Kardec era Racista??? - Perguntas dos amigos



"... Olá João, boa note,é um prazer voltar a pedir seu esclarecimento.
Gostaria de saber se você compartilha da afirmação de Kardec, na obra A Genese, quando este indica que há uma diferença de evolução entre a raça brança e a negra, impedindo que esta última venha a encarnar nos corpos da raça branca por ser menos evoluída. Seria influencia da época essa compreensão do autor ou devemos aceitar a afirmativa mesmo que nos pareça dura, mas realista? Como você enxerga? Obrigado e um abraço ......"





Prezado ___________, há quanto tempo! Seja bem vindo de volta ao nosso pequeno espaço...

Seu questionamento levanta um dos pontos nos quais muitas pessoas se baseiam para atacar o espiritismo e, pelo meu ponto de vista, nos quais falta um pouco de compreensão e entendimento para tanto...

É importante que percebamos que, para realmente entender/estudar algo, precisamos sempre buscar as mais completas e melhores informações sobre o fato/ato sob todos os aspectos - então é necessário, para não dizer imprescindível, que se tenha um estudo contextualizado do assunto em questão e do mundo ao seu redor, na época em que ocorreu ou foi revelado.

Sem este tipo de estudo textos com ensinamentos incriveis, como a própria bíblia, irão parecer textos racistas e preconceituosos, que incitam a morte e a violência; pois veremos afirmações que chocarão os indivíduos de hoje,mas que eram normais e plenamente aceitáveis à época em que foram escritas; compreende?

Na Época de Kardec - 1804 a 1869 - embora a europa estivesse à frente do movimento de libertação da raça negra, a escravatura era tida como normal e obrigatória em quase todos os países, ditos civilizados, do mundo; sendo os próprios padres, sacerdotes e represetantes de religiões diversas proprietários de escravos e os navios negreiros abençoados quando partiam em busca de suas cargas... Lembremos que a própria lei áurea apenas foi homologada em 13 de maio de 1888 e quantos anos passou sendo "ludibriada" para ser realmente cumprida...

Não quero com isso afirmar que as palavras de Kardec traduzem um pensamento racista inerente à sua época - muito longe disso - estou apenas reforçando o motivo pelo qual elas não foram estranhadas quando do lançamento do Livro em questão.

Kardec estava centenas de anos a frente de seu tempo - em compreensão e sabedoria - e era guiado em uma missão libertadora pelos espíritos mais evangelizados que poderiam haver na época - a falange do Espírito Verdade; por este motivo se torna ilógico imaginar que estes espíritos - que compreendiam tão bem e estavam em plena sintonia com as leis de Deus e os ensinamentos de Jesus - pudessem deixar passar em suas obras ("dos espíritos") algum comentário ou colocação que desse alguma conotação racista e/ou preconceituosa e, consequentemente, fora da caridade; concorda comigo?

Por este motivo acredito que o que temos em questão é um entendimento equivocado - muitas vezes intencionalmente provocado, outras vezes fruto de uma leitura rápida e desatenta - e direcionado para algumas palavras de um texto que tem um sentido muito diferente do que se quer dar com este olhar de preconceito.

Acredito que o texto a que você se refere seja o que reproduzo a seguir, contido no capítulo 11 - encarnação dos espíritos:

"31. - Podem comparar-se os Espíritos que vieram povoar a Terra a esses bandos de emigrantes de origens diversas, que vão estabelecer-se numa terra virgem, onde encontram madeira e pedra para erguerem habitações, cada um dando à sua um cunho especial, de acordo com o grau do seu saber e com o seu gênio particular. Grupam-se então por analogia de origens e de gostos, acabando os grupos por formar tribos, em seguida povos, cada qual com costumes e caracteres próprios.
32. - Não foi, portanto, uniforme o progresso em toda a espécie humana. Como era natural, as raças mais inteligentes adiantaram-se às outras, mesmo sem se levar em conta que muitos Espíritos recém-nascidos para a vida espiritual, vindo encarnar na Terra juntamente com os primeiros aí chegados, tornaram ainda mais sensível a diferença em matéria de progresso. Fora, com efeito, impossível atribuir-se a mesma ancianidade de criação aos selvagens, que mal se distinguem do macaco, e aos chineses, nem, ainda menos, aos europeus civilizados.
Entretanto, os Espíritos dos selvagens também fazem parte da Humanidade e alcançarão um dia o nível em que se acham seus irmãos mais velhos. Mas, sem dúvida, não será em corpos da mesma raça física, impróprios a um certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando o instrumento já não estiver em correspondência com o progresso que hajam alcançado, eles emigrarão daquele meio, para encarnar noutro mais elevado e assim por diante, até que tenham conquistado todas as graduações terrestres, ponto em que deixarão a Terra, para passar a mundos mais avançados. (Revue Spirite, abril de 1862, pág. 97: «Perfectibilidade da raça negra».)"


Perceba que, longe se ser um texto racista, é um texto que fala das migrações de espíritos e do povoamento da Terra por espíritos de diversos níveis de evolução.

Por exemplo se afirmassemos que: "durante o povoamento da Terra milhares de espíritos vindos de outros orbes aportaram no planeta com o intuito de aqui formarem as civilizações que no futuro dominariam o planeta; vindos de diversos planetas diferentes e, consequentemente, com diversos níveis intecelctuais e/ou morais, os mesmos se agruparam por sintonia de origem, costumes, evolução, intelecto e moral, em sociedades maiores ou menores, com mais ou menos predominância umas sobre as outras.

As sociedades formadas por espíritos mais antigos e mais avançados intelectualmente se destacaram na tecnologia e sociedade, tomando um local de liderança/dominancia na cadeia evolutiva do globo; o espíritos mais novos - menos evoluidos e ainda primitivos - se agruparam e encarnaram em povos compatíveis com seu grau evolutivo/intelectual/moral formando assim a massa dominada pelas sociedades mais evoluidas."

Acredito que estaríamos afirmando o mesmo que Kardec, somente não especificamos as cores e as raças...

O que muitas vezes as pessoas não se lembram é que, à época de Kardec, das raças menos evoluidas intelectualmente/moralmente/tecnologicamente a maioria era negra ou indígena - seja na áfrica, na austrália ou na américa do sul.

Assim acredito que Allan Kardec não estava se utilizando de afirmações racistas, mas sim embasando sua teoria em fatos práticos e conhecidos de todos, observados à luz da ciência e da razão - como sempre o fazia.

Ele realizava um estudo e observações sobre o desenvolvimento do espirito que chega primitivo em raças primitivas e que, através da reencarnação, durante séculos se desenvolve para raças mais "civilizadas" e tecnologicamente superiores; é um processo da lei universal; ele não teve culpa de na Terra as raças mais primitivas serem as que foram e que, hoje, com a globalização do desenvolvimento intelectual, elas lutem (com toda razão - diga-se de passagem) pelo fim de um preconceito que está impregnado em nossos "gens sociais".

Se fosse em outro planeta estaríamos certamente falando de outras cores... mas o sentido será sempre o mesmo.

Não sei se me fiz compreender corretamente; talvez ainda precise de mais um pouco de esclarecimento de minha parte para me expressar melhor, mas, de todo caso, espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Aprendi muito... Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...