O "Diabo" Existe? - Perguntas dos amigos



"... Bom dia caro Joao,
Quero agradecer novamente pelos esclarecimentos anteriores e novamente peço que me esclareça algumas dúvidas:
meu pai é espirita e muito radical nos conceitos, ele é extremo em tudo na vida, e nao seria diferente no espiritismo, sempre o ouvi dizer que "satanás","capeta","diabo", nao existe, nem inferno como é apresentado na igreja catolica e protestante.
Algumas pessoas vivem dizendo que "fulano fez isso por que o diabo o influenciou", "nao foi sua culpa foi o diabo que agiu" acredito no que meu pai diz pois ele ja fez cursos no espiritismo, mas como ja disse, ele muito extremista, ate que ponto posso dizer que realmente satanas e inferno nao existem? Penso que pessoas façam coisas influenciadas por espiritos que os estejam obsediando, e nao satanas, estou certa? ja li o Ceu e o inferno, mas tantas pessoas afirmando tantas coisas me deixam sempre em duvida, me ajude ....."




Prezada ____________, bom dia.

A leitura de "o Céu e o Inferno" é realmente o melhor material que você poderá ter para estudar este assunto; entretanto vou apresentar algumas observações abaixo, no limite de meus conhecimentos.

Como disse o sábio João Paulo II "céu e inferno são estados de espírito" - equivalendo afirmar que não existe um local (ponto geográfico) chamado céu ou inferno, mas que nós criamos para nós estes estados de alma através de nossas escolhas e de suas consequencias; muitos de nós, inclusive, frequentamos estes locais ainda encarnados, sem necessitar desencarnar para ir pra lá.

Jesus nos afirma isso quando relata que "o reino de Deus está em nos" e que, por isso mesmo, cabe a nós construí-lo dentro de nós para que ele se externe no mundo, compreende?

O demônio, diabo, capeta, satanás, etc. São nomes tradicionalmente dados pelas instituições religiosas através dos séculos as "forças" interior interiores e/ou exteriores que nos incitam e levam a agirmos contra as leis de Deus.

Como não gostamos de assumir nossos erros e sempre desejamos "jogar" a culpa nos outros é mais fácil culpar ao demonio pelos nossos erros.

Notadamente - e erradamente - as instituições religiosas ao longo dos séculos tem atormentado os seus seguidores com a imagem desta figura no sentido de gerar o medo em seus corações e aproximá-los de Deus (??) assim como controlar seus passos e atitudes através da imposição de medos e penas que serão cumpridas em um local de sofrimento eterno para onde Deus enviará seus filhos transviados (???).

Esta ideia "medieval" foi criando no subconsciente das pessoas essa "ideia fixa" e formando no inconsciente coletivo da humanidade esta concepção de um ser/entidade eternamente voltado para o mal.

Perceba que esta idéia figurativa vem desde muitos séculos atrás - sendo inclusive externada no antigo testamento e em religiões ainda anteriores.

Para o espiritismo estes "demonios" nada mais são que os espíritos dos homens que desencarnaram e que retinham em seu coração os maus sentimentos e as más inclinações, o ódio e a vingança, a dor e o sofrimento e que, por não conseguirem se livrar destes sentimentos infelizes e sentirem inveja de nossa atual condição, desejam nos fazer sofrer e padecer o mesmo que eles (LE 465) , nos influenciando para o mal e o erro o que, fatalmente, vai nos arrastar para o sofrimento e a dor, quando sintonizamos com eles.

Assim, pelas idéias inatas que absorvemos da cultura do medo que nos foi imposta, muitos espíritos plasmam em suas aparencias as características demoníacas que acreditamos serem reais e são percebidos assim pelas pessoas, que seja através da mediunidade quer através de lembranças de atividades em desdobramento.

É, entretanto, vital percebermos que nem todas as atitudes erradas que cometemos vem por obsessão - influencia externa - de espíritos sofredores; muitas são originárias em nosso próprio espírito e desejos internos, é quando nos tornamos os nossos próprios obsessores e podemos assim abrir espaço e convidar mais espíritos para nos acompanhar, sintonizando com as nossas vibrações.

O espiritismo - seguindo a orientação de Jesus - nos ensina a "vigiar e orar para não cairmos em tentação"; pois apenas assim poderemos manter nossas vibrações elevadas e diminuir a influencia dos sofredores sobre nós.

A oração, a caridade e o trabalho são os principais escudos para nos defender destas influenciações externas e internas.

Não sei se esclareci o que desejava. Espero ter sido de alguma ajuda,

Paz contigo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...