Influencias e Pânico, Sentir o que um espírito sente, Sonambulismo e Álcool


Queridos amigos, bom dia.

Após alguns dias sem atualizar o blog finalmente tive a oportunidade de reuniar algumas perquntas que recebí através do nosso formulário "Entre em contato" a seguinte pergunta, para a qual as respostas seguem abaixo:

"...João, querido orientador.
Como sempre sua análise aos nossos questionamentos agrega conhecimentos, esperança e renovação de forças diante dos embates que as provas e expiações apresentam em nossa encarnação recente.

Pela segunda vez venho pedir sua opinião sobre a melhor forma de ajudar minha esposa. Não tenho condições de afirmar, mas acho que ela tem mediunidade. Ela nunca desejou aprofundar-se na doutrina, ela é um pouco cética embora frequentasse a casa espírita. Isso me lembra do Cap. 7 do ESSE, item 10... Talvez seu coração ainda não consiga sentir, e nem seu espírito entender. É esquisito dizer isso, uma vez que ela frequentou a casa por alguns anos e foi ela inclusive quem me levou para essa casa, onde hoje estou tentando aprender a doutrina e ser servir a Jesus. Acontece que agora a situação está mais complicada, pois ela por força de estudo, desemprego e amparo a mãe idosa, não está frequentando a casa e tão pouco procura usar os recursos para manter sua harmonia.
Hoje, também por conta de a situação aflitivas que estamos vivendo, tipo tiroteio constantes na comunidade, invasão de casa por seres à margem da lei, entre outras, acabou ocasionando pânico nela. Qualquer barulho ocasiona temor. Ela não consegue relaxar. Precisamos medicá-la um tempo para dormir.
Mas agora, a situação está pior. Principalmente à noite, pois ela está vendo muito vulto, sendo que uma noite ela acordou assustada, e após acalmá-la disse-me ela que via o espírito tentando estrangulá-la. Consequencia imediata: inflamação na garganta, já tratada.
Fazemos o Evangelho no lar aos domingos. Ela a maior parte das vezes, senta na cadeira e apaga. Direciono oração pra Jesus e peço que Ele seja o dirigente e afirmo que é uma reunião familiar onde estamos conhecendo a palavra do Mestre, e que ali não é lugar para manifestação e peço aos anjos guardiões que nos envolva e permita desenvolver a reunião em paz. Dou-lhe um pouco de água fluidificada e assim conseguimos terminar.
Finalizando, agora, está com medo de dormir. Estou colocando-a para ler páginas edificantes, espero ela fazer sua oração, faço uma oração, e espero ela dormir, mas essa noite, em função do desespero dela, reconheço que ultrapassei um limite. Pedi perdão a Jesus e tive que orar e aplicar um passe nela. Foi automático, terminada a oração, ela deitou e dormiu direto até de manhã. Entenda que como somos marido e mulher, acho que não deveria, mas qual recurso deveria usar numa situação dessas ocorrendo por volta de 01h00minh?
Amigo, estamos fazendo oração na sala de doutrinação. Muito depende dela, bem sei sair dessa situação, mas não consigo ficar em paz sabendo que minha companheira está nessa situação e toda opção possível tentarei. Até mesmo deixar meu trabalho de atendente fraterno para fazer um tratamento por ela. Gostaria de contar com sua opinião a respeito, sobre a situação.
Obrigado por sua atenção e carinho por todos nós. Que os Mentores Espirituais derramem benção de luz, saúde e paz sobre você e sua família...."


"
Prezado ______________, bom dia.

Desculpe pela demora em responder sua mensagem, mas estive fora alguns dias e não dispunha de oportunidade para responder os emails, estou ainda atualizando a "correspondencia".

Ao que me parece, pelo seu relato, estamos diante de um caso clássico de obsessão - evidenciado pela influencia que sua esposa está sofrendo. Porém acredito que devamos tomar o cuidado de fazer algumas observações sobre o caso, de forma a tentar esclarecer mais o processo e buscar uma possível solução.

Em "o livro dos espíritos", questão 468, encontraremos a afirmação que os espíritos que nos influenciam negativamente "ficam à espreita de um momento propício, como o gato que tocaia o rato" - e convenhamos que eles tem muito mais facilidade de fazer isto que nós de nos vigiarmos e harmonizarmos todo o tempo.

Desta forma a depressão e o pânico tem sido alguns dos principais fatores,inclusive clinicamente identificados, gerados pela influencia das entidades em sofrimento. Como você tão bem colocou a nossa própria falta de harmonia contribui para que estes fatores aconteçam, mas não devemos esquecer que "combatemos" inimigos invisíveis e incansaveis, assim a responsabilidade não é tão somente dela e não é tão fácil quanto se deseje vencer estes processos depois de instalados, compreende?

É certo que a presença dela em um centro para que possa receber as boas influencias é indispensável e, inclusive, acredito que o fato dela "apagar" durante o seu evangelho já demonstra que as entidades sofredoras não desejam que ela participe de ocasiões de melhoramento, emitindo energias e fazendo-a dormir para que não escute ou debata o evangelho; em casos como este acho mais viável que a pessoa participe do evangelho em pé, tomando um copo com água previamente fluidificada (pode ser no centro mesmo) e que faça leituras em voz alta, para ativar o organismo e lutar contra a influencia espiritual.

Outro ponto a ser considerado é que este processo pode estar sendo efetuado nela com intenção de abalar você, devido ao seu trabalho no centro. Muitas vezes nossos entes queridos são alvo de influencias visando nos prejudicar e abrirmos nossa "guarda". Mas isto não significa que eles são vítimas inocentes - Kardec sempre nos avisa que a semente só brota em terreno propício, então quer dizer que eles também tem sintonia com o que recebem, ou não estariam afetados pelo fluido deletério.

O fato de você desejar sair dos trabalhos pode ser exatamente o que desejam - perceba que você auxilia sua cunhada, agora sua esposa e outras pessoas em seu trabalho no centro. Acho contraproducente que você deixe seu trabalho, ao contrário é de muito mais valia que consiga envolvê-la em algum destes trabalhos de forma a manter sua mente ocupada e sintonizada com outras atividades - que não sejam preocupações.

Outro fator a observar é o tratamento que você deseja fazer por ela - eu particularmente não concordo com isso, pois acredito que o doente é que tem que tomar o remédio... se não for assim vão-se os sintomas mas a doença continua, compreende? Mas todo esforço para aliviar o processo em pauta e auxiliar sua esposa é válido, então se achar que deve, faça.

Uma opção bastante interessante é procurar o auxílio de um especialista em psicologia clínica, pois o pânico já é uma doença tratável clinicamente e este processo pode ser de grande auxílio para combater a influencia espiritual, eliminando as características fisiológicas e fortalecendo o organismo para que possa lutar contra a influencia espiritual.

Não devemos esquecer que espiritismo também é ciencia e que a maioria dos processos obssessivos gera também efeitos psicosomáticos que devem ser amparados com o auxílio da medicina.

O melhor a fazer é buscar envolver sua esposa em ocupações de cunho producente na casa espírita - serviço social, distribuição de sopa, campanha do quilo, visitas, etc. para que ela possa quebrar a sintonia que já está existindo com os espiritos sofredores e abrir as portas mentais para a influencia benéfica dos amigos espirituais.

O tratamento espiritual é imprescindível neste caso e a participação ativa dela deve ser solicitada.

Leituras e estudos devem continuar sendo realizados no lar de forma a harmonizar mais a psicosfera do local e fortalecer o conheciemento de cada um.

Lembre-se que a melhor opção é buscar auxílio no grupo - o poder do grupo nunca deve ser esquecido - pois normalmente somos pequenos para enfrentar algumas situações sozinhos.

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo."

"... Olá,eu nao acreditava no espiritismo,mas no dia ___/____/____,meu irmao foi assasinado com 29 tiros,sendo q 5 foram no rosto,as 8:20 da noite mais ou menos,acontece q neste horario eu estava no computador,do nada eu tive uma sensaçao de dor termenda embaixo do meu olho direito,seguida por um gosto muito forte de sangue na boca q quase me sufocou como se eu tivesse engasgando com o sangue,foi tao forte q eu cai em sono profundo sendo acorda cerca de 2 hrs depois com a noticia da morte dele,surpresa mesmo eu fiquei cerca de um mes depois ao saber q dos 29 tiros q ele levou o q foi fatal foi o q ele levou embaixo do olho direito,q causou tambem o afogamento pelo sangue e a hr aproximada da morte q era 8:20 da noite.quando eu contei pra algumas pessoas me disseram q foi pq ele antes de morrer entrou em telepatia comigo,mas desde de este dia eu tenho muita dor embaixo do meu olho e falta de ar,como sou asmatica falam q é a doença,mas faziam anos q minha asma estava controlada,voltei a tomar os medicamentos mas mesmo assim nao passa,sera q vcs poderiam me ajudar?obrigada...."

"Prezada ________________, bom dia.

Primeiramente peço perdão pela demora em responder seu questionamento, mas estive viajando nestes últimos dias e não dispunha de oportunidades para acessar a internet e responder aos amigos.

Pelo que você relata do ocorrido ao seu irmão e das sensações que você teve acredito que seja provável o acontecimento de duas hipóteses:
- a espiritualidade transmitiu a você os fluidos necessários para "perceber"o que estava acontecendo e te desdobrou - por isso você perdeu a consciencia - para que pudesse auxiliar os eu irmão no momento do desencarne - provavelmente acalmando-o após o processo traumático que passou.
- ao desencarnar o seu irmão "instintivamente" se transportou em espírito para junto de você e, como não tem o conhecimento necessário para evitar, transmitiu todo o sofrimento dele para você em uma descarga fluidica que provocou um "choque" te deixando desacordada por algum tempo.

Ambas estas possibildiades são muito comuns em casos de desencarne; seja para que o espírito possa ser acalmado um pouco ou pela proximidade de sentimentos do espírito por uma pessoa encarnada. Existem inclusive vários relatos de pessoas que ao desencarnarem foram se despedir de familiares à distância.

Perceba que estes fatos não são preocupantes e são ocorrencias naturais de transmissão de fluidos; Porém a dor que você relata e a sensação de falta de ar são fatores que necessitam de uma observação mais atenta.

Uma vez que estejam descartadas as possibilidades físicas/clínicas de algo errado com seu corpo, estes sintomas podem indicar a presença de seu irmão ao seu lado - transferindo para você os fluidos deletérios que ele ainda carrega.

Neste caso pode significar que ele não aceitou o auxílio dos espíritos socorristas e que se "agarrou" a você por sintonia e sentimentos.

Esta presença dele vai ser prejudicial a você pois poderá acarretar, se já não está, sensações desagradáveis, tristezas, depressões ou agressividade e coisas assim. Isto será fruto da infliuencia do espírito em desequilíbrio sobre o seu.

O mais indicado é que você procure uma casa espírita séria e busque fazer uma consulta espiritual - a qual indicará um tratamento para que ele possa ser auxiliado, se for necessário.

De qualquer forma, mesmo antes de inciar o tratamento você poderá utilizar mais a oração em sua vida, especialmente com intenção dele e, inclusive, conversar com ele para acalmá-lo e enviar energias equilibradas que certamente farão muito bem ao espírito desencarnado.

A Doutrina Espírita nos esclarece que todas as nossas vibrações em benefício dos nossos entes queridos são sentidas e representam um alívio muito grande para o espírito em sofrimento.

Leia também mensagens e passagens do evangelho em voz alta e direcione seus melhores pensamentos para ele, isto certamente irá auxiliá-lo a encontrar o caminho par a regeneração mais rapidamente.

Espero ter sido e alguma ajuda.

paz contigo."

"...todas as noites, o meu marido conversa a noite toda, assuntos estranhos,no centro espirita que frequentamos identificou ele como medium falante, meu marido tem medo e não quer colocar em pratica, ele pode ser prejudicado; agaurdo resposta...."

"Prezada ___________, bom dia.

Pelo pouco que você me informa em seu e-mail acredito que seu marido não seja um "médium falante" - pode ter havido uma interpretação errada, ou existem detalhes que eu não conheço - mas acho que ele se encaixa mais na definição de "sonâmbulo" e talvez seja um "médium sonambúlico" - Veja "o Livro dos espíritos" questões 425 a 438 e "o livro dos Médiuns" questões 172 a 174.

De qualquer forma é importante perceber que - caso seja mediunidade ou sonambulismo - esta á uma qualidade natural do espírito e que deve ser estudada e compreendida como todas as outras - sem a necessidade de ter medo. Pode-se, inclusive, buscar uma apreciação clínica para que fique descartada a interferência do organismo ou do aparelho neurológico.

Embora a mediunidade se apresente como uma dádiva de Deus para que possamos amenizar os nossos resgates através do trabalho em benefício do próximo, não existe "obrigatoriedade" de trabalhar a mediundiade. Deus é nosso pai de amor e como amor nos compreende e nos dá a escolha (livre arbítrio).

Porém, de meu pensamento particular, o que se torna obrigatório é o estudo para compreender e controlar o fenômeno mediúnico quando acontece em nossas vidas.

Assim, conhecendo e controlando, não haverá espaço para ter medo - porque apenas temos mendo daquilo que não conhecemos ou dominamos.

Mediunidade é uma faculdade natural do ser humano e, como toda faculdade, é facultativo o seu uso ou não. Por este motivo as pessoas que, mesmo em casas espíritas, dizem que "tem que trabalhar" estão bastante mal informadas e deveriam também buscar estudar a codificação espírita.

O que é inegável, entretanto, é a responsabilidade do médium sobre os compromissos assumidos na espiritualidade; pois mesmo que não nos lembremos este compromisso, ele foi escolhido por nós mesmos.

A escolha de utilizar ou não a mediunidade é livre para nós, a consequencia pelo NÃO uso é que em próximas vidas teremos ainda uma grande carga de responsabilidade necessitando de alívio; a consequencia pelo MAU uso é que as nossas responsabilidades estarão maiores ainda, devido aos erros cometidos agora, quando retornarmos em uma próxima existência.

Diga ao seu esposo que não tenha medo e estude, em um centro bem orientado, a sua mediunidade; após conhecê-la melhor ele poderá então decidir se utilizará ou não a dádiva que recebeu da vida.

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo."

"...Solicito informações de literaturas que nos auxiliam, como pais a conduzir os jovens na caminhada com o vicios principalmente o alcool...."

"Prezada ________________, bom dia.

Infelizmente não tenho maiores conhecimentos sobre literaturas que auxiliem na concivencia dos pais com os adolescentes que enveredam pelo caminho do álcool.

Acredito, porém, que seja um bom caminho levar o jovem ao centro espírita, ou qualquer outra casa de oração, e encaminhá-lo para a convivência com grupos jovens e de ação na juventude que realizem tarefas sociais e se envolvam com ocupações mais dignas, mudando o foco de atenção do jovem da bebida para as amizades sadias e o serviço reparador.

é interessante também, de acordo com a disponibilidade e possibildiade, o acompanhamento por parte de um psicólogo para identificar possíveis disturbios/traumas que estejam propiciando este comportamento.

Lembro ainda que, infelizmente, este é um dos processos de drogadição considerados "comuns" pela nossa sociedade e os nossos jovens tem um grau de aceitação de influencia muito forte, principalmente pelos amigos, por isso se puder orientar ou levar o jovem a grupos onde ele irá sofrer influencias mais benéficas isto será de grande auxílio para ele.

Espero que consiga auxiliar o jovem e incentivar a sua mudança de comportamento.

Paz contigo."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...