Vinde a mim vós que estais cansados... - Perguntas dos amigos




... Recebemos recentemente um e-mail de uma amiga que relata um caso de dificuldades e sofrimentos com seu namorado, a pedido da mesma não estamos postando o relato aqui, mas segue abaixo a resposta enviada para análise e reflexão ...



Prezada ______________, bom dia.

O espiritismo nos orienta que as mais adversas situações que passemos em esta vida são colheitas - efeitos - de ações pretéritas próximas ou longínquas. A este propósito temos uma página espetacular do Espírito Clélia Duplantier, no livro "obras Póstumas" que fala sobre os resgates coletivos, a qual tomarei a liberdade de transcrever no final de minha resposta.

Percebamos, minha irmã, que muitas vezes somos hoje vítimas de nós mesmos no ontem; recebemos a responsabilidade, os efeitos e os resgates de decisões que tomamos em existências passadas, ou até nesta mesmo, e que retornam para nós como compromissos - na maioria das vezes dolorosos - que temos que cumprir para o bom aprendizado do ensinamento.

Podemos perguntar qual seria este ensinamento e responder: Humildade, caridade, paciência, trabalho, dedicação e amor, entre tantos.

Digo isto pois, de acordo com o seu relato, é exatamente o que o seu namorado está necessitando exercitar e, certamente, resgatar para cumprir as necessidades desta encarnação.

Você relata que suas orações parecem não estar surtindo efeito... e acredito que realmente deva parecer isto sim; pois que nenhum de nós pode interferir no que "deve" acontecer - a exemplo do próprio Jesus que afirmou que "não veio destruir a lei" nós também não podemos destruí-la, nem querer que o universo se molde ao nosso comando e desejo, da forma que queremos.

Provavelmente você está orando pedindo que a provação acabe, que não aconteçam determinadas coisas, etc.. entretanto, querida irmã, aprendi com a vida que devemos orar, mais ou menos, da seguinte forma: "Senhor, da-me forças para enfrentar as adversidades que me cabem, sabedoria para encontrar a melhor solução e fé para acender a chama da esperança em meu coração".

Quando nos colocamos com verdadeira humildade e resignação ante os problemas, pedimos auxílio para o fardo - e não que o fardo desapareça - e amparo em nossas quedas, nós estamos sintonizando com o mais alto e permitindo que os amigos espirituais estejam de nosso lado, nos dando forças e apoio quando necessitamos.

O próprio Jesus nos promete "vinde a mim os que estais cansados e afadigados que os ALIVIAREI" - Ele não afirma que vai tirar o fardo dos nossos ombros, mas aliviar o desânimo, depressão, tristeza e revolta que possamos ter em nosso coração; compreende?

Paralelamente a este pedido de apoio e ajuda, devemos também fazer a nossa parte de esforço, renuncia e sacrifício, buscando vencer as limitações e imperfeições que temos, seguindo os ensinamentos de Jesus e colocando em prática a caridade em nossas vidas.

Ore juntamente com se namorado; auxilie no que puder; dê a ele o exemplo e a força de fé e confiança em Deus; e assim, unidos, poderão passar por mais este desafio.

Por isso, minha irmã, tenha sempre fé e esperança em Deus, confiança e amparo em Jesus e força de vontade e sabedoria para enfrentar as provações que se façam necessárias em nossa vida, pois "nesta Terra teremos aflições", mas tenhamos fé.

Segue o texto citado acima:

"Pergunta. – O Espiritismo nos explica perfeitamente a causa
dos sofrimentos individuais, como conseqüência imediata de
faltas cometidas na existência presente, ou expiação do
passado; mas, uma vez que cada um não deve ser
responsável senão pelas suas próprias faltas, explicam-se
menos as infelicidades coletivas que atingem as aglomerações
de indivíduos, como, por vezes, toda uma família, toda uma
cidade, toda uma nação ou toda uma raça, e que atingem os
bons como os maus, os inocentes como os culpados.

Resposta. – Todas as leis que regem o Universo, quer sejam
físicas ou morais, materiais ou intelectuais, foram descobertas,
estudadas, compreendidas, procedendo do estudo e da
individualidade, e do da família à de todo o conjunto,
generalizando-as gradualmente, e constatando-lhe a
universalidade dos resultados.
Ocorre o mesmo hoje para as leis que o estudo do Espiritismo
vos faz conhecer; podeis aplicar, sem medo de errar, as leis
que regem a família, a nação, as raças, o conjunto de
habitantes dos mundos, que são individualidades coletivas. As
faltas dos indivíduos, as da família, as da nação, e cada uma,
qualquer que seja o seu caráter, se expiam em virtude da
mesma lei. O carrasco expia para com a sua vítima, seja
achando-se em sua presença no espaço, seja vivendo em
contato com ela numa ou várias existências sucessivas, até à
reparação de todo o mal cometido, Ocorre o mesmo quando
se trata de crimes cometidos solidariamente, por um certo
número; as expiações são solidárias, o que não aniquila a
expiação simultânea das faltas individuais.
Em todo homem há três caracteres: o do indivíduo, do ser em
si mesmo: o de membro de família, e, enfim, o de cidadão;
sob cada uma dessas três faces pode ser criminoso ou
virtuoso, quer dizer, pode ser virtuoso como pai de família, ao
mesmo tempo que criminoso como cidadão, e reciprocamente;
daí as situações especiais que lhe são dadas em suas
existências sucessivas.
Salvo exceção, pode-se admitir como regra geral que todos
aqueles que têm uma tarefa comum reunidos numa existência,
já viveram juntos para trabalharem pelo mesmo resultado, e
se acharão reunidos ainda no futuro, até que tenham
alcançado o objetivo, quer dizer, expiado o passado, ou
cumprido a missão aceita.
Graças ao Espiritismo, compreendeis agora a justiça das
provas que não resultam de atos da vida presente, porque já
vos foi dito que é a quitação de dívidas do passado; por que
não ocorreria o mesmo com as provas coletivas? Dissestes
que as infelicidades gerais atingem o inocente como o culpado;
mas sabeis que o inocente de hoje pode ter sido o culpado de
ontem? Que tenha sido atingido individualmente ou
coletivamente, é que o mereceu. E, depois, como dissemos,
há faltas do indivíduo e do cidadão; a expiação de umas não
livra da expiação das outras, porque é necessário que toda
dívida seja paga até o último centavo. As virtudes da vida
privada não são as da vida pública; um, que é excelente
cidadão, pode ser muito mau pai de família, e outro, que é
bom pai de família, probo e honesto em seus negócios, pode
ser um mau cidadão, ter soprado o fogo da discórdia,
oprimido o fraco, manchado as mãos em crimes de lesasociedade.
São essas faltas coletivas que são expiadas
coletivamente pelos indivíduos que para elas concorreram, os
quais se reencontram para sofrerem juntos a pena de talião,
ou ter a ocasião de repararem o mal que fizeram, provando o
seu devotamento à coisa pública, socorrendo e assistindo
aqueles que outrora maltrataram. O que é incompreensível,
inconciliável com a justiça de Deus, sem a preexistência da
alma, se torna claro e lógico pelo conhecimento dessa lei.
A solidariedade, que é o verdadeiro laço social, não está, pois,
só para o presente; ela se estende no passado e no futuro,
uma vez que as mesmas individualidades se encontraram, se
reencontram e se encontrarão para subirem juntas a escala
do progresso, prestando-se concurso mútuo. Eis o que o
Espiritismo faz compreender pela equitativa lei da
reencarnação e a continuidade das relações entre os mesmos
seres.

Clélia DUPLANTIER"


Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...