Visão masculina de Deus - Perguntas dos amigos




"... Antes de me tornar espírita tive contato com relgiões que pregavam a face feminina da divindade. Logo, gostaria de saber o porque de nós, espíritas, nos referimos a Deus com termos do gênero masculino: Senhor e não Senhora, Deus e não Deusa, Pai e não mãe. Agradeço desde já ......"

Prezado ____________, bom dia

Allan Kardec em "o livro dos espíritos" questões de 1 a 16 faz uma análise profunda e coerente sobre Deus - dentro das limitações que nós humanos ainda temos, claro; e inicia seu estuo com a pergunta "o que é deus?" - desmistificando assim a mania natural que temos de humanizar a divindade - recebendo , muito sabiamente, a resposta que "Deus é a Inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas." - onde os espíritos esclarecem que Deus não é "quem" mas sim um princípio universal, ou seja, um princípio inteligente, uma energia suprema, um ser tão superior que supera todas as qualificações e adjetivos que possamos colocar em sua definições; assim como supera também o masculino e o feminino.

Percebemos que, ao longo da história do homem, o sentido da divindade já recebeu diversas qualificações e definições, por exemplo:
- para o homem primitivo era os eventos da natureza - o trovão, o fogo, a chuva, a luz, o sol;
- para os egípcios era um panteão híbrido de forma humanoide e animal que apresentava as nossas mesmas características;
- para os gregos e romanos eram representações de nós mesmos com as qualidades e defeitos elevadas ao máximo possível;
- para as sociedades matriarcais assumia a forma da grande mãe, fonte de toda a vida;
- para os hindus assume, entre tantas definições, a forma de Krishna (http://pt.wikipedia.org/wiki/Krishna);
- para os tupi-guarani é tupan;
- para os muçulmanos é a figura de Alá;
- e, para nós cristãos, assume o nome de Deus/Jeová - que vem da origem judaica de nossa religião.



Perceba, então, meu irmão, que não é o nome da divindade que vai diferenciar ou validar a nossa crença.

Chamamos de Deus porque, historicamente, desde a origem de nossa religião(paternalista) e na tradição socio-cultural de nosso país, utilizamos este nome para nos referir a entidade maior criadora de tudo e todos; o que não representa, em absoluto, limitações ou gêneros para a inteligência suprema.

Nós, humanos, é que temos a necessidade primária/primitiva de associar coisas a nomes e expressá-los de acordo com as nossas limitações. Para Deus - entidade suprema - não importa o nome ou titulo que damos a Ele; nem o gênero ou família a que julguemos que Ele pertença; muito meno se acreditamos que Ele seja um ou muitos... o que realmente importa é o "como" vivemos e se buscamos seguir os seus mandamentos divinos de Amor e caridade, entende?

Infelizmente nós, humanos, temos nos afastado e preconceituado, nos dividido e perseguido por razões pequenas demais para sequer existir - esquecemos a mensagem e nos apegamos a detalhes que exaltam nossa imaturidade e julgamento errôneos. digo isso pois, ao meu ver, temos tantos "deuses" e nenhum ainda foi capaz de nos ensinar o caminho do amor e do bem... porque não deixamos.

espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo

Um comentário:

Zilda Santiago disse...

Deus abençoe sua paciência em responder semelhante pergunta.E a pessoa ainda diz"nós espíritas",coisa que ele não é.Tem mais que mandar estudar.Tem sorteio em meu blog.Participe comentando na postagem dos 500 seguidores e concorrendo a um livro no valor de até $100,00
saúde e paz!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...