Amigo Imaginário - Perguntas dos amigos...


Queridos amigos, bom dia.

Recebí através do nosso formulário "Entre em contato" a seguinte pergunta, para a qual a resposta segue abaixo:

"... Ola, gostaria que nos esclarecesse sobre como distinguir um amigo imaginario infantil de um problema de carater... Pois conheço uma garota de 8 anos de idade que se diz estar constatemente acompanhada de uma amiga "imaginaria" que lhe incita a fazer coisas negativas, ex: vingança, xingamentos, entre outros. ..."


"Prezada ____________, bom dia.

É necessário que antes de mais nada percebamos algumas coisas em relação ao que você relata:

- como é a vida pessoal desta criança?
- família problemática?
- dificuldades de relacionamento?
- dificuldades na escola?
- como ela se comporta quando o amigo imaginário não está por perto?

Digo isso porque existem, ao meu entender, duas abordagens que se possa tentar neste caso, mas vai depender de qual realmente seja o caso.

Para verificar a "veracidade" deste amigo imaginário acho interessante que, em dias, locais e horas diferentes seja perguntado a esta criança detalhes do amigo - em uma conversa casual, sem forçar nada - tipo; como ele é? parece com quem? qual a roupa? ele está aonde? qual a altura? é bonito ou feio? ele está aqui agora(principalmente quando ela estiver bem)? e coisas que possam ser modificadas as respostas de acordo com o local, humor e compreensão da criança.

Caso estas respostas, após algumas semanas de pesquisa apresentem sempre as mesmas respostas PODE ser um indício de influencia espiritual e que deverá ser tratada convenientemente.

Caso as respostas apresentem diferenças entre sí - em momentos, locais ou dias diferentes - pode indicar uma patologia psicológica que também deverá ser acompanhada por um profissional da área.

Perceba que na idade que você relata (8 anos) a psicologia orienta que a criança já passou do perído da fantasia/mágico para o período concreto - o que significa que a presença de um amigo imaginário até os 6 anos é normal - é a fantasia - e após os 7 já não é mais porque a criança já tem a noção de realidade suficiente para identificar o que é real e o que não é.

Então, caso seja identificado um problema psicológico - representado por uma fantasia ou uma mentira - isto pode representar que esta criança criou este mecanismo de "fuga" para poder se livrar da responsabilidade de atos ruins - perceba que ela sabe que os atos são errados e por isso coloca a culpa no "amigo". Este fato deve então ser observao e analisado por um psicólogo e tratado convenientemente.

Por outro lado, nesta idade de 8 anos, como já tem a noção do que é concreto e do que é imaginário, e caso seja desmistificado - através de pesquisa - o fator de fuga psicológica, é importante que se busque uma causa espiritual para o processo.

Neste caso é interessante buscar uma casa espírita séria e fazer uma consulta para identificar possíveis obsessores atuando na casa e, ao mesmo tempo, procurar melhorar a psicosfera da casa por meio da prática do evangelho no lar e de mudança de comportamento dos habitantes - pois normalmente para que haja obsessão é necessário sintonia por parte dos encarnados.

Não sei o quanto você tem intimidade com os pais da criança ou qual a religião deles, mas em se tratando de influencia espiritual na criança é imprescindível que se busque auxílio espiritual em um centro - já conhecí alguns casos desta monta e é importante que se interrompa o processo o quanto antes.

Perceba, entretanto, que a primeira ação a ser tomada é identificar a origem do processo; durante isto, porém, não faz mal buscar a prática de ações mais harmoniosas na residência e nem colocar a criança em uma evangelização infantil para que já receba orientações sobre Jesus e a espiritualidade.

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...