Mensagem dos amigos espirituais e perguntas sobre a Cheia em Palmares(PE)



Leitura pública da Mensagem recebida em reunião mediúnica contendo esclarecimentos dados pela espiritualidade da casa sobre a Cheia em Palmares(PE) e
Perguntas e Observações sobre o fato.


Proferida no Grupo Espírita Obreiros da Caridade- Palmares - PE
(clique no nome para baixar o arquivo ou no play para escutar online)




Segue abaixo a mensagem transcrita:

"Boa noite,

Como estamos somente nós aqui tomo a liberdade de interferir na psicografia e de adiantar a parte da psicofonia, para que possamos atender às necessidades da noite.

Muito se perdeu nesta cidade com esta catástrofe, porém muito se ganhou também. Muitas perguntas foram feitas, inclusive por membros desta casa, sobre merecimento, necessidade e coisas assim.

É importante que nós saibamos, e continuemos com o esclarecimento da doutrina espírita, que nada acontece sem que haja a permissão do criador. Devemos, porém, compreender: a permissão do criador nem sempre é a vontade do criador.

Desta forma atos de nosso passado , coisas que fizemos, situações em que atuamos, nos trouxeram a esta cidade nos dias de hoje para que possamos juntos resgatar alguns dos nossos compromissos.

Muita gente se pergunta: se os espíritos sabem do que vai acontecer, porque não avisam? Porque não avisar a aqueles que trabalham nas casas para que pudessem ser salvas algumas coisas? Essa pergunta se torna sem sentido, porque ela mesma se responde.

Acaso os espíritos trabalhadores dessa e de outras casas tivessem avisado aos trabalhadores aqui presentes e aos ausentes, seria sem sentido toda esta movimentação da natureza; porque todos teriam salvo aquilo que podiam salvar e não teriam passado pela necessidade que precisavam. Não teriam sofrido, não teriam reagido, não teriam passado aquilo que precisávamos passar nesse momento.

A espiritualidade sabia o que ia acontecer. Isso não é um erro, isso é uma certeza.

A espiritualidade sabia o que ia acontecer, mas não podia avisar a ninguém; para que cada um agisse de acordo com seu livre-arbítrio. Para que cada um passasse por aqueles momentos de mágoa, de dor, de desespero, de desamor, de egoísmo... de esperança, de união, de amor, de trabalho, de reconstrução... ,

A espiritualidade sabia tudo o que ia acontecer, mas era necessário que aqueles encarnados aqui na cidade dos palmares passassem por esta provação.

Para que cada um, no seu íntimo, no seu coração, para que cada um pudesse então deixar aflorar aquilo que tem dentro de si. E nesse momento é onde existe a separação do joio e do trigo, minha irmã.

A espiritualidade não abandona as casas, não abandona os trabalhadores, por mais que alguns trabalhadores possam pensar assim. Não é isso que acontece. Mas temos responsabilidades maiores; e uma destas responsabilidades é deixar a vida seguir seu curso.

É deixar que cada um daqueles que estão encarnados aqui nesta cidade, aqui nesta casa, siga seu caminho individual; não podemos – nem devemos – interferir em nada.

Cada um tem suas escolhas a fazer. Cada um tem a sua carga a alijar ou a aumentar, de acordo com as suas escolhas.

Por este motivo a espiritualidade faz o silêncio em momentos como esse. Embora,em muitas mensagens anteriores tivéssemos avisado para trabalhar pelos que vão sofrer, para trabalhar pelos que tem menos, para trabalhar pelos que precisavam; sempre avisamos e o momento chegou.

Alguns de nós aproveitaram esta oportunidade, outros de nós ainda precisam de outras oportunidades; mas não cabe a nenhum de nós julgar; não cabe a nenhum de nós dizer o que é certo ou o que é errado, pois cada um tem o seu momento. Cada um tem o seu caminho. Cada um tem a sua escolha.

Trabalhem, meus irmãos, trabalhem pelo amor, trabalhem em nome de Jesus, trabalhem por aqueles que sofrem mais.

Orem, orem por força, por fé, orem por vontade; orem para que possamos diminuir a carga fluídica tão pesada que emana ainda nesta cidade.

Peçam auxílio aos bons espíritos do Senhor; àqueles que são muito maiores do que cada um de nós. Peçam auxílio a Jesus, peçam forças, peçam sabedoria; sabedoria para escolher bem.

Por estes motivos, e eu espero que tenham ficado bastante claros, a espiritualidade faz silêncio em determinados momentos. Mas isso não significa que não estejamos ao lado de todos vocês.

Não significa que não estivéssemos segurando nas mãos daqueles que precisavam; nem aliviando o desespero daqueles que necessitavam. Não significa que, à noite, aqueles que trabalhavam não recebiam a energia restauradora para trabalhar no dia seguinte.

Não significa que vocês, meus irmãos, estavam abandonados. Não.

Nós nunca estamos sós, principalmente os trabalhadores desta casa, nunca estamos sós. Muitas vezes nos isolamos dentro de nós mesmos e não buscamos aqueles que estão conosco, infelizmente.

Fiquem com deus meus irmãos e que Jesus nos abençoe a todos."



Um comentário:

Socorro Melo disse...

João,

Uma mensagem de conforto, e de exortação, certamente.
É muito bom saber que não estamos sozinhos, e que tudo que vivenciarmos nessa vida, tem uma causa, originada pelas nossas próprias ações.

Socorro Melo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...