Depressão, inconformidade, vazio interior - Perguntas dos amigos



"... Olá João
Gostaria de saber porque não gosto desta vida e sinto como se aqui não é meu lugar, a vida toda eu quero ir embora, sinto como se a Terra fosse uma prisão, sei que tenho um lar muito longe, e isso me deprime. Aliás, mesmo tentando amar as pessoas, não consigo, acho a maioria mesquinha e egoísta e sinto cada vez menos vontade de conviver com as pessoas, nem tenho paciência para elas. Peço ajuda a Deus, oro, mas a melhora é pequena, tudo pelo que sinto algum amor é a natureza e os animais. Como posso me conformar com essa vida? ......"




Prezada ___________, bom dia.

Perdoe a demora em responder.

Esta "inconformidade" com a vida terrena, minha irmã, é natural entre nós: espíritos encarnados; pois representa as lembranças inconscientes que todos trazemo do mundo espiritual - de onde viemos e para onde vamos - e das vivências que lá tivemos e deixaram marcas profundas dentro de nós; gerando esta saudade do que não sabemos de quê e esta vontade de não estar aqui.

Muitos de nós convivemos com este sentimento e nos deixamos arrastar por esta sensação de incompletitude apelando para o preencimento do "vazio" dentro de nós através dos vícios e dos erros - bebidas, drogas, sexo abusivo, desrespeito, violência, etc; Este tipo de reação somente nos traz maiores prejuizos, pois tentamos buscar uma "completitude" em ações e objetos efêmeros que, no final, vão sugar de nós mais ainda e nos arrastar para um torvelinho de erros cada vez maiores e busca cada vez mais desenfreada pelas sensações, findando em prejuízos psicológicos, físicos, familiares, sociais e espirituais.

Outros de nós se rendem a este sentimento e vivem apáticos, passando pela vida, relegados a sua própria inação e presos dentro de um sentimento de ociosidade que aguarda uma transformação mágica da vida, um sentido irreal que nunca irá chegar, pois para que haja recompensa é imperioso haver esforço, compreende?

Alguns de nós encontram neste sentimento o motivo para a busca pelo que irá preencher este "vazio" de forma real e perene; e, após uma caminhada que pode ser longa ou não, encontram a busca pelo divino - dentro de nós e ao nosso redor - e neste processo muitos conseguem se divinizar e entender/aprender os procedimentos que irão nos auxiliar a aliviar este sentimento de incompletitude; encontrando seu complemento no trabalho e auxílio aos que ainda não conseguiram compreender/aprender este caminho.

O nosso espírito - embora muito antigo e imortal - traz dentro de si diversos problemas, erros e limitações que devem ser trabalhadas e eliminadas, a pouco e pouco, nesta abençoada escola chamada Terra.

Para que consigamos empreender um bom trabalho em nossa própria melhoria devemos seguir os ensinamentos dos grandes espíritos que vieram antes de nós e que, desde a antiguidade, estão nos orientando para o bom cumprimento de nossos deveres para com a vida e o próximo.

Arredios que somos tentamos, em vão, fazer com que a vida se curve ante de nós e nos agrade incondicionalmente, em detrimento das leis e dos nossos irmãos; quando fazemos isso - desejamos ser o melhor e mais importante ser vivente - estamos nos afastando de nosso ideal e trazendo para nós uma maior carga de sentimento de incompletitude; pois nos afastamos do rumo correto de nossas vidas.

Vamos encontrar em "o evangelho segundo o espiritismo" a afirmação que o amor é o sentimento que mais nos aproxima de Deus - então sempre que nos afastamos deste amor - o amor verdadeiro e não a paixão ou o sexo - estamos nos afastando de Deus e , quanto mais afastados de Deus, mais incompletos ficamos.

Não basta buscarmos Deus em uma igreja ou templo; nem apenas na natureza ou nos animais; mas é necessário que busquemos Deus na pessoa do nosso próximo - nos atos de amor e caridade que possamos realizar para quaisquer que necessitem de nosso apoio, dentro e fora do nosso lar.

Estes atos são "amor em movimento" e, inegavelmente, constroem pontes e ligações de amor entre nós, nosso próximo e Deus.

Também são atos de construção de amor a compreensão, paciencia, benevolência e todos os que pudermos realizar para , a exemplo do Mestre Jesus, convivermos de forma harmonica e salutar com as pessoas que estão em nosso caminho, seja no lar, trabalho, escola, centro, etc.

A paciência é uma das virtudes que temos o objetivo de aprender em nossa viagem pela Terra; e para que a desenvolvamos é necessário o convívio com situações e pessoas que as coloquem a prova; afinal, como nos diz "o evangelho segundo o espiritismo", estes são os instrumentos de que Deus de utiliza para nos fazer crescer e colocar a prova a nossa paciencia.

Devemos ter sempre em mente as brilhantes palavras de Jesus quando afirma "se amarmos somente aos que nos ama, que recompensa teremos?" - evidenciando o que nos ensina quando diz "ama o que te prejudica, ora pelo que te deseja o mal" - transmitindo a divina mensagem que a caridade e o amor são para ser praticados em todos os momentos de nossas vidas, para com todas as pessoas, em todas as situações...

Portanto é caridade silenciar, não criticar, auxiliar, compreender, resignar, tudo em nome da harmonia interna nossa e entre as relações para com aqueles que ainda são mais tolos que nós.

Enquanto não aprendermos a realizar tais feitos e caminhar rumo ao Mestre, continuaremos a nossa viagem na Terra repletos de sentimentos de incompletitude, imcompreenção, impaciencia e infelicidade.

A felicidade que desejamos é alcançada a partir, e na medida, do esforço que fazemos por merecê-la.

Lembre-se que o que você enviar para a vida é exatamente o que ela enviará para você de volta... se deseja amor, dê amor; se deseja paz, dê paz; se deseja compreensão, dê compreensão... e o mesmo vale para verdade, amizade, caridade, carinho, simpatia, benevolência, etc.

A lei de causa e efeito é soberana e a ela ninguém poderá escapar, seja hoje ou amanhã.

Esperto ter sido de alguma ajuda e peço desculpas caso não tenha respondido da maneira que você esperava.

Paz contigo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...