vir não vem só, o que demanda que tenha quase sempre um acompanhante.

Todo este processo de viagem, estada, alimentação e etc, etc,etc.. gera um custo que tem que ser coberto. Quase sempre as casas espíritas não tem em casa recursos financeiros suficientes e aí o que acontece? As pessoas que desejam o show do "famoso" terão que pagar o ingresso na bilheteria, e, normalmente, as filas são imensas.

Em outras palavras: o que está ocorrendo é a compra e venda de um espetáculo. E neste caso eu acho mais que justo que os fãs paguem para ver seu "ídolo"; uma vez que, conscientemente ou não, eles estão contribuindo para isso. Dá pra entender onde quero chegar?

Se outras pessoas não conseguem adquirir o "bem" desejado normalmente ficam chateados e reclamam pelo processo.

Sei que posso parecer injusto com muitas pessoas, mas acho que tudo é basicamente isso - compra e venda.

No meu caso, por exemplo, não sofro deste modismo quanto aos "famosos" e pra não dizer que nunca fui a um destes espetáculos fui a um. Para mim não preciso estar presente assistindo quem fala, quando o importante é o que é falado - para isso temos um veículo espetacular: a internet.

Percebo também que o que se fala nestes eventos com famosos é discutido todos os dias por "gente humilde" e as vezes com bem mais profundidade; o Evangelho de Jesus é riquíssimo, a codificação é espetacular, os livros psicografados são uma fonte de saber inesgotável. E nós não utilizamos para nos instruirmos... ainda somos aqueles que precisamos de um "pastor", "padre" ou "palestrante" que nos diga o que fazer, como fazer, aonde ir, o que ler, etc.

Por este motivo, eu acho justo que se pague por esta "opção"...

Jesus não cobrava nada pelos seus ensinamentos, seus apóstolos diretos também não... Porém passados alguns anos os seguidores começaram a cobrar por orientações, perdões, indulgencias, liturgias, missas, cultos, etc... então é um fator histório e comportamental do homem "pagar" pela orientação espiritual que necessita. Enquanto não vencermos este desafio continuaremos tendo quem cobre e quem pague, e na lei do comércio é justo que se pague.

Eu, por exemplo, sempre que dou palestra em outras cidades ou em outros estados nunca cobrei nada por isso, e das vezes que ofereceram para custear não aceitei... porém alguns trabalhadores há que são muito solicitados e apresentam por isso muitos compromissos; dedicam seu tempo integralmente a divulgação espírita e, por isso mesmo, acho até impossível que eles tenham condições de bancar suas viagens todas; por este motivo também acho justo que sejam custeados as despesas dessa pessoa.

Peço perdão por não estar em pleno acordo com sua colocação, mas acho este um processo natural, levando em consideração nosso estágio e desejos como seres humanos e os desejos e anseios daqueles que buscam este "objeto de desejo".

Paz contigo e com os amigos da ___________."

Kardec racista??? - Observações...


Queridos amigos, bom dia!

Recebi recentemente um email de um amigo que encontrou na internet um artigo intitulado "Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro" (o qual pode ser encontrado aqui: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=religiao&artigo=kardec&lang=bra, para quem quiser ler).

Nosso amigo solicitou que eu fizesse algum comentário sobre o texto em questão e, como de praxe, segue abaixo o comentário efetuado para apreciação de todos.

"Prezado ______________, boa tarde.

Há algum tempo atrás eu havia lido algo parecido e tinha, inclusive, estudado este texto de Kardec que é referenciado nos artigos enviados por você ("a perfectibilidade da raça negra").

Pessoalmente sou da idéia que os homens sempre tenderão a criticar e denegrir o que não gostam, concordam ou não compreendem; é assim hoje e tem sido assim desde o início do mundo e, percebendo bem, o espiritismo não é o primeiro nem o último a ser preconceituado por este tipo de pessoa.

Como sou MUITO crítico (talvez isso seja um defeito) também percebí em diversos trabalhadores espíritas o mesmo tipo de procedimento - o de preconceituar aquilo que não é do Espiritismo; e assim também denegrimos e criticamos as crenças alheias sem buscarmos conhecer as reais motivações nem as culturas ou costumes que deram origem a determinadas crenças. Mas, isso não é o objeto de nossa observação aqui, certo?

No caso em questão, como sempre, as pessoas não buscam conhecer as origens daquilo de que falam, como também não observam as condições de época, cultura e costumes de onde o processo se iniciou. Tem sido assim desde há muito tempo quando, por exemplo, se afirma que Moisés proibiu a comunicação - mas não se busca a historicidade do porque e a aplicabilidade disto na época e não hoje; também notamos isso quando os espíritas criticam a gênese mosaica e esquecem de estudar a gênese de Kardec - que esclarece e reconhece as limitações do escritor em sua época e enaltece o grandioso trabalho mediúnico que ele deve ter feito; outro caso latente é quando descartam a idéia da existencia da reencarnação simplesmente porque não concordam ou porque não está "escrita" na bíblia - quando temos tantas e tão vastas evidencias desde as mais antigas religiões conhecidas (a católica/protestante é muito nova... no oriente existem religiões com mais de 5.000 anos e são reencarnacionistas) ou quando mais de 70% da população mundial acredita neste fato ou até quando a palavra reencarnação não existia no vocabulário hebreu daquela época; ainda podemos citar o fato de nós, os espíritas, propagarmos o amor e a fraternidade como norma de conduta ( lembra do "fora da caridade não há salvação") - e tratarmos todos os que nos destratam de forma rude ou desdenharmos da fé dos outros fazendo inclusive chacotas (esquecemos do sermão da montanha completamente).

Desta forma podemos compreender que as pessoas que se utilizam de argumentações como esta que você enviou para leitura não se dão ao trabalho de perceber que este texto, escrito há mais de 150 anos, está completamente de acordo com os conhecimentos da época. Naquela época não havia a consciencia cultural/etnica que existe hoje, não haviam estudos biológicos aprofundados, ainda haviam escravos em muitos paises, a raça branca se achava (como ainda se acha) a melhor do planeta e, diga-se de passagem, o próprio Kardec, a despeito do grande pensador que foi e de todo seu trabalho, era nativo daquela época e se encontrava passível de influenciação por todos estes fatores e ainda mais que não me vêem a cabeça agora.

Eu, que lí o texto com "olhos de ver", entendí que acima de qualquer coisa o que Allan Kardec quer passar é que não existiria um Deus justo e bom, pai amoroso e criador, se as diferenças tão gritantes que ele percebia na época(e ainda podemos perceber hoje) fossem definitivas e não estivessem sujeitas a uma lei de evolução e reencarnação - que é o objetivo principal do texto, diga-se de passagem observadas do lado científico coerente com a evolução daqueles tempos, e não como preconceito de raça, como muitos de nós ainda falamos hoje com referência a pessoas negras.

Entretanto, devemos compreender os amigos que ainda não conseguiram se despir do preconceito religioso, e aceitar suas colocações como válidas para estudo e reflexão. A exemplo do próprio codificador escutar o que se diz e argumentar o necessário. A exemplo de Cristo evitar a discussão e compreender que "o escândalo é necessário" - necessário para o nosso próprio burilamento. Em uma Terra de provas e expiações não poderíamos, a grosso modo, esperar coisa muito diferente.

Acaso estas pessoas fossem muçulmanas e poderiam também chamar Jesus de racista e preconceituoso quando ele afirma para a mulher cananeia que seus filhos são cachorros (MT 15:22-27 e MC 7:25-30); ou seja, no final quem estava certo era o Mestre quando afirmava que "veja aquele que tiver olhos de ver" pois sempre encontraremos as mais diversas interpretações para cada assunto que desejarmos.

Espero ter sido de algum apoio e peço desculpas caso não tenha saído de concordância com seus pensamentos.

paz contigo."

Visitas espirituais - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de uma amiga que nos escreve o que segue abaixo:
"...Tenho uma duvida, porque fui visitar em espirito minha mãe esta noite?..."

Segue abaixo a mensagem que enviei a ela, para análise:

"Prezada ____________, boa tarde.

Partindo desta afirmação devo entender que você tem uma lembrança total ou quase total deste fato, correto? Isto é bastante curioso porque, na maioria das vezes, não lembramos o que acontece conosco quando desdobramos ao dormir - acredito que o seu fato tenha sido ao dormir, pois não tenho detalhes suficientes.

Allan Kardec no capítulo 7 de "o Livro dos espíritos", questões 400 a 421, nos esclarece sobre o estado do espírito durante o sono físico, e especificamente nas questões 413 a 418, especialmente no seu caso a 414, Kardec elucida sobre visitas entre pessoas encarnadas - novamente estou supondo que sua mãe está encarnada, por falta de maiores detalhes.

Vamos perceber que este é um processo bastante natural e que, inclusive, também é referenciado em diversas obras do espírito André Luiz, através de Chico Xavier. Todos nós passamos por este processo, principalmente quando existe um fator predisponente, tipo: preocupação com o outro, algum problema que esteja passando, saudade, necessidade de esclarecer algo, ausencia prolongada, etc...

Ainda nos lembra Kardec que muitas vezes nós, enquanto espíritos desdobrados, temos idéias bastante diferentes das que temos enquando acordados; o motivo desta diferença é a liberdade maior de pensamento e conhecimento que usufruimos enquanto parcialmente libertos da matéria.

A matéria sempre age como um "sedativo" das lembranças e idéias espirituais, devido a sua densidade muito maior que a do espírito e às limitações que o estado de "encarnado" nos traz, devido a lei do esquecimento (veja no LE questões 392 a 399). Por este motivo acredito ser muito interessante que você lembre dos acontecimentos durante o sono.

Martins Peralva, no livro estudando a mediundiade, nos esclarece que exitem três tipos básicos de sonhos: Comuns = Repercussão de nossas disposições, Físicas ou psicológicas; Reflexivos = Exteriorização de impulsos e imagens arquivadas no cérebro; e Espíritas = Atividade real e efetiva do Espírito durante o sono; pelo que pude perceber o seu representa um exemplo de sonho espírita - ou seja, atividade de seu espírito desdobrado durante o sono físico.

Normalmente não lembramos o total conteúdo de nossos sonhos, apenas permanecendo imagens muitas vezes desconectadas e sem um sentido claro; outras vezes acordamos apenas com a sensação de algo e a intuição do que devemos fazer; e quando somos agraciados com a lembrança clara do que ocorre normalmente é uma forma dos amigos espirituais nos indicarem que esta lembrança tem um objetivo definido.

Busque em seu íntimo e observe o que pode ser.

Espero haver sido de algum auxílio.

Paz contigo"

Reação - Palestras em MP3 ...



Reação
(clique no nome para baixar o arquivo ou no play para escutar online)



O Consolador Prometido - Palestras em MP3 ...



O Consolador Prometido
(clique no nome para baixar o arquivo ou no play para escutar online)



Comunicações espirituais - Observações...


Queridos amigos, bom dia.

Segue abaixo um texto que enviei para uma querida amiga, não espírita, que perguntou sobre "comunicações espirituais".

"Acho interessante primeiramente buscarmos qual o significado específico neste caso da palavra "comunicação" - representa a capacidade de um espírito enviar uma mensagem para, ou através de, uma pessoa encarnada - correto? Isso pressupõe que a pessoa que recebe esta mensagem tenha uma certa capacidade que permita que ela perceba e compreenda o fluxo de dados que foi enviado, concorda? Para efeito de estudos iremos chamar esta capacidade de ser intermediário desta mensagem de sensibilidade - como do latim intermediário = intermedium - sensibilidade mediunica ou mediunidade, ok?

Embora as pessoas pensem que mediundade é patrimônio do espiritismo, isso não é verdade. Historicamente vamos encontrar exemplos de sensibilidade mediunica desde que o mundo é mundo.

Tomemos como base o homem primitivo que, até despertar para um mínimo de intelectualidade, deixava os cadáveres de seus mortos onde pereciam e permitiam que se decompusessem naturalmente e, quem sabe, até se alimentassem deles. A partir do momento em que sua sensibilidade e intelectualidade estavam prontas para inciar a caminhada para a evolução, despertou dentro de sí esta sensibilidade de perceber o invisível e ele passou a ver e ouvir aqueles que haviam partido - e isso naturalmente os assustou - o que levou a que eles percebessem com o tempo que os "mortos" não estavam tão mortos assim e que podiam se comunicar com os que ficavam; passaram então, em alguns séculos de evolução intelecto-moral, primeiramente a enterrá-los, depois a colocar seus pertences próximos a eles nas covas, depois a colocar moedas para pagar a passagem ao hades, e assim por diante.

Em Alguns momentos encontramos pitonisas, adivinhos, xamãs e profetas que se comunicam com seres invisíveis para os "normais" e surgem, através desta sensibilidade, os anjos, demônios e deuses que perduram até hoje em nossa cultura. Concomitantemente encontraremos curas, línguas de fogo, inspirações divinas, levitações e outros fatores, que foram influenciados por espíritos, e que devido a ignorância da época deram origem a milagres "sobrenaturais".

Em outros momentos ainda encontraremos as pessoas dotadas desta sensibilidade sendo perseguidas porque "estavam possuídas pelo demônio" ou eram necromantes e bruxos... e assim durante muitos séculos em nossa história esta sensibilidade passou como uma capacidade angélica ou demoníaca, dependendo de que lado da balança do poder e do interesse se encontrava a disposição dos homens para aceitá-la (Joana D'arc que o diga).

Allan Kardec, a partir de 1857, desmistificando todo este processo de "sobrenatural", veio finalmente estudar e dar um nome a esta sensibilidade: mediunidade.

Define a partir da questão 159 de "o livro dos médiuns" que: "todo aquele que sente num grau qualquer a influencia dos espíritos é, por isso mesmo, médium. Esta faculdade é inerente ao homem e não constitui, por isso mesmo, privilégio exclusivo. Desta forma mesmo são raras as pessoas que não apresentem ao menos alguns rudimentos. Pode-se dizer, assim, que todos são mais ou menos médiuns." embora passe a chamar de médiuns,para efeito de classificação e estudo, apenas aqueles que apresentam efeitos mediunicos ostensivos e frequentes.

Traduzindo o que vimos acima equivale dizer que todas as pessoas que sentem alguma influencia espiritual(seja uma visão efetiva ou um arrepio na nuca), por apresentarem esta sensibilidade, são médiuns. Por ser uma capacidade natural do ser humano quase ninguém é dela desprovida, embora apresente-se mais forte em uns, mais fraca em outros e, na grande maioria, imperceptivel.

O mesmo Kardec em "o livro dos espíritos", questão 459, recebe a informação que os espíritos influenciam constantemente em nossas vidas "mais do que imaginamos"; nas palavras de paulo "estamos cercados por uma nuvem de testemunhas" - umas querem nos auxiliar, outras nos prejudicar - e estas influencias se passam das maneiras mais diversas.

Não vamos levar em conta aqui os médiuns ostensivos, que dão comunicações em reuniões mediúnicas - estes já são instrumentos e objetos de comunicação propriamente dita.

Vamos tentar listar aqui exemplos do dia-a-dia que podem mostrar os efeitos da influencia espiritual através de comunicações não ostensivas e,na maioria das vezes, subconsciente. Dentre estes casos podemos destacar:
- inspiração para escrever, compor, desenhar e etc;
- vontades repentinas e inexplicáveis;
- pensamento fixo em alguma idéia;
- simpatia ou antipatia imediata por alguém;
- intuições de fatos do dia-a-dia;
- inspiração para oradores, professores, atores, médicos, cientistas e todos outros.
- sonhos com pessoas que deixam recados;
- dejavus;
- sensações agradáveis ou desagradáveis com alguém distante;
- lembrança repentina de alguém;
- cheiros sem ter fonte visível; e muitos outros.

Perceba que estas "comunicações" ocorrem todos os das aos milhares e nem nos percebemos disso.

__________ havia conversado comigo sobre sua "poesia" e acredito que não deva ser motivo de preocupação. Talvez através destes novos conhecimentos que você tem aquirido, como uma mente mais aberta a determinadas idéias, os amigos espirituais tenham encontrado uma maneira de inspirar você com mais efetividade - mas isso não quer dizer que você tenha que se tornar médium de psicografia, não é assim.

Mediunidade, quando ostensiva (e não estou dizendo que seja o caso com você), é uma "faculdade" e como toda faculdade é "facultativo" seu exercício ou não. E se eu, com todas as minhas imperfeições, tenho consciencia disso, imagina os amigos espirituais... O fato de termos insights e inspirações maravilhosas não significa que teremos que ser instrumentos mediúnicos. Até porque podemos muito bem trabalhar sendo médiuns de Deus e auxiliando o próximo, ao invés de ser médiuns dos espíritos, compreende?

Diversos santos e santas católicas, que eram médiuns efetivos, utilizaram suas capacidades para o auxílio do próximo e o engrandecimento da causa de Jesus - exemplos: Francisco de Assis, Paulo Apóstolo, Pedro, Tereza d'avila, entre outros... Transcrevo agora uma frase de Chico Xavier, em um programa de 1971, onde declara "...Santa Brígida, da Suécia e a Santa Clara, de Montefalco, na Itália, as biografias atestam a presença de mediunidades extraordinárias, a ponto, diz Emmanuel, que Santa Brígida deixou muitas páginas, vamos dizer, do ponto de vista de autenticidade absolutamente psicográfica." Acho que vale a pena uma pesquisa nestas duas...

Por fim, compreendamos que a mediunidade nada mais é do que os "carismas" que Paulo falava; que são distintos mas o espírito é o mesmo. Uns falam, outros vêem, outros escutam, alguns escrevem, muitos sentem... mas todos podemos agir pelo amor.

Espero ter esclarecido um pouco sua dúvida, e caso continue ou apareça outra, não esqueça de escrever... ou melhor: podia ir lá em casa pra conversar, se quiser.

Paz contigo.

João

PS: enquanto eu escrevia a sua resposta agora no final estava com a idéia fixa na minha cabeça dos "carismas" de Paulo - alguém queria que eu falasse isso e não esquecesse. Vê como somos tão influenciados e nem percebemos?"


Mensagens em imagens...



Disciplina

Vidas Passadas 2 - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de uma amiga que nos escreve em dois momentos, que seguem abaixo:
"...óla muito obrigado pelas suas respostas mas mesmo assim eu gostava muito de saber o que fui realmente na minha vida passada. por favor me diga algum site ou alguem que me possa ajudar nesse assunto. obrigado..."

Segue abaixo a resposta que enviei a nossa amiga, para que possamos analisar:

"______________, bom dia.

Existem algumas pessoas que alegam poder saber o que cada um foi em sua vida passada e cobram uma determinada quantia por cursos, livros ou até consultas... não acho que este tipo de informação seja pertinente nem correto, porque sei que apenas os espíritos mais evangelizados tem a capacidade de conhecer e ler as informações guardadas em nosso arquivo perispiritual.

Outros que se comuniquem por meio de médiuns e que aleguem ter esta informação podem ser obsessores querendo nos prejudicar, mistificadores querendo nos enganar, ou até brincalhões querendo se divertir as custas de nossa credulidade.

Sobre isso Allan Kardec nos fala com muita clareza na questão 290 de "O livro dos médiuns", que descrevo abaixo:

290. Perguntas sobre as existências passadas e futuras

15ª Podem os Espíritos dar-nos a conhecer as nossas existências passadas?
"Deus algumas vezes permite que elas vos sejam reveladas, conforme o objetivo.Se for para vossa edificação e instrução, as revelações serão verdadeiras e, nesse caso,feitas quase sempre espontaneamente e de modo inteiramente imprevisto. Ele, porém, não o permite nunca para satisfação de vã curiosidade."

a) Por que é que alguns Espíritos nunca se recusam a fazer esta espécie de revelações?
"São Espíritos brincalhões, que se divertem à vossa custa. Em geral, deveis considerar falsas, ou, pelo menos, suspeitas, todas as revelações desta natureza que não tenham um fim eminentemente sério e útil. Aos Espíritos zombeteiros apraz lisonjear o amor-próprio, por meio de pretendidas origens, Há médiuns e crentes que aceitam como boa moeda o que lhes é dito a esse respeito e que não vêem que o estado atual de seus Espíritos em nada justifica a categoria que pretendem ter ocupado. Vaidadezinha que serve de divertimento aos Espíritos brincalhões, tanto quanto para os homens. Fora mais lógico e mais consentâneo com a marcha progressiva dos seres que tais pessoas houvessem subido, em vez de terem descido, o que, sem dúvida, lhes seria mais honroso. Para que se pudesse dar crédito a essa espécie de revelações, necessário seria que fossem feitas espontaneamente, por diversos médiuns estranhos uns aos outros e ao que anteriormente já fora revelado. Então, sim, razão evidente haveria para crer-se.

b) Assim como não podemos conhecer a nossa individualidade anterior, segue-se que também nada podemos saber do gênero de existência que tivemos, da posição social que ocupamos, das virtudes e dos defeitos que em nós predominaram?
"Não, isso pode ser revelado, porque dessas revelações podeis tirar proveito para vos melhorardes. Aliás, estudando o vosso presente, podeis vós mesmos deduzir o vosso passado."

Como também nos esclarece em "o Livro dos espíritos" nas questões 392 a 399 a necessidade e os porquês do esquecimento do passado e do não conhecimento de nossas existencias passadas.

Imagine, por exemplo, se você descobrisse que o filho que hoje abraça em outra existencia tomou sua vida através do assassinado... ou caso lembrasse que seu pai ou mãe houvesse tomado sua riqueza de forma desonesta em anterior convivência... Seria muito difícil conviver com nossos familiares e amigos assim, não concorda?

Na maioria das vezes esta curiosidade nada tem de útil e ou de objetivo; representando apenas uma curiosidade que não influi positivamente em nosso desempenho atual.

Busquemos criar hoje o futuro que desejamos e deixemos o passado onde se encontra, afinal, em uma terra de provas e expiações certamente não teremos um passado belo e agradável.

Paz contigo."

Mediunidade e sintomas 2 - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amigo que nos escreve em dois momentos, que seguem abaixo:
"...Sinto insônia,sono conturbado,calafrio no corpo todo ,mudanças de humor de uma hora pra outra sem explicaçoes e motivos,as vezes fortes dores na nuca e um peso enorme no corpo principalmente nas costas e no ombros.as vezes escuto vozes , vejo vultos , sinto presenças ou sensação de estar sendo observado,tambem as veses sou intuitivo com as pessoas,e pressinto situaçoes..."

Ao qual respondi como segue abaixo, para verificação:

"Prezado ______________, boa tarde.

Os sintomas indicados por você PODEM ter a ver com alguma sensibilidade mediúnica, porém antes de qualquer posicionamento de sua parte é importante observar alguns pontos.

1) Allan Kardec na questão 159 de "O livro dos médiuns" nos esclarece que TODO aquele que sente a influencia dos espíritos é, por isso mesmo, médium; porém é importante entender que na prática se define como médium aquele que demonstra sensibilidade mediúnica OSTENSIVA - ou seja tem contato direto e frequente com o mundo espiritual. No entanto não é improvável que possamos estar diante de um despertar de sua sensibilidade.

2) Estes sintomas, além de mediunidade, também podem vir a representar, olhando pelo lado espiritual, um processo obsessivo em estado adiantado. Sabemos, pela literatura Kardequiana e pelo espírito André Luiz, que em processos obssessivos podem vir a ser despertadas, por algum período de tempo, as capacidades medianímicas que tenhamos, devido a forte influencia espiritual e ao desequilíbrio que isto venha a trazer. Uma vez identificada esta influencia e afastados os espíritos em questão a pessoa retorna a sua normalidade. Assim, também não é impossível que possa estar acontecendo este tipo de influencia com você, que melhor do que ninguém sabe o que pensa e o que faz, determinando assim por que tipos de espíritos anda acompanhado.

3)Processos reencarnatórios e resgates individuais podem nos trazer de volta ao mundo físico com a necessidade de reparação em nós mesmos, e assim renascermos com algumas tendencias neurológicas ou comportamentais que venham a despertar, na fase programada, sintomas muito parecidos com estes relatados acima; e neste caso, com causas físicas/materiais é necessário o acompanhamento clínico para que possamos controlar e cuidar destes sintomas. Também esta é uma possibilidade que precisa ser verificada.

Perceba que não estou afirmando que seja nenhuma das possibilidades acima, nem dizendo que não seja. Existem ainda muitas outras que poderiam ser listadas aqui e que não relatei por questão de estas serem as mais comuns.

Uma vez que você me envia um e-mail com o título "mediunidade" acredito que você deva acreditar na comuncação com os espíritos e que, seria lógico pensar assim, concorda com os ensinamentos da Doutrina Espírita, correto? Sendo assim o melhor para você fazer no momento é buscar orientação em uma casa espírita séria, que você deve conhecer aí na sua cidade.

Acho que é importante realizar um atendimento fraterno e solicitar uma consulta espiritual, para que após o resultado seja verificado o que deve ser feito.

Normalmente em casos assim é orientado um tratamento para reequilíbrio dos centros de força e também para afastamento de qualquer espíritos que estejam nos rodeando. A participação nas reuniões, ingestão de água fluidificada e leitura de livros edificantes também é muito recomendável. Indispensável a prática da oração - conversa com Deus e com os Espíritos amigos - para que se busque o sentido de conhecer a sí mesmo e iniciar a reforma íntima.

Após este primeiro tratamento, caso continuem os sintomas - que neste momento deverão estar bem mais controlados e sutis - acredito que deva ser o momento de iniciar estudos sobre a mediunidade e aprofundar os conhecimentos sobre Espiritismo em geral. Normalmente as casas dispõem de uma reunião especial para estudos.

Não é o momento de buscar "desenvolver" mediunidade nem de "trabalhar" na sala mediúnica. Mediunidade é coisa séria e santa (como dizia kardec) e deve ser tratada com muito respeito. Apenas após reequilibrar suas energias e adquirir o conhecimento necessário é que se deve buscar maiores vôos; se for este o seu caso.

Entenda também que, embora eu particularmente tenha o maior respeito e admiração por todas as religiões e casas espiritualistas, o local correto para estudar mediunidade e espiritismo é em uma casa espírita orientada por Jesus e Kardec. Não acho conveniente participar de casas onde existem afirmações como "você é medium, tem que trabalhar!" ou "se você nao desenvolver vai se prejudicar" ou ainda "venha, entre na sala mediúnica e comece logo a trabalhar"; pessoas que se comportem assim demonstram grande DESCONHECIMENTO de tudo que se estuda em "o Livro dos Médiuns" que é a melhor e maior compêncio sobre mediundiade que já foi escrito.

Busque auxílio em um centro próximo a sua casa, mas procure conhecer o centro e ver se está de acordo com a doutrina espírita realmente ou se, como muitos, de espírita somente tem o nome.

Espero ter sido de auxílio para você.

Paz contigo e com os teus."

Vidas Passadas - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amig que nos escreve em dois momentos, que seguem abaixo:
"...ola, gostaria de saber o que eu fui na vida passada sera que me pode ajudar a saber isso ou sabe de algum site em que eu consiga obter essa resposta obrigada..."

A qual respondi como segue, para análise:

"Prezada _____________, bom dia.

Allan Kardec em "o livro dos espíritos" questões 392 a 399 nos expõe de forma bastante clara a questão do esquecimento das nossas existencias passadas, bem como dos porquês e das necessidades deste fato. Vale a pena dar uma estudada no texto citado para maiores esclarecimentos.

De minha opinião pessoal, embora compreenda a curiosidade natural do ser humano, não acho interessante conhecer o que fomos no passado.

Vale a pena lembrar que estamos em uma terra de provas e expiações e que, pelo menos eu, ainda não sou nenhum exemplo de virtudes e bondades; por isso o meu passado certamente estará repleto de dor e de ignorancia.

Somos espíritos em evolução e ainda nos econtramos mais próximos do ponto de partida do que do objetivo - equivale dizer que somos ainda mais primitivos e embrutecidos do que evangelizados e evoluídos. Por este motivo o nosso passado também reflete a nossa realidade espiritual. Não esperemos que em poucas encarnações tenhamos vencido nossos defeitos, não é tão fácil nem rápido assim.

De minha experiencia pessoal recebí um dia de um espírito amigo informações sobre fatos do meu passado e não foram fatos agradáveis. Eles me auxiliaram a compreender a causa que abracei e o porque.

Confiemos na sabedoria divina que sabe o melhor para nós e, caso precisemos, trará informações necessárias sem que precisemos correr atrás de nada. Perceba que para compreender "o que" fomos em existencias passadas o melhor é observar "o que" somos agora. Os nossos defeitos e limitações nos darão uma exata idéia de "como" fomos e "como" somos, e assim teremos uma melhor idéia do que precisamos fazer para no futuro estarmos em melhores situações.

Colhemos hoje os frutos do passado e plantamos as sementes do futuro, assim escolhamos bem as sementes que desejamos plantar hoje para podermos ter a certeza de construir para nós um futuro melhor.

Paz contigo"

Justa Homenagem...




Depois de homenagear a médica Zilda Arns, morta no terremoto que atingiu o Haiti em janeiro, os Correios lançam um selo comemorativo ao centenário do médium Chico Xavier, morto há oito anos.

O selo traz uma foto de Chico autografando um dos seus livros e traz, como pano de fundo, uma frase retirada de uma carta psicografada por ele. Serão emitidos 600 mil selos, com valor de carta comercial (R$ 1,05) e oito mil cartões postais, com o valor unitário de R$ 1,00.

O evento de pré-lançamento será no próximo dia 19 de março, em Uberaba (MG), onde fica o centro espírita fundado por Chico. Haverá outros eventos de lançamento nas cidades de Brasília (DF), Pedro Leopoldo (MG) e São Bernardo do Campo (SP). Os O primeiro dia de circulação do selo será 2 de abril e o prazo de comercialização pelos Correios será até dezembro de 2013.

Não percam também a oportunidade de ler esta reportagem da Revista Época:
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI124246-15228,00-CHICO+XAVIER+E+A+ALMA+DO+BRASIL.html

Paz com todos.

Enterros, Velórios e Influências Espirituais - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amig que nos escreve em dois momentos, que seguem abaixo:
"...ola
e assim vou contar uns episisodios que se passou e gostaria que me ajudasse a entender o q se passou qiue me esclarecesse
e assim faleceu ja ha alguns dias um senhor que e meu amigo e fui a casa funeraria u me emocionei muito ao ve-lo pois gostava muito dele mas sent-me estranha o entendi o pk e senti-me tao feliz e o mais interessante foi um pensamento que tive algo me dizia para ir dar um beijo a ele e eu fui nunca tinha beijado um morto nao sei explicar mas senti-me bem a seguir com uma paz feliz ...no outro da faleceu uma amig minha entaofui outra vez a cas funeraria (antes eu nao ia a casas funerarias ate tinha receio de entrar mas agora nao eu entro e se medo algum o pk nao sei... pois e senti-me novemente estranha senti-me tao feliz e ao olhar para ele ela tava com um ar tao sereno mas o mais intressante foi um pensamentop que tive .... algo me dizia para ir a casa da mae dela e dizer que ela estava bem ...... bem foi o q fiz fui perguntar a filha onde morava a sua avo que queria ir l entao eu fui
ela tem setenta e ta anos e tivemos a conversar um pouo e eu disse q a filha estava bem e dei o meu apoio ela tava triste e chorva pois e complicado perdemos alguem .... mas eu tentei anima-la e no fim ela esboçou um sorriso e me agradeceu visita
sai de la de casa tao feliz com uma paz........
eu nao entendop o q se esta a passar ....
sera q eu posso comunicar com pessoas mortas ou seija espirios?
eu nao sei o q pensar disto tdo ja me tem acontecido tantas coisas .......
como e q pode ser possivel?..."


Ao qual respondí o que segue abaixo:


"Prezada ______________, bom dia.

Allan Kardec em "o livro dos médiuns", questão 159, afirma que mediunidade é a capacidade de sentirmos a influencia dos espíritos; em "o livro dos espíritos", questão 459, esclarece que todos sentimos a influencia dos espíritos e, por isso mesmo, são eles que de certo modo nos dirigem. (caso você não tenha estes livros, pode encontrar para consulta em www.biblioteca.radiobomespirito.com)

Por isso mesmo não é de se estranhar que em diversos momentos em nossas vidas nós sejamos ferramentas pelas quais a espiritualidade trabalha no mundo físico. Através de influencias sutis podemos ser levados a praticar atos e ter pensamentos que não teríamos ou faríamos antes. Esta influencia pode se dar para coisas boas ou não boas; vai depender dos espíritos que tenhamos em nossa ambiencia mental.

Perceba que, mesmo sendo exercida diretamente sobre nós, esta influencia é apenas isso - uma influencia - e por consequencia apenas realizamos aquilo para o qual temos já alguma tendencia inata ou subconsciente, e sempre estamos submetidos ao nosso livre arbítrio.

Em outras palavras: se algum espírito me influlencia para fazer mal a alguém, eu apenas farei se decidir fazer - seja por não gostar da pessoa, por não achar aquilo errado, por desejar fazer um mal, por sentir desejo de prejudicar alguém ou por outro motivo qualquer que tenha dentro de mim. Kardec já nos lembrava que " a semente somente brota em terreno propício".

É natural em hospitais/vélórios/enterros que a espirtualidade do bem alí presente se utilize de pessoas que tenham uma sensibilidade maior a influencias para servir de objeto a fatos necessários - tais como doação de energia, indução a oração, conversas salutares, orientações aos encarnados, consolação aos que sofrem e, até, visitas a parentes que tenham necessidade e merecimento.

É sempre normal que após praticar bons atos de carinho, afeto, compreensão, amor e consolo nós nos sintamos bem; é sempre bom fazer o bem.

Desta forma acredito que você tenha sito instrumento de algum espírito presente nestes eventos para auxiliar aos que necessitavam, seja encarnados ou desencarnados.

Independente de qualquer coisa é muito importante nessas ocasiões mantermos a paz, sobriedade, evitar comentários maldosos ou irônicos, manter a oração e buscar equilíbrio; para assim podermos auxiliar os que necessitam de ajuda nos dois planos da existência.

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo."

Espaço de Humberto...


REMÉDIO CONTRA TENTAÇÕES

Instado por um cristão novo de Jerusalém, que se fazia portador de preciosos títulos sociais, desejoso de ouvi-lo quanto a remédio eficaz contra as tentações, Simão Pedro, já velhinho, explicou sem rebuços:

– Certo homem de Gaza, que amava profundamente o Senhor e lhe observava, cauteloso, os mandamentos, após cumprir todos os deveres para com a família direta, viu-se, na meia-idade, plenamente liberto das obrigações mais imediatas e, porque suas aspirações mais altas fossem as de integração definitiva com o Altíssimo Pai, consagrou-se à contemplação dos mistérios divinos. Recolheu-se à oração e à meditação exclusivas. Extasiava-se diante das árvores e das fontes, perante o lar e o céu, louvando o Criador em cânticos interiores de reconhecimento. Tão maravilhosamente fiel se tornara ao Poder Celestial, que as Forças Divinas permitiram ao Espírito das Trevas aproximar-se dele, qual aconteceu, um dia, a Job, na segurança de sua casa em Hus.

O Rei do Mal acercou-se do crente perfeito e passou a batalhar com ele, tentando enegrecer-lhe o coração.

Após longos dias de conflito acerbo, o aspirante ao paraíso implorou ao Eterno, em soluços, lhe fornecesse recurso com que esquivar-se à tentação. Suplicou auxílio com fervor tão intenso, que o Misericordioso, através de um emissário, aconselhou-o a cultivar a terra.

O piedoso devoto atendeu à ordem, rigorosamente.


Adquiriu extensos lotes de chão, preparou sementeiras e adubou-as; protegeu grelos tenros, dividiu as águas com inteligência; tomou a colaborarão de regular exército de servidores e, vindo o Perverso Dominador, tão ocupada lhe encontrou a mente que foi obrigado a adiar a realização dos escuros propósitos.

O aliado de Deus agiu com tanto brilho que, em breve, a propriedade rural de que se fizera fiador converteu-se em abençoado centro de riqueza geral, a produzir, mecanicamente, para a fartura de todos.

Atendida a designação que procedia do Alto, o mordomo voltou a repousar e o Malvado se lhe abeirou dos passos, novamente.

Outro combate silencioso e o devoto suplicou a intervenção do Altíssimo.

Manifestando-se, por intermédio de devotado mensageiro, recomendou-lhe o Pai Bondoso fiar a lã dos rebanhos de ovinos que lhe povoavam as pastagens, e o beneficiado do conselho celeste observou fielmente a determinação.

Movimentou pessoal, selecionou carneiros, adquiriu teares e agulhas, fez-se credor de larga indústria do fio e, chegando o Maligno, notou-o tão ocupado que, sem guarida para provocações, se refugiou a distância, aguardando oportunidade.

O esforço do missionário, em poucos anos, imprimiu grande prosperidade ao serviço fabril, dispensado-o de maiores preocupações.

Reparando-o livre, regressou o Gênio Satânico rearticulou-se a guerra íntima.

O aprendiz da fé recorreu à prece e outra vez implorou medidas providenciais ao Doador das Bênçãos.

O Poderoso, exprimindo-se por um anjo, induziu-o a moer grãos de trigo para benefício comum.

Voltou o favorecido ao trabalho e construiu, utilizando o concurso de muita gente, valiosos moinhos, suando, à frente de todos, na fabricação de farinhas alvas. Tornando o Dragão das Sombras e percebendo-lhe tão grande preocupação na atividade salvadora, retirou-se de novo, constrangido, espreitando ocasião mais oportuna.

Com o êxito amplo do servo leal, novo descanso abriu-se para ele e Satanás retornou, furioso, à batalha pela posse de sua vida.

O piedoso discípulo da salvação refugiou-se na confiança em Deus e o Todo Amantíssimo, por outro enviado, aconselhou-o a erguer um pomar, em benefício dos servidores que lhe seguiam a experiência.

Retornou o crente ao serviço ativo e tão entregue se achava às responsabilidades novas que o Perseguidor se viu na contingência de retroceder, na expectativa de ensejo adequado.

A fidelidade conferiu ao trabalhador operoso novas bênçãos de merecida prosperidade e o apaziguamento lhe felicitou o caminho.

Quando se fixava o crente, despreocupado e feliz, na beatitude, a fim de melhor agradecer as dádivas divinas, eis que ressurge o Maldito, convocando-o a retomar o duelo oculto.

O devoto, entretanto, compreendendo, por fim, as lições do Senhor, não se internou em novas rogativas. Envolveu-se no serviço útil ao mundo e aos semelhantes, até ao fim de seus dias, quando partiu da Terra ostentando a coroa da eternidade.

O ouvinte sorriu, algo apreensivo, e o velho Pedro, calejado no sofrimento e no sacrifício, terminou, muito calmo:

– O único remédio seguro que conheço contra as tentações é o mergulho do pensamento e das mãos no trabalho que nos dignifique a vida para o Senhor.

E deu por finda a fraternal entrevista.


pelo Espírito Irmão X
Do livro: Luz Acima
Médium: Francisco Cândido Xavier.

Epilepsia, enfermidade e espiritismo - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de uma amiga que nos escreve o seguinte:
"...Boa tarde,
A alguns dias descobrimos por exame que minha sobrinha de 9 anos tem epilepsia, ficamos meio tristes e gostariamos que vcs pudessem nos orientar espiritualmente o que significa ter ou adquirir essa enfermidade..
Desde já muito obrigada
Muita Paz..."


Ao qual respondí como segue, para apreciação:


"Prezada ________________, boa tarde.

Notei uma certa apreensão em suas palavras e, antes de mais nada, quero lembrar que é necessário termos confiança na providência divina que nada faz sem um sentido e que sempre nos coloca em locais e situações onde precisamos para que aprendamos cada vez mais, nos melhorando através de inúmeras experiências - umas boas outras não tão boas - mas todas necessárias ao nosso aprimoramento.

Importante verificar que o acontecimento em questão representa um compromisso não somente para a jovem mas também para toda a família que, em casos de enfermidades, deve permanecer unida e acolher a pequena com carinho e compreensão, uma vez que muito jovem ainda pode não entender completamente a situação.

Demos graças a Jesus pelo disturbio ter sido descoberto ainda cedo, o que amplia as condições de acompanhamento e controle por parte dos médicos responsáveis. não deixe nunca de fazer um acompanhamento clínico sério, pois é uma das maneiras mais eficazes de materialmente evitar problemas futuros.

Embora já caracterizada como um disturbio neurológico que afeta o controle do corpo e a mobilidade em crises com periodicidade indefinida, muitos são os motivos que fisicamente podem despertar as crises e a enfermidade em sí. Desde luminosidade excessiva até pancadas na cabeça - como poderá verificar aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Epilepsia.

Do lado espiritual o processo também não é tão simples de ser diagnosticado, embora possa dizer, de minha opinião pessoal, que embora em vários casos de epilepsia possa estar presente uma participação obssessiva espiritual, nem sempre ocorre assim.

Por vezes o espírito do enfermo traz em sí, subconscientemente, culpas, medos, problemas comportamentais ou outros processos não resolvidos de existencias passadas e que, por algum motivo indefinido, vêm a tona na atual existencia e sua abrupta eclosão causa o processo epiléptico; esse choque é tão intenso que o espírito é desdobrado do corpo totalmente, ou quase totalmente, e, ao retornar, não traz consigo as recordações do acontecido para tentar esclarecer a quem fica observando e estudando. Nestes casos não existe a participação de um espírito obsessor para causar o processo.

Outras vezes estas culpas, medos ou problemas, que fazem parte de nosso inconsciente, são despertados quando sentimos (espiritualmente/perispiritualmente e inconscientemente) a presença fluídico-energética de um espírito que foi nosso desafeto/inimigo em existencias anteriores. A sensação desta presença ativa o "gatilho" em nossa mente/cérebro e acontece o processo epiléptico. Em casos assim existe a participação ativa, embora que inconsciente, de um espírito.

Em poucos processos podemos supor que exista a participação ativa e consciente de um obsessor, o qual necessitaria ter um conhecimento intelectual vasto para saber "como" ativar o processo; na minha opinião é difícil, mas não impossível.

Kardec nos esclarece a respeito das influencias externas nas questões 481 a 483 do LE; embora não seja especificamente sobre epilepsia, mas é sobre "convulsionários".

Muitas vezes ainda incompreendemos as leis do universo e achamos que existem injustiças quando se trata de problemas envolvendo crianças; esquecemos, na maioria das vezes, que aquele ser pequeno que abraçamos hoje já foi homem ou mulher, jovem ou idoso em encarnações anteiores, e que, nestas encarnações, certamente realizou atos bons e ruins - os quais formaram hoje os nossos compromissos e resgates.

Assim é importante percebermos que não se trata de um problema exclusivamente físico, embora tenha que existir biologicamente a predisposição para tal enfermidade; nem exclusivamente de um problema espiritual, embora por trás de toda enfermidade está um espírito endividado. Trata-se de um processo expiatório que deve ser tratado com carinho e respeito de forma a atender as necessidades físicas e espirituais do enfermo.

Físicas com tratamento adequado, acompanhamento clínico e medicamentos regulares.

Espirituais com um ecaminhamento religioso para a pessoa, orientações no sentido de respeitar as leis de Deus, buscar fazer a reforma íntima, fazer da oração uma companhia constante, tomar passes e água fluidificada para que melhorando-se o enfermo espiritualmente também influencie beneficamente quem possa estar prejudicando o seu espírito - ou pelo menos fique mais imune a influencias fluídicas/espirituais.

Espero haver respondido sua dúvida e ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo e com os teus."

Mensagens em imagens...



Dedicação

Mediunidade e sintomas - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amig que nos escreve em dois momentos, que seguem abaixo:
"...bem...meu nome é ___________,tenho_______ anos..e descobrir que sou medium sentia e ainda sinto uns sintomas estranhos...calafrios,aceleração ,maos geladas e suam muito,tonturas,dores de cabeça,ansidade,nervosismo,raiva alegria.depressão isso que os medicos falavam,,,sofrir muito..depois de algum tempo uma colega minha me disse sobre o espiritismo no primeiro instante eu nao acreditei..mais depois de dois meses eu fui e la o medium me disse que eu sou medim..e eu melhorei bastante passando por passes revitalizantes...e estou bem melhor graças a DEUS e aos bons espiritos... eu gostaria de sabe,,,se eu posso ficar so pra mim com a minha mediunidade,ou devo ajudar ao proximo com ela? um abraço...

oi tudo bom com voces ...olhe eu tambem sinto palpitações,dores no corpo,assim no ouvido zumbido,fico triste ,alegre,e tambem sinto presenças,..eu queria que voces me falassem o que eu devo fazer,...no centro em que eu frequentava o medium la me disse que eu tambem sou medium....eles me ajudarm muito que antes eu nem saia de casa hoje saio e quero cantar..pois este e meu sonho mais eu tambem fico pensando no que o medium daqui me disse sobre mediunidade...como eu posso fazer eu posso conciliar a mediunidade com o canto? eu tambem sinto de vez em quando estalos na cabeça .pescoço por todo o corpo e sei que isso nao e normal..mas eu sei que irei melhorar muito mais por uqe eu tenho fe....por isso falei com voces..desde ja obrigado...um forte abraço!...."


Ao qual respondí o que segue abaixo:

"Prezado ____________, boa tarde.

Peço desculpas pela demora em responder seu e-mail mas estou em um período um tanto atribulado.

Allan Kardec na Questão 159 de "O Livro dos Médiuns" esclarece que "todo aquele que sente, num grau qualquer, a influencia dos espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem. Não constitui portanto privilégio...", complementando mais adiante no mesmo parágrafo que "usualmente" se classifique de médiuns aqueles em que " a faculdade se traduz em efeitos patentes".

Faço esta citação para que percebamos que médium somos todos nós que sofremos, ou podemos sofrer, a influência de espíritos em nosso dia-a-dia; e que somente poderão ser chamados de trabalhadores em mediunidade aqueles em que a faculdade se apresente com constancia e sinais inequívocos.

Entenda-se por sinais inequívocos a visão, audição, escrita ou algum efeito mediúnico frequente, envolvendo a pessoa.

Necessário percebermos também que mediunidade é compromisso e não significa que somos melhores ou piores que ninguém; apenas que na espiritualidade assumimos um compromisso de auxiliar aos irmãos seguindo os ensinamentos de Jesus.

Em muitos casos a mediunidade pode se iniciar por conta de uma obsessão espiritual, outros por conta de uma fraqueza orgânica, outros ainda por traumas psicológicos, outros são apenas sensações físicas que se confundem com sinais de mediunidade... as possibilidades são inúmeras.

mas também há os que iniciam sua percepção medianímica no prazo certo que foi programado no cronograma reencarnatório, e não existe idade certa para isso; pode acontecer na infância, adolescencia, idade adulta ou velhice. Apenas nossos amigos espirituais sabem a hora de nos despertar para a mediunidade.

Os sintomas que você descreve são fortes indícios que você possa estar desabrochando sua sensibilidade medianímica; Se for isso eles pode, realmente, aumentar e diminuir, melhorar ou piorar, aparecer ou desaparecer de acordo com o público espiritual que esteja ao seu redor - e sempre temos "uma nuvem de testemunhas" ao nosso redor, como disse o apóstolo Paulo.

É importante perceber que mediunidade não é doença. Embora que quando ignorada ou tratada incorretamente pode levar a estados clínicos alterados, mas não é culpa da mediunidade e sim do acúmulo desarmonizado de energia em nosso organismo e, muitas vezes, de tratamentos psicólógicos e psiquiátricos que não levam em conta o fator "espiritual" e apenas entendem as influencias como estados alterados da mente.

O fato de você ter se sentido melhor na casa espírita e com os passes é um ótimo indício que está sendo melhor harmonizada a sua energia. Porém mais do que comparecer ao centro e tomar passes é necessário a sua colaboração ativa e frequente neste processo de harmonização. Evitar locais onde existam baixas vibrações espirituais, evitar atitudes e pensamentos menos dignos, evitar comportamentos viciosos, criar hábitos saudáveis de leitura, músicas e principalmente oração.

Estes sintomas que você passou a sentir pode ter sido ativados, ao meu entender, por dois motivos básicos: desequilíbrio espiritual ou convite para atividade espírita.

Acaso tenha sido por desequilíbrio, com o comparecimento ao centro e o tratamento correto eles deverão desaparecer.

Acaso seja um convite para as atividades espíritas eles tenderão a ser menos agressivos e mais sintonizados, desde que você se harmonize espiritualmente.

Entenda que com isso não estou afirmando que você tem que trabalhar na mediunidade - não é isso. Mediunidade é faculdade,e por isso mesmo é facultativo a você utilizar ou não... você pode ou não se interessar em trabalhar com mediunidade; o que você não pode deixar de fazer é estudar sua mediunidade. Se instruir e procurar conhecer profundadamente o fenômeno mediúnico. Para aprender a lidar melhor com você mesmo.

Não gosto destas casas espíritas onde a pessoa chega e o médium fala "você é médium, tem que trabalhar" - para mim isto representa uma desinformação e um despreparo para o trabalho sério - já pensou uma pessoa com desequilíbrio espiritual sendo colocada em uma mesa mediúnica? vai piorar cada vez mais sua situação. Mediunidade é coisa séria e santa; deve ser cercada de todo respeito que possamos ter com ela e de toda responsabilidade para com sua educação.

Em meu blog tenho algumas palestras sobre mediunidade que você pode encontrar aqui:
Mediunidade e Espiritismo (http://www.bomespirito.com/2007/09/palestras-espritas.html), Mediunidade e trabalho mediúnico(http://www.bomespirito.com/2007/09/palestras-espritas_20.html ), Observaçoes sobre a mediunidade (http://www.bomespirito.com/2009/08/palestras-em-mp3_17.html), mediunidade no evangelho (http://www.bomespirito.com/2009/12/palestras-em-mp3.html)

Apenas para terminar esclareço que de forma alguma a mediunidade interferirá em sua vida profissional, seja ela qual for. Cabe a você estudar a mediunidade, se conhecer e dominar as influencias do meio ao seu redor. Eu, por exemplo, trabalho com mediunidade no centro, em dias marcados, e em exerço normalmente o meu emprego. Quando acontece de sentir alguma presença próximo a mim fora do centro consigo identificar se é uma presenta agradável ou hostil e controlar a influencia dela sobre mim através da oração, concentração e atitudes positivas.

Porém, como Kardec declara em "o livro dos médiuns" é a superioridade moral que vai dar ao médium o maior autocontrole - não adianta "bancar" o santo e comportar-se de maneira indigna... mesmo que os encarnados que nos cercam não saibam de nossos defeitos, os desencarnados sabem e se agarram a eles através da lei de sintonia.

Uma coisa que normalmente nos esquecemos é que mesmo que não optemos por trabalhar com a mediundiade dos espíritos (em uma mesa mediúnica) podemos ser médiuns de Deus e levar consolação a auxílio aos que precisam mais do que nós através dos serviços de caridade; Esta certamente é uma mediunidade que sempre será imprescindível e a qual temos tão poucos que exercem: servir de intermediário(medium) entre os que precisam de auxílio e as forças superiores que desejam auxiliar.

Por último aconselho você a estudar o livro dos espíritos e o livro dos médiuns para que tenha maiores esclarecimentos dentro dos temas que necessite (caso não os tenha pode encontrar aqui www.biblioteca.radiobomespirito.com) e a não deixar de tomar passes e frequentar o centro. Participe das atividades o quanto puder que sempre será bom para você.

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo."

Tratamento Espiritual - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de uma amiga que nos escreve perguntando:
"...olá
eu gostaria que me esclarecesse uma duvida:
o que e o tratamento espiritual? para que serve ?qual e a finalidade deste tratamento?este tratamento espiiritual e alguma cura?
o que a pessoa sente antes e depois de fazer um tratamento spiritual?
pode ser perigosso ?traz consequencias ? alivia? como e que ele pode ser feito? pode ser atraves de uma siples gafarrafa de agua?ou tens outras maneiras?
ou seja eu quero saber basicamente tdo sobre o tratamento espiritual?
obrigado...."


Seguem abaixo as respostas para que possamos trocar idéias:

"Olá,_____________. Bom Dia!

Vou seguir a ordem das suas perguntas para responder, assim fica mais fácil acompanhar o raciocínio, ok?

1)o que e o tratamento espiritual?
é um procedimento(ou vários) utiizado em casas espíritas ou espiritualistas com intenção de auxiliar a encarnados e desencarnados que, por algum motivo, estejam sendo objetos de influencias negativas. O que é feito durante este tratamento vai depender de cada casa e da maneira como são orientados os trabalhos nesta casa. Normalmente ele segue os seguintes procedimentos: consulta ou visita espiritual, identificação do problema por parte da equipe espiritual, orientação ao paciente: frequencia nas reuniões, tomar passes, ingestão de água fluidificada, leituras evangélicas, orações constantes; após um período determinado é realizada nova consulta para nova verificação.

2) para que serve ?qual e a finalidade deste tratamento?
Em muitos casos de influencia espiritual a pessoa apresenta uma série de sintomas/problemas de ordem espiritual, e que podem vir a ser somatizadas; o objetivo do tratamento é impedir que continue ou aumente o prejuizo causado pela influencia de algum amigo espiritual desarmonizado sobre o paciente. Assim busca harmonizar mais a pessoa através de comportamento, leituras, bioenergia, orações etc. Em muitos casos de influencia a simples modificação de atitudes negativas para atitudes mais positivas já impede que o espírito em sofrimento prejudique o encarnado. Lembro que tudo é sintonia, por isso quanto mais sintonizamos com o desequilíbrio mais estamos nós mesmos desequilibrados.

3)este tratamento espiiritual é alguma cura?
Se você fala cura física de problemas, como doenças, eu devo dizer que não - embora haja pessoas que afirmam realizar tratamentos espirituais com incisões, cortes e perfurações no intuíto de curar doenças, mas neste caso não é tratamento, é cirurgia espiritual. O tratamento espiritual visa "curar" os males espirituais - influencias nocivas, acúmulo de energia negativa, desequilíbrio dos centros de força, cansaço, baixa auto estima, depressões e outros sintomas que apareçam devido a esta influencia - devemos sempre lembrar que todos os sintomas já somatizados deverão sera acompanhados por médicos e profissionais de saúde, bem como não deve ser retirada nenhuma medicação que esteja em uso somente porque se iniciou um tratamento espiritual - uma vez que os problemas se achem somatizados os dois tratamentos devem caminhar juntos e nenhuma casa espírita séria indica(ou pelo menos deveria) o término de um tratamento clínico sem mais nem menos.

4)o que a pessoa sente antes e depois de fazer um tratamento spiritual?
Em sua maioria antes as pessoas sentem os sintomas característicos de uma influencia espiritual negativa: mal estar, dores de cabeça, presenças, cansaço, irritabilidade, medo, insonia, depressão, tristeza, entre outros. Durante os primeiros tempos do tratamento é natural e normal que estes sintomas se ampliem e piorem - porque os espíritos mais sofredores farão de tudo para que a pessoa deixe o tratamento de melhora, porque sabem que se a pessoa se melhorar não terá mais sintonia com eles; após o término do tratamento, se a pessoa realmente se esforçou e fez o que devia corretamente, estes sintomas deverão ter desaparecido ou diminuido drasticamente. Caso a pessoa não tenha se dedicado corretamente os sintomas tenderão a continuar - infelizmente isto acontece mais do que o desejado, porque nós ainda esperamos que a espiritualidade faça todo o trabalho por nós, ao invés de nos dedicarmos para a nossa modificação íntima, visando crescer em equilíbrio e auto-controle. É sempre bom lembrar que todo tratamento espiritual depente mais de nós mesmos que da espiritualidade.

5)pode ser perigoso ? traz consequencias ?
Como eu disse antes vai depender da casa que estiver orientando seu tratamento; muitas casas existem que solicitam comportamentos pouco comuns e atitudes complicadas de se realizar; em meu entender não acredito que em uma casa ESPÍRITA orientada por Jesus e Kardec vamos ter perigos para o paciente; porém devemos sempre seguir o bom senso e perceber que, caso exista alguma possibilidade de perigo em algum tratamento, devemos procurar outras opiniões em outra casa.
Suas consequencias vão variar, como eu disse antes, de acordo com a pessoa que está realizando e, de uma forma simples, podem ser duas: a solução do caso ou a estagnação na mesma situação.

6)alivia?
Certamente, desde que seja realizado com seriedade e compromisso pelo encarnado. Traz inclusice um alívio maior que o físico - o alívio moral de saber que estamos nos esforçando para melhorar intimamente.

7) como e que ele pode ser feito? pode ser atraves de uma simples gafarrafa de agua?ou tem outras maneiras?
Em nossa casa espírita utilizamos o seguinte procedimento com padrão para quase todos os casos(durante 10 semanas): frequência assídua nas reuniões, aplicação de passes (bioenergia), ingestão de água fluidificada (que é levada em uma garrafa sim), leituras de textos e livros evangelizantes, maior frequencia de oração durante o dia(principalmente ao acordar e ao deitar), leitura do evangelho em voz alta no lar ao levantar e o dormir. Após este período é realizada uma nova avaliação com o atendente fraterno e, se necessário, encaminhado novamente para outra sessão de tratamento. Em minha opinião pessoal quando percebemos, após tres sessões, que o paciente não se esforça e nem demonstra interesse em realizar um tratamento sério, devemos dar a ele um tempo maior para que reflita sobre o seu real objetivo e o quanto está disposto a se esforçar para isso.

Bem, acredito haver respondido suas questões. Neste post indicado abaixo também encontrará algo sobre o tratamento espiritual:
http://www.bomespirito.com/2007/03/tratamento-espiritual.html

Paz contigo."

Problemas e dificuldades - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí recentemente através do nosso formulário "Entre em contato" uma mensagem de um amigo que nos escreve:
"...Estou passando por uma fase complicada em minha vida, onde no qual paresse tudo esta desabando em minha cabeça. Profissional, Pessoal tudo complicado, gostaria de uma ajuda suas. Obrigado...."

Segue abaixo a resposta que enviei, para apreciação:

"Prezado ____________, bom dia.

Fico muito feliz com seu carinho e confiança em que eu possa ajudar você de alguma forma.

Não sei qual a sua religião, mas acredito que quem esteja necessitado de luz não vai se importar de onde ela venha, não é?

Antes de falar qualquer coisa gostaria de pedir que você, no seu íntimo, fizesse uma avaliação de como está nestes últimos tempos; como tem se colocado em relação a deus, como tem se colocado em relação a você e a sua família/amigos/parentes; como tem se colocado em relação a sociedade/trabalho/relações... e a partir desta auto-avaliação quero solicitar que você busque encontrar algum(s) ponto que estejam em desequilíbrio com as leis harmoniosas de Deus. Talvez a partir deste(s) ponto(s) você possa ter uma indicação de por onde começar a "faxina" e sua alma, seus desejos, suas paixões e seu comportamento.

Você pode se perguntar porque estou levantando este ponto em primeiro lugar, e é uma pergunta justa. A resposta é que normalmente nós (os que acreditamos em reencarnação) buscamos a resposta para tudo no passado, em uma vida da qual não recordamos e pela qual não poderemos mais fazer nada. é inegável a contribuição de nossas vidas pretéritas em nosso presente; porém são tanto quanto, ou muito mais, ativas e atuantes as escolhas que fazemos no hoje, no nosso passado recente e presente.

Vamos encontrar uma ótima dissertação sobre isso no livo "o evangelho segundo o espiritismo", capítulo 5 "bem aventurados os aflitos", principalmente nos pontos: 3,4,5,6,7,8,9,10,12,13,19 - embora todo o capítulo seja muito bom e esclarecedor. Caso você não tenha o livro pode encontrar online aqui www.biblioteca.radiobomespirito.com .

Nossos sofrimentos devem, no mais das vezes, serem encarados como testes, provas que a vida nos dá e as quais somos colocados em locais onde fazemos escolhas. Muitas destas provas escolhemos antes de reencarnarmos, outras vamos escolhendo no dia-a-dia, mas em todas está a mão de Jesus desejando o nosso crescimento e aprendizado. Cito muito a frase de Jesus "o escandalo é necessário" porque representa uma das obrigações da vida em nossa Terra.

Lembro que a terra é um mundo de provas e expiações e nenhum de nós que andemos sobre ela estamos livres de sacrifícios e sofrimentos - a exemplo do próprio Mestre de Nazaré.

Uma vez que percebamos isso, podemos nos perguntar "e o que faz a diferença então?" - e a resposta é "o modo como enfrentamos os problemas".

Se enfrentamos os nossos problemas fugindo, com medo, receio ou atitudes derrotistas; se encaramos nosso problema como o principal em nossa vida e agigantamos o seu tamanho, ficando paralizados nos sentindo coitados frente a ele; se nos inconformamos com a providência divina e nos revoltamos reclamando e basfemando - se é assim que enfrentamos o nosso problema então teremos dois problemas: um criado pelas atitudes/ações e outro criado pela inação em resolvê-lo. Não devemos nos comportar assim.

Ao enfrentarmos nossos problemas que seja com força e determinação, buscando a saída que sejam melhor (sem prejudicar a ninguém), observando todos os ângulos possíveis, tendo a humildade de reconhecer nossos erros e de buscar auxílio e, principalmente, sem blasfemar ou reclamar de Deus - que apenas quer o nosso melhor.

Sei que é fácil falar e que é difícil fazer; mas quando aconselho isso a alguém é porque em momentos difíceis de minha própria vida agi deste modo e não me arrependí.

A oração se apresenta para todos nós como um bálsamo de alívio e gerador de forças - desde que verdadeira e bem sentida. Quando falo da oração não me refiro a repetição sem fim de rezas que aprendemos quando éramos crianças, mas a uma conversa sincera, abrindo verdadeiramente o coração, entre você e Deus... Ele sempre nos escuta e envia seus espíritos de luz para nos auxiliar - muitas vezes nós é que não estamos em sintonia com eles para percebermos. Mas sempre que deixarmos de lado os nossos erros e buscarmos auxílio verdadeiro em Jesus, nós encontraremos.

Pode levar algum tempo para que nos acostumemos a este novo caminho de luz, mas com esforço conseguimos chegar lá.

Gosto muito do capítulo 6 de "o evangelho segundo o espiritismo" - "o Cristo consolador" - ele traz mensagens belíssimas e entre ela esta que transcrevo abaixo, para que você possa ler (vale a pena depois lê-lo todo - certamente será bastante útil para você):

"Deus consola os humildes e dá força aos aflitos que lha pedem. Seu poder cobre a
Terra e, por toda a parte, junto de cada lágrima colocou ele um bálsamo que consola. A
abnegação e o devotamento são uma prece continua e encerram um ensinamento profundo. A
sabedoria humana reside nessas duas palavras. Possam todos os Espíritos sofredores
compreender essa verdade, em vez de clamarem contra suas dores, contra os sofrimentos
morais que neste mundo vos cabem em partilha. Tomai, pois, por divisa estas duas palavras:
devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a
caridade e a humildade vos impõe. O sentimento do dever cumprido vos dará repouso ao
espírito e resignação. O coração bate então melhor, a alma se asserena e o corpo se forra aos
desfalecimentos, por isso que o corpo tanto menos forte se sente, quanto mais profundamente
golpeado é o espírito. - O Espírito de Verdade. (Havre, 1863.)"


Espero ter sido de algum auxílio e, caso necessite, não deixe de entrar em contato.

Paz contigo."

Parabéns mulher...


Neste dia 08 de março deixo aqui minha singela homenagem às mulheres de todos os povos, credos e tempos.

Bem como meu especial muito obrigado e parabéns as preciosas mãe e esposa que sempre estão comigo e com meu filho, nos cuidando, guiando e protegendo com imenso amor e carinho.




Palestra:
Para falar da mulher
Para falar da Mulher
Uma visão espírita, histórica e social.

(clique no nome para baixar o arquivo ou no play para escutar online)



Programa de Rádio:
A Mulher e a Família na visão Espírita
(clique no nome para baixar o arquivo ou no play para escutar online)



Paz com todas vocês.

Oração pelos homens...



Deus de Infinita Bondade!

Perdoa-nos se te pedimos compaixão em favor dos homens, no Plano Físico.

Eles te solicitaram conhecimento superior e abriste-lhes escolas.

Entretanto, em se iluminando pela inteligência, muitos deles apenas procuram destaque dinheiroso com menosprezo aos seus irmãos.

Rogaram-te liberdade e inspiraste-lhes leis justas e sábias,com que senhoreassem a independência, em regime de responsabilidade.

Contudo, muitos deles truncam ou confundem os textos legais para que os mais fortes se façam opressores dos mais fracos.

Insistiram contigo para que lhes desses melhores condições de vida com os familiares e enviaste-lhes os recursos preciosos ao levantamento de habitações confortáveis.

No entanto, posseando semelhantes valores, muitos deles amoleceram na ociosidade e no tédio que se lhes faz conseqüente, entregando os próprios filhos a mãos mercenárias pelas quais são orientados fora de Teu Nome, favorecendo-lhes a deriva para orgulho e viciação.

Suplicaram-te possibilidades de vencer a distancia e o tempo e permitiste-lhes a descoberta de engrenagens que os transportam facilmente de um pólo a outro da Terra.

Eles, porém, já conseguem abordar a própria Lua, sem que muitos deles se disponham a aceitar a mínima ponte de amor para a comunicação com vizinhos e amigos, no intuito de auxiliá-los.

Pediram-te providências que lhes suprimissem a dor e cedeste-lhes os medicamentos de misericórdia, com os quais se confiam sem preocupação aos tratamentos de alivio e cura.

Mas muitos deles desencaminham semelhantes bênçãos, convertendo-as em corredores para a fuga, anulando os talentos da vida no fogo da leviandade e no gelo da delinqüência.

Deus de Infinita Sabedoria1

Os homens na Terra e nós outros, os companheiros de evolução, vinculados ao mundo somos todos irmãos.

As conseqüências dos erros de alguns são as dificuldades de todos.

Compadece-te de nós e não nos deixes perpetrar o delito da ingratidão.

pelo Espírito Meimei
Do livro: Somente Amor
Médium: Francisco Cândido Xavier.

Os sete pecados capitais...


Olá amigos, bom dia!

No domingo passado uma amiga fez uma ótima palestra baseada neste texto abaixo, e achei o texto imensamente interessante e atual.

Vamos todos lê-lo e fazer a nossa autoanálise buscando identificar em nós os nossos próprios defeitos e tomando as atitides que busquem implementar em nós a nossa reforma íntima.

Lembro sempre a questão 919 do LE:
919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e
de resistir à atração do mal?
“Um sábio da antigüidade vo-lo disse:
Conhece-te a ti mesmo.”


Os Sete Pecados Capitais
Autoria desconhecida

Certo dia, um casal ao chegar do trabalho encontrou algumas pessoas dentro de sua casa. Achando que eram ladrões, marido e mulher ficaram assustados; mas um homem forte e saudável, com corpo de halterofilista disse:

- Calma pessoal, nós somos velhos conhecidos e estamos em toda parte do mundo.
- Mas quem são vocês? - pergunta a mulher.
- Eu sou a Preguiça - responde o homem másculo.
- Estamos aqui para que vocês escolham um de nós para sair definitivamente da vida de vocês.
- Como pode você ser a preguiça se tem um corpo de atleta que vive malhando e praticando esportes? - indagou a mulher.
- A preguiça é forte como um touro e pesa toneladas nos ombros dos preguiçosos. Com ela, ninguém pode chegar a ser um vencedor.

Uma mulher velha curvada, com a pele muito enrugada, que mais parecia uma bruxa diz:
- Eu, meus filhos, sou a Luxúria.
- Não é possível! - diz o homem
- Você não pode atrair ninguém com essa feiúra.
- Não há feiúra para a luxúria, queridos. Sou velha porque existo há muito tempo entre os homens. Sou capaz de destruir famílias inteiras, perverter crianças e trazer doenças para todos, até a morte. Sou astuta e posso me disfarçar na mais bela mulher.

E um mau-cheiroso homem, vestindo roupas maltrapilhas, que mais parecia um mendigo, diz:
- Eu sou a Cobiça, por mim muitos já mataram, por mim muitos abandonaram famílias e pátria. Sou tão antigo quanto a Luxúria, mas eu não dependo dela para existir.

- E eu, sou a Gula, diz uma lindíssima mulher com um corpo escultural e cintura finíssima. Seus contornos eram perfeitos, e tudo no corpo dela tinha harmonia de forma e movimentos. Assustam-se os donos da casa, e a mulher diz:
- Sempre imaginei que a gula seria gorda.
- Isso é o que vocês pensam! - responde ela.
- Sou bela e atraente, porque se assim não fosse, seria muito fácil livrarem-se de mim. Minha natureza é delicada, normalmente sou discreta, quem tem a mim não se apercebe, mostro-me sempre disposta a ajudar na busca da luxúria.

Sentado em uma cadeira num canto da casa, um senhor, também velho, mas com o semblante bastante sereno, com voz doce e movimentos suaves, diz:
- Eu sou a Ira. Alguns me conhecem como cólera. Tenho muitos milênios também. Não sou homem, nem mulher, assim como meus companheiros que estão aqui.
- Ira? Parece mais o vovô que todos gostariam de ter! - diz a dona da casa.
- E a grande maioria me tem! - responde o vovô.
- Matam com crueldade, provocam brigas horríveis e destroem cidades quando me aproximo. Sou capaz de eliminar qualquer sentimento diferente de mim, posso estar em qualquer lugar e penetrar nas mais protegidas casas. Pareço calmo e sereno para mostrar-lhes que a Ira pode estar no aparentemente manso. Posso também ficar contido no íntimo das pessoas sem me manifestar, provocando úlceras, câncer e as mais temíveis doenças.

- Eu sou a Inveja. Faço parte da história do homem desde a sua criação, diz uma jovem que ostentava uma coroa de ouro cravada de diamantes, usava braceletes de brilhantes e roupas de fino pano, assemelhando-se a uma princesa rica e poderosa.
- Como inveja, se é rica e bonita e parece ter tudo o que deseja? - diz a mulher da casa.
- Há os que são ricos, os que são poderosos, os que são famosos e os que não são nada disso, mas eu estou entre todos. A inveja surge pelo que não se tem e o que não se tem é a felicidade. Felicidade depende de amor, e isso é o que de mais carece a humanidade... Onde eu estou, está também a Tristeza.

Enquanto os invasores se explicavam, um garoto, que aparentava cerca de cinco a seis anos, brincava pela casa. Sorridente e de aparência inocente, característica das crianças, sua face de delicados traços mostravam a plenitude da jovialidade, olhos vívidos...

- E você, garoto, o que faz junto a esses que parecem ser a personificação do mal?
O garoto responde com um sorriso largo e olhar profundo:
- Eu sou o Orgulho.
- Orgulho? Mas você é apenas uma criança! Tão inocente como todas as outras.
O semblante do garoto tomou um ar de seriedade que assustou o casal, e ele então diz:
- O orgulho é como uma criança mesmo, mostra-se inocente e inofensivo, mas não se enganem, sou tão destrutível quanto todos aqui, quer brincar comigo?

A Preguiça interrompe a conversa e diz:
- Vocês devem escolher quem de nós sairá definitivamente de suas vidas. Queremos uma resposta.

O homem da casa responde:
- Por favor, dêem dez minutos para que possamos pensar. O casal se dirige para seu quarto e lá fazem várias considerações. Dez minutos depois retornam.
- E então? - pergunta a Gula.
- Queremos que o Orgulho saia de nossas vidas.
O garoto olha com um olhar fulminante para o casal, pois queria continuar ali. Porém, respeitando a decisão dirige-se para a saída.
Os outros, em silêncio, iam acompanhando o garoto quando o homem da casa pergunta:
- Ei! Vocês vão embora também?

O Menino, agora com ar severo e com a voz forte de um orador experiente, diz:

- Escolheram que o Orgulho saísse de suas vidas e fizeram a melhor escolha:
- Porque onde não há orgulho, não há Preguiça pois os preguiçosos são aqueles que se orgulham de nada fazerem para viver, não percebendo que na verdade vegetam.
Onde não há orgulho, não há luxúria, pois os luxuriosos têm orgulho de seus corpos e julgam-se merecedores. Onde não há orgulho, não há cobiça pois os cobiçosos têm orgulho das migalhas que possuem, juntando tesouros na terra e invejando a felicidade alheia, não percebendo que na verdade são instrumentos do dinheiro. Onde não há orgulho, não há gula, pois os gulosos se orgulham de suas condições e jamais admitem que o são, arrumam desculpas para justificar a gula, não percebendo que na verdade são marionetes dos desejos. Onde não há orgulho, não há ira, pois os irosos com facilidade destroem aqueles que, segundo o próprio julgamento, não são perfeitos, não percebendo que na verdade sua ira é resultado de suas próprias imperfeições. Onde não há orgulho, não há inveja, pois os invejosos sentem o orgulho ferido ao verem o sucesso alheio seja ele qual for; precisam constantemente superar os demais nas conquistas, não percebendo que na verdade são ferramentas da insegurança. Saíram todos sem olhar para trás.

Lembro agora a questão 745 do LE:
785. Qual o maior obstáculo ao progresso?
O orgulho e o egoísmo.

Paz com todos.

Reportagem da Globo sobre Chico Xavier ...


Pessoal, bom dia!

Esta reportagem abaixo foi relizada pela emissora de TV e apresentada no fantástico quando da morte de Chico Xavier; acredito que muitos já a tenham visto, mas em todo caso aí vai para matar um pouco da saudade:



Escute uma audio_biografia completa sobre Chico Xavier em:
www.radiobomespirito.com

Maiores detalhes e informações sobre o Chico em
www.100anoschicoxavier.com.br

Paz com todos

João

Novos amigos na internet ...

`
Pessoal, bom dia.

Uma novo grupo de amigos entrou em contato para divulgar o blog que colocaram no ar recentemente; fiz uma visita ao espaço deles e achei bastante interessante, vale a pena dar uma olhada. Clique na imagem para fazer a sua visita.



Paz com todos.

Trailer de Nosso Lar - o filme ...


Pessoal, bom dia!

Assim como "Chico Xavier - o filme" (que estréia no dia 02 de abril) este filme que é baseado no livro "Nosso Lar" do espírito André Luiz (pode ser encontrado em www.biblioteca.radiobomespirito.com) estará nas telas em setembro e também parece ser uma ótima produção fiel ao original.

Apreciem o rápido trailer para ter uma pequena idéia:





Maiores detalhes e informações em
www.nossolarofilme.com.br

Paz com todos

João

A Lei de Deus...


A Lei de Deus permite:

Que desfrutemos tantas posses, quantas sejamos capazes de reter honestamente, mas espera estejamos agindo com elas, em benefício dos outros;

Que tenhamos tanta cultura, quanto os recursos da própria inteligência no-lo permitam, mas espera nos empenhemos a convertê-la em realização no bem de todos;

Que sejamos felizes, mas espera busquemos fazer a felicidade dos semelhantes;

Que sejamos amados, mas espera nos transformemos em amor para os nossos irmãos;

Que solucionemos as nossas necessidades, mas espera que não venhamos a prejudicar ninguém, no campo dos deveres em que nos achamos comprometidos;

Que sejamos desculpados em nossas faltas, mas espera que perdoemos sem condições as ofensas que se nos façam;

Que usufruamos os bens do Universo, mas espera nos mostremos prontos a reparti-los sempre que necessário;

Que se pense ou fale mal de nós, tanto quanto se queira nos círculos de nossa convivência, mas espera nos devotemos a guardar a consciência tranqüila;

Que erremos, em nossa condição de almas imperfeitas ainda, mas espera que na base de nossos fracassos permaneça brilhando a luz da boa intenção;

Enfim, a Lei de Deus permite sejamos quem somos, mas nos apóia ou desapoia, abate ou exalta, corrige ou favorece pelo que somos, através do que fazemos de nós, porque Deus não cogita daquilo que parece, mas daquilo que é.

pelo Espírito Albino Teixeira
Do livro: Caminho Espírita
Médium: Francisco Cândido Xavier.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...