Reencarne de suicida, caridade e espíritos libertos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí através do nosso formulário "Entre em contato" a seguinte pergunta, para a qual a resposta segue abaixo:

"... Caro irmão, sabeis que sou novo no aprendizado que o Codificador nos deixou, por isso, às vezes, sugem em dúvidas pelo meu parco conecimento na leitura do Evangelho.
Estive pensando em duas questões que não obtive resposta e também não tive coragem de questionar a alguém no Centro em que frequento:

Lembro-me de uma passagem, no livro As Vidas de Chico, em que uma mulher mostra-lhe uma criança sem as pernas e sem os braços. A mulher parece questionar o porquê daque ser nascer assim. Segundo o Livro Chico teria dito que aqule ser em outras vidas teria cometido suicídios e desta vez quis a justiça divina ou o proprio ser que vinhece assim para pagar pelos erros e debitos adquiridos em vidas passadas. Meu amigo, confesso-lhe que essa explicação me entristeceu, porém não é essa minha dúvida. Pergunto-te. Quando nos oferecemos a cuidar de um leproso ou de um ser que se arrasta pelo chão por não ter cadeira de rodas não estaríamos interferindo na sua salvação já que aqule estágio é nescessário que passe para ter redimidos os seus erros anteriores? Doar um cobertor a um pobre ancião que morre de frio em um casebre seria fazer uma caridade ou uma interferência já que aqule espírito escolheu aqule lugar e aquela vida de penúria para resgatar suas dívidas?

Outra dúvida é a seguinte:
400 O Espírito encarnado permanece espontaneamente no corpo?
– É como perguntar se o prisioneiro se alegra com a prisão. O Espírito encarnado aspira sem cessar à libertação, e quanto mais o corpo for grosseiro, mais deseja desembaraçar-se dele.
A questão 400 do Livro dos Espíritos nos mostra uma resposta intrigante. Nos diz que o espírito encarnado aspira sem cessar à libertação, ou seja, o desencarne para o espírito é ver-se livre daquele corpo. Entretanto Livros psicografados nos mostra que muitos se mantem apegado ao seu corpo material ( caso de André Luiz ), portanto a respoosta do espírito a Allan Kardec foi muito genérica. Pois nem todos veem o corpo como uma prisão e tão pouco sonha ou anseia deixá-lo.
Perdoe-me, minha ignorância, meu irmão. Só escrevi porque te acho um ser de luz e que podes muito me ajudar.
Deus de ilumine e te abençõe...."



"Olá ______________, bom dia.

Obrigado pelo seu carinho e consideração mas a luz que em mim habita é apenas uma pequena vela que se abala e pode ser apagada ao menor sopro... Somos todos espíritos envoltos ainda em sofrimento e trevas que estudam o melhor caminho a trilhar, aprendendo com os exemplos de Jesus - o verdadeiro sol de nossas vidas.

Faz algum tempo que lí "as vidas de chico xavier" mas, pelo que me lembro, o espírito retornou neste corpo limitado pois em suas últimas encarnações ele havia cometido suicídio em TODAS elas, inclusive em encarnações onde tinha limitações físicas também, assim, por misericórdia - e não para que ele pague débitos - a justiça divina compulsoriamente o colocou em um corpo onde necessariamente ele irá terminar a encarnação reparadora, eliminando assim alguns de seus resgates e abrindo a oportunidade para outras encarnações reparadoras, quebrando o ciclo de suicídios, compreende?

Temos, na maioria das vezes, uma idéia errada quando pensamos e "débito" e "pagamento", isto nos dá a impressão que a vida está nos impondo/punindo por algo que não merecemos; enquanto que o que realmente acontece é a inevitável causa e efeito - desequilibramos a balança de nossa existencia e o equilíbrio vem automaticamente, mais cedo ou mais tarde, de forma a nos livrar daquela desarmonia; Este equilíbrio pode vir sob a forma de sofrimento - como é a maioria das vezes - mas quando isto acontece é porque ainda não aprendemos a nos equilibrarmos através do amor e do trabalho no bem.

Jesus tem uma passagem linda que nos esclarece o seguinte em Mateus 25:34,40 "... Vinde, benditos de meu Pai... porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes; estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me...Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes..."

Perceba que Jesus nos exorta que a caridade e o amor aos que sofrem devem ser o nossa função neste mundo. aí me pergunto: será que ele não sabia da necessidade da reencarnação nem dos resgates que precisamos passar? e me respondo: SIM! claro que sabia. Tanto sabia que tinha a consciencia que as necessidades de reparação do espírito reencarnado são muitas e os sofrimentos pelos quais temos que passar são os mais diversos - nós necessitamos deste efeito "escola" - porém em canto nenhum está escrito que seja proibido auxiliar o que sofre. Ao contrário, ajudar os que sofrem foi somente o que o Mestre fez.

Nossos resgates pessoais não são pedra de tropeço para os nossos próximos, são instrumentos que Deus dá às pessoas como oportunidades para que eles evoluam e aprendar a compartilhar e auxiliar, realizando assim a lei de amor através da caridade. O cobertor ou a comida, o remédio ou a água são as portas da caridade se abrindo para os que a realizam e o bálsamo benfeitor para os que recebem - o resgate destes é a própria vida de limitações e sofrimentos diversos, quando auxliamos estamos aliviando por pequenos momentos as dores de quem necessita mais do que nós.

Desta forma estamos todos encadeados em uma imensa teia vida onde podemos auxiliar e ser auxiliados mutuamente, crescendo e aprendendo de forma constante. Porém, para aqueles que muitas vezes não aceitam a sua situação e utilizam-se da revolta e do desamor para se prejudicar ainda mais, o caminho é mais longo - embora não estejam proibidos de serem auxiliados, compreende?

No estudo da codificação é importante sempre que contextualizemos o que estamos lendo nos seguintes aspectos:
- foi escrita há 153 anos, portanto a noção de mundo e de realidade que havia naquela época tem que ser levada em conta
- foram espíritos evangelizados que a ditaram, e estes espíritos já "libertos" dos laços mais grosseiros tem uma visão mais ampla e evoluida das coisas
- necessário nos é compreender o "espírito" do texto e não nos apegarmos à "letra", assim estaremos sempre com a compreensão dos ensinamentos e não apenas com as palavras ensinadas.

Todos somos espíritos que estão encarnados provisoriamente. não "SOMOS" fulano, "ESTAMOS" fulano; então é importante perceber que a nossa real vida não é a(s) que vivemos na Terra hoje ou ontem, nem amanhã; mas a que nos aguarda no mundo espiritual.

Neste sentido somos todos como pássaros engaiolados em corpos pesados e limitados, trabalhando e aguardando pela nossa libertação para um mundo de maior felicidade e harmonia. - neste processo, que se inicia desde a criação "simples e ignorante" é natural que passemos pelos diversos estágios até atingirmos o estágio que os espíritos da codificação estavam àqueles dias.

Na Terra, planeta de provas e expiações, é natural que tenhamos mais espíritos ainda muito imperfeitos e, por isso mesmo, pouco conscientes do processo evolutivo. Em nosso atual estágio ainda estamos mais "agarrados" às sensações e desejos materiais do que às possibilidades do ser eterno, compreende?

Perceba que, hoje, este tipo de espírito, representa a grande maioria da massa espiritual da Terra, sem entretando representar todos. Estes que ainda estão ligados mais à matéria do que ao espírito são os que, mesmo desencarnados, desejam retornar à carne e sentir novamente os "prazeres" que esta oferece.

Na criação da codificação Espírita vamos encontrar poucas vezes comunicações deste tipo de espírito - algumas em "o livro dos médiuns" e outras no "Céu e inferno" segunda parte - e sempre com o intuido de nos mostrar os perigos e consequencias das escolhas erradas.

André Luiz em sua obra vem, de maneira extraordinária, nos abrir uma visão mais ampla e contemporânea do que não havia sido esclarecido pela codificação ao seu tempo. Estas obras - muitas vezes chamadas de complementares devido a sua importancia - revelam diversas ocasiões e situações que, se hoje encaramos e aceitamos como normais, quando foram escritas, por volta de 1945, chocaram muitos.

Mas mesmo esta escalada lenta e ascencional do conhecimento espiritual já havia sido orientado por Jesus quanto relatou em João 16:12-13 " Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras." - esta é a "missão" do espiritismo hoje: esclarecer o homem para que, mais conscientizado de seus deveres e obrigações, melhore a sí mesmo gradativamente, buscando a perfeição relativa que podemos alcançar.

Espero ter sido claro em minhas colocações e qualquer dúvida não deixe de entrar em contato.

Paz contigo."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...