Aborto e arrependimento - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí através do nosso formulário "Entre em contato" as seguintes perguntas, às quais enviei a resposta que segue abaixo:


"...Boa tarde João!!
É muito bom poder entrar em contato com vc,tenho 28 anos agora, quando tinha 17 anos engravidei e muito relutei com minha familia para poder ter esse filho,depois de muitas conturbações consegui vencer os meu pais e graças a deus tive meu filho que hj tem 10 anos,casei com o pai dele mas não obtive susesso,assim que me separei aos 19 anos conheci logo depois outra pessoa com que me relacionei e engravidei,por vários motivos ,tanto pela minha familia com o atual com qual me relacionava,quando estava com 2 meses e meio provoquei o aborto tomando comprimidos abortivos, não senti muitas dores e na madrugada quando fui ao banheiro vi um feto do tamanho minusculo, com dois pontinhos pretos que seriam os olhos, todo formadinho,chorei muito e passou,não cheguei a ir a hospital nem nada,após um pequeno periodo engravidei de novo,e começei a lutar muito pra que as pessoas da minha familia me ajudassem,mas minha mãe que criava o meu primeiro filho relutou,e não aceitou e na época tb tava tentando restruturar meus estudos,eu e a pessoa com quem eu estava chamado john não queriamos tirar mais uma vez o bebe, mas as criticas e sugestões da familia acabaram nos vençendo,e optamos pelo o aborto mais uma vez, mas dessa vez minha gravidez já estava mais avançada,já estava com quase 4 meses,compramos os remedios(cetotec)e tomei no final da noite,passei a noite aparentemente bem, não sentia muita coisa.no outro dia mais ou menos as 9 da manha fui ao banheiro e senti que a bolsa havia estourado, me desesperei,ficamos no banheiro (eu e meu parceiro) quando senti que alguma coisa descia,foi horrivel! vi o feto do meu bebe descendo e ele ficou empendurado pelo cordão em mim,e eu não sabia o que fazer,gritava e meu namorado(na época) também,não conseguia olhar pra baixo, mas na hora que consegui olhar vi que se mexia,ja era grandinho,tava todo formado,fui para o hospital e lá fizeram a coretagem...me marcou muito e sofro demais com isso até hj, depois desse ocorrido engravidei de novo de outro menino,e ele chama-se________hoje ele já tem 4 anos e graças a deus é saudavél e lindo,mas liguei e não posso ter mais filhos. Mais sofro demais por esses acontecimentos,hj leio muitos livros espiritas a respeito desses casos,e queria muito fazer alguma coisa pra que esses meus graves crimes não me façam sofrer tanto,e nem a essas crianças que tirei o direito de viver,queria muito reve-los pedi perdão,pois sofro muito arrependida.quando leio os livros e vejo o tamanho sofrimento que ocasionei nesses espiritos sofro demais,e quem sabe seria uma menina que tanto quis ter e agora já não posso mais.Bem é mais ou menos isso queria que vc me ajudasse...tenho outras duvidas de sonhos que tenho com minha morte...mas deixemos vc esclarescer esse primeiro momento, depois tiro mais duvidas! queria muito saber como esses espiritos que abortei estão hoje em dia,queria ve-los , pedi perdão, saber se algum deles reencarnou no meu filho de 4 anos...analise minha historia,espero anciosamente sua resposta!
Obrigado mesmo...."


"Prezada ________________, bom dia.

Mesmo dentro de minhas limitações posso sentir a sinceridade em suas palavras e verificar o verdadeiro desejo de reparar os erros cometidos no passado. Acredito, inclusive, que este seja o primeiro e mais difícil passo para conseguir tal intento: reconhecer o erro.

Esta consciencia do erro gera, em nossa consciencia, um sentimento que pode se transformar em um grande aliado ou em um grande mal, o arrependimento.

Allan Kardec nos coloca sabiamente em "o Céu e o Inferno" o seguinte texto:
“o arrependimento, conquanto seja o primeiro passo para a regeneração, não basta por si só; são precisas a expiação e a reparação. (...) Arrependimento, expiação e reparação constituem, portanto, as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta e suas conseqüências” (1 a parte, cap. VII, item 16).

Se apenas ficarmos sentindo o arrependimento e deixarmos que ele nos consuma através da culpa, remorso e depressão, estaremos entrando em um processo auto-destrutivo que poderá nos levar a caminhos de difícil retorno em nossa psique. Segundo Joanna de Ângelis"o sentimento de culpa paralisa as nossas capacidades de trabalho" em prol da recuperação nossa e do nosso próximo, por este motivo sempre que percebermos que estamos entrando neste processo prejudicial devemos lutar com todas as forças para nos afastarmos dele, inclusive solicitando auxílio, quando necessário, a medicina, clínica e análises.

Por outro lado, como afirma Kardec, quando o arrependimento vem acompanhado de uma expiação saudável (sentimentos de remorso porém sem culpa paralisante) ele dá forças para que o indivíduo busque uma reparação do que errou - e acredito que este seja o local onde você se encontra, minha irmã.

Você realizou um erro e isto é um fato; mas existem os atenuantes que você era bastante jovem e não compreendia as leis divinas com hoje compreende. Além disso você continua jovem, saudável e, mais importante, disposta a reparar o erro cometido.

Embora muitas pessoas afirmem que apenas reparamos, ou resgatamos, nossos erros em outras encarnações eu discordo disso! acho que é totalmente possível iniciarmos o processo de resgate e reparação aqui e agora. Podemos ler muito sobre isso nas questões 990 a 1002 de "o livro dos espíritos", das quais destaco abaixo a seguinte:
"992. Qual é a conseqüência do arrependimento no estado corpóreo? — Adiantar-se ainda na vida presente, se houver tempo para reparação das faltas. Quando a consciência reprova e mostra uma imperfeição, sempre se pode melhorar."

A reparação, neste seu caso, que pode (e deve) ser realizada é aquela que vá auxiliar e amparar os que nasceram e não tem mães presentes, tanto quanto as mães que não tem filhos; doe seu tempo, atenção e carinho aos filhos que necessitam dele, os filhos que você nunca teve. Este é o melhor remédio para a dor que neste momento te corrói por dentro.

Busque se envolver em trabalhos assistenciais e de amparo a orfanatos, creches, hospitais e coisas assim. dê aos filhos que não tem mães o carinho que você não pode dar aos filhos que não teve, e assim você estará reparando os erros que tenha cometido utilizando, nas palavras do apóstolo Pedro, "o amor que cobre a multidão dos pecados".

Se me permite um comentário simples e direto, sem querer ofender, deixe de lado a leitura e passe a ação - dirigida aos que realmente necessitam.

Você ainda pergunta se algum destes espíritos pode ter reencarnado como seu filho, que hojte conta com 4 anos, e a resposta é positiva. PODE ter havido esta felicidade em sua vida, de um dos espíritos que foi abortado ter tido sucesso nesta tentativa; assim com pode, nos dois abortos, ter sido o mesmo espírito; mas é importante lembrar que são apenas possibildades e que nada é 100% confirmado em casos como este, a não ser que recebamso informações da espiritualidade maior sobre isso.

De qualquer forma, independente de quem tenha reencarnado ou não, busque sempre orar por estes espíritos, para que eles recebam os seus fluidos de amor e carinho, percebendo a sua tristeza e arrependimento pelo ocorrido. isto será de grande importancia para eles e para você.

Faça da oração sua companheira e coloque seus sentimentos mais elevados nela. Nada de culpa ou remorso - tristeza sim, pelos erros cometidos - mas encha-a de amor, carinho, esperança e fé.

Vou ficando por aqui, minha irmã, espero ter sido de alguma valia. Caso necessite entre em contato.

Paz contigo."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...