Diferença entre Carma e Resgate e Exilados de Capela - Perguntas dos Amigos

Salve Deus, faço parte de uma doutrina espírita e quero saber sobre a diferença de carma e resgate. carma é pra sempre eu sei e resgate. Eu sei que estou fugindo do assunto, os nossos mentores nos ensinam muito sobre capela e transição planetária!Mim diga como é exatamente a vida em capela. eles comem, dormem tomam banho, tem necessidades como nós? uma vovó mim falou sobre uma encarnação que tive em que eu fui homem.Ela disse que eu tinha tudo pra viver uma vida com ela e eu não quis. A vovó desse que é apenas um resgate.Quero saber se resgate é pra sempre ou não?


Prezada Irmã, bom dia.

Sua pergunta é interessante e dividida em 02 tópicos, por isso vou tomar a liberdade de tentar esclarecer cada um por vez, ok?

1) sobre carma e resgate

A palavra carma, ou karma, vem do idioma sânscrito e representa de uma forma geral o somatório de todas as ações e atitudes que um indivíduo realiza em suas existencias, podendo ser positivo ou negativo - http://pt.wikipedia.org/wiki/Carma - e quando negativo irá gerar uma série de acontecimentos e experiências de reparação para o indivíduo, até que este alcance o equilíbrio entre bem e mal.

Em espiritismo muitos de nós "adotamos" a expressão carma para representar os processos de resgate que o indivíduo necessite experimentar em suas existências, de forma a equilibrar-se com a vida, evoluindo e evangelizando-se cada vez mais.

Perceba que, embora não sendo a mesma coisa, estão diretamente ligados - de acordo com a observação espiritual - pois uma pessoa pode ter uma necessidade cármica de passar por determinada experiência e o seu resgate será vivenciar uma perda familiar, por exemplo. Compreende?

Assim sendo podemos observar que nem o carma negativo nem os resgates são eternos; apenas existem enquanto existir a necessidade em nós de reparação e equilíbrio para com a vida. 

A melhor definição para carma e resgate temos na lei da causa e efeito: enquanto existirem causas existirão efeitos, conforme a causa originadora dos mesmos; causas boas, efeitos bons; causas más, efeitos maus.

Então, em nossas diversas existencias, estaremos sujeitos a diversos resgates, de acordo com o que escolhermos, e cada um terá a duração necessária ao nosso adiantamento moral e evangelização; compreende?

2) sobre o sistema de Capela

Uma das grandes fontes de informação sobre capela está no livro "a caminho da luz", do espírito Emmanuel, no capítulo 3 "As raças adâmicas" e outra é "os exilados de capela" de Edgar Armond.

Ambos os livros trazem informações coerentes e congruentes entre si, esclarecendo muito sobre o processo e o reencarne dos capelinos, bem como sua importância para a formação do biotipo humano ha cerca de 30 mil anos atrás.

Embora nenhum dos dois esclareça estes detalhes que você questiona eles são unânimes em afirmar que "um dos orbes da Capela, que guarda muitas afinidades com o globo terrestre, atingira a culminância de um dos seus extraordinários ciclos evolutivos"..."Quase todos os mundos que lhe são dependentes já se purificaram física e moralmente, examinadas as condições de atraso moral da Terra,onde o homem se reconforta com as vísceras dos seus irmãos inferiores,
como nas eras pré-históricas de sua existência, marcham uns contra os outros ao som de hinos guerreiros, desconhecendo os mais comezinhos princípios de fraternidade e pouco realizando em favor da extinção do egoísmo, da vaidade, do seu infeliz orgulho" (Emmanuel)

Onde observando a afirmação podemos perceber que embora vários dos mundos que formavam o sistema de capela já estivessem evoluidos fisica e moralmente, pelo menos um deles ainda estava em desenvolvimento - no mesmo processo que nos encontramos hoje - e com a observação de Emmanuel tinha "muitas afinidades" com a terra - morais e materiais.

Podemos, então, crer que os capelinos de outrora estivessem em um ponto evolutivo similar ao que nos encontramos hoje e que, guardadas as diferenças entre as características e fisiologia da Terra e do seu planeta natal, certamente eles ainda se alimentavam de forma física, reproduziam e tinham as necessidades que ainda nos são comuns - em um estágio maior ou menor, de acordo com o caminho evolutivo já trilhado por eles.

A sua chegada a Terra trouxe além da evolução do biotipo humanos, os conhecimentos avançados de astronomia, astrologia, matemática, física, linguagens, alquimia, etc; causando a evolução do homem e possibilitando o crescimento e aparecimento da humanidade assim como conhecemos hoje.

Observemos as questões abaixo, extraídas de "o livro dos espíritos", que certamente serão de auxílio e complemento das informações anteriores:

181. Os seres que habitam os diferentes mundos têm corpos semelhantes aos
nossos?
“É fora de dúvida que têm corpos, porque o Espírito precisa estar revestido de
matéria para atuar sobre a matéria. Esse envoltório, porém, é mais ou menos material,
conforme o grau de pureza a que chegaram os Espíritos. É isso o que assinala a diferença
entre os mundos que temos de percorrer, porquanto muitas moradas há na casa de nosso
Pai, sendo, conseguintemente, de muitos graus essas moradas. Alguns o sabem e desse fato
têm consciência na Terra; com outros, no entanto, o mesmo não se dá.”
182. É-nos possível conhecer exatamente o estado físico e moral dos diferentes
mundos?
“Nós, Espíritos, só podemos responder de acordo com o grau de adiantamento em
que vos achais. Quer dizer que não devemos revelar estas coisas a todos, porque nem todos
estão em estado de compreendê-las e semelhante revelação os perturbaria.”
À medida que o Espírito se purifica, o corpo que o reveste se aproxima igualmente
da natureza espírita. Tornase-lhe menos densa a matéria, deixa de rastejar penosamente pela superfície do solo,
menos grosseiras se lhe fazem as necessidades físicas, não mais sendo preciso que os seres
vivos se destruam mutuamente para se nutrirem. O Espírito se acha mais livre e tem, das
coisas longínquas, percepções que desconhecemos. Vê com os olhos do corpo o que só pelo
pensamento entrevemos.
Da purificação do Espírito decorre o aperfeiçoamento moral, para os seres que eles
constituem, quando encarnados. As paixões animais se enfraquecem e o egoísmo cede lugar
ao sentimento da fraternidade. Assim é que, nos mundos superiores ao nosso, se
desconhecem as guerras, carecendo de objeto os ódios e as discórdias, porque ninguém
pensa em causar dano ao seu semelhante. A intuição que seus habitantes têm do futuro, a
segurança que uma consciência isenta de remorsos lhes dá, fazem que a morte nenhuma
apreensão lhes cause. Encaram-na de frente, sem temor, como simples transformação.
A duração da vida, nos diferentes mundos, parece guardar proporção com o grau de
superioridade física e moral de cada um, o que é perfeitamente racional. Quanto menos
material o corpo, menos sujeito às vicissitudes que o desorganizam. Quanto mais puro o
Espírito, menos paixões a miná-lo. É essa ainda uma graça da Providência, que desse modo
abrevia os sofrimentos.
187. A substância do perispírito é a mesma em todos os mundos?
“Não; é mais ou menos etérea. Passando de um mundo a outro, o Espírito se reveste
da matéria própria desse outro, operando-se, porém, essa mudança com a rapidez do
relâmpago.”

Espero ter sido de alguma ajuda.

Paz contigo.



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...