Egito e Exilados de Capela - Perguntas dos amigos



"... Querido João Batista, espero que tenha tido ótimas férias em família. O que me faz procurar pelo seu esclarecimento é a colocação do querido Emannuel, no livro A Caminho da Luz, no capítulo IV, sobre a civilizãção do Egito, o mesmo afirma que os egípcios eram daqueles degredados os que menos débitos tinham, diante de seus elevados padrões morais em seu antigo orbe. Então pergunto:se os mesmos eram mais elevados moralmente, mereceriam ser exilados? Quando chegar o momento de o nosso planeta passar pela transformação em um mundo de regeneração, necessitando separar aqueles menos elevados para não mais encarnarem aqui, quão bons teremos que ser para não sermos também exilados em outro local do Universo? Obrigado mais uma vez pelo esclarecimento. Muita paz....."

Prezado ______________, bom dia.

Obrigado pelo seu carinho. Sim, as férias foram espetaculares e bastante proveitosas; conhecemos muitas coisas novas e nos divertimos muito em família, graças a Deus.


Antes de inciar a comentar sobre seu questionamento gostaria de fazer uma observação sobre todo este processo, o da "regeneração" e do "degredo" ou, em outras palavras, da "limpeza espiritual do planeta".

Muitos de nós, ao meu ver, observamos este processo com os olhos errados - com a ótica errada - normalmente enchergamos como um castigo para os que não permanecem no planeta e como uma punição de Deus para os que são maus.

Ao meu entender o processo não deve ser definido assim. Devemos ter em mente que este é um processo natural pelo qual passam, passaram ou passarão TODOS os planetas de TODAS as espécies do universo - e não somente uma vez em sua existencia, mas sempre que estiverem sendo modificadas as caracterísiticas fluídicas/morais de um planeta.

Esta "transição" de um mundo para outro, muito diferente de um banimento brutal, acontece de modo natural, através da sintonia fluidica do espírito que deixa de ser compatível com o mundo em que está e que é atraído para outro onde estará na mesma condição.

É como se fosse a situação do mergulhador que caso fique sem o equipamento embaixo da água é naturalmente impelido à superfície.

Nestes mundos aonde irão eles não estarão em sofrimento, mas em um mundo onde poderão continuar sua caminhada do mesmo ponto onde pararam no anterior - como quando mudamos de casa, bairro ou cidade; tudo muda mas continuamos os mesmos (Não sei se me faço compreender claramente).

Por este motivo não devemos temer este momento de transição, ao contrário, devemos seguir em frente e nos esforçarmos para sermos hoje melhores que ontem e amanhã melhores que hoje - não por medo de ficarmos aqui ou não... mas pela nossa própria necessidade de sublimação constante, compreende?

Retornando à sua colocação, não pude deixar de abrir o livro "a caminho da luz" para verificar a passagen indicada por você, e tomo a liberdade de transcrevê-la aqui para nossa reflexão: " Dentre os Espíritos degredados na Terra, os que constituíram a civilização egípcia foram os que mais se destacavam na prática do Bem e no culto da Verdade. Aliás, importa considerar que eram eles os que menos débitos possuíam perante o tribunal da Justiça Divina. Em razão dos seus elevados patrimônios morais, guardaram no íntimo uma lembrança mais viva das experiências de sua pátria distante."

Acho que a colocação de Emmanuel é que dentre os que vieram à Terra os egipcios eram os que mais tinham uma moral avançada, porém ele não se coloca em relação aos que ficaram em Capela; Acredito que deveria ser imensamente mais avançada do que dos egipcios. Fica claro que o que ocorre aqui é que durante a transição do planeta "capela" aqueles que ainda estavam fluidicamente ligados a orbes de provas e expiações foram migrados para a Terra - onde poderiam seguir em frente com sua elevação.

Devido ao misto que é uma população planetária é evidente que MUITOS níveis morais e espirituais foram atraídos para o nosso orbe, e a Misericórdia divina permitiu que os menos embrutecidos - ou mais moralmente avançados - constituissem a civilização egípcia e tivesses a oportunidade de crescer em conjunto - juntamente com toda uma civilização.


Percebamos, porém, que mesmo estes menos embrutecidos não eram tão suficientemente avançados a ponto de abolir as guerras, diferenças sociais, escravatura, sacrifícios, politeísmo, zoomorfismo e antropomorfismo, etc. - e se aceitavam este tipo de comportamento naturalmente é porque ainda tinham algum caminho para trilhar em sua evolução, compreende? Por este motivo me atrevo a afirmar que mesmo sendo os mais moralmente avançados que vieram à Terra ainda eram muito menos adiantados que os que ficaram em Capela.

E então, comentando sobre seu segundo questionamento, acredito que não seja "o quão bons teremos que ser" mas o quando estamos conscientes de nosso estágio evolutivo e o quanto estamos dispostos a melhorar - pois acredito que a vida leva muito mais em conta o sentimento/inclinações/objetivos do que os fatos em sí.

A mudança é inevitável e muitos de nós seremos migrados a outros orbes não como castigo, mas como necessidade de crescimento contínuo - porém não pense que a vida será um mar de rosas para os que ficarem na Terra de Regeneração.

Todas estas mudanças trarão também destruições, catástrofes, tragédias e coisas assim e, para os que permanecerem, ficará o árduo, porém gratificante, trabalho de reconstrução de uma nova civilização.

Acho realmente que não devemos os preocupar em "irmos" ou "ficarmos" mas em "fazermos a diferença" e aprender a viver o evangelho de Jesus - se conseguirmos fazer isto estaremos em paz onde estivermos.

Espero ter auxiliado em algo.

Abraços amigo.

Paz contigo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...