Dor e desespero com a morte do pai - Perguntas dos Amigos

me ajudem , não aceito o desencarne do meu pai , ele faleceu dia --/--/2013 é uma saudade imensa. se possivel me ajudem minha vida parou depois de sua morte, meus olhos só se ve a tristeza da dor da perda ,tento não pensar nele mas não consigo !! sem mais obrigado


Querida irmã, bom dia.

Embora a nossa casa espírita não efetue o procedimento de cartas familiares, não deixa de se compadecer com teu sentimento de perda e de dor.

Entretanto é necessário a nós, que ficamos no carro físico, buscar alterar o nosso ponto de vista e tentar perceber a realidade por um ângulo diferente.

Se em nossos corações alimentamos os sentimentos de dor, desespero e angústia, criamos dentro de nós estas energias e estes fluidos são o que iremos enviar ao nosso querido desencarnado que - em espírito - está inteiramente sensível aos fluidos que enviamos a ele cada vez que pensamos no mesmo; pois é assim que funciona a emissão de nossas energias: direcionada através de nossos pensamentos.

Perceba, minha irmã, que o mesmo desespero e a angustia que você está sentindo está enviando na mesma intensidade para o seu querido Pai; o qual - como pai amoroso e dedicado - deve estar ainda mais angustiado por não poder auxiliar e amparar você neste momento. Pergunto eu: é isto que você deseja para ele neste momento de transição?

A Doutrina Espírita nos esclarece que o espírito ao desencarnar passa - em estado maior ou menor - por um processo de desnorteamento e no qual será amparado pelos amigos espirituais, de acordo com seus merecimentos, ou direcionado por sintonia vibratória às faixas espirituais adequadas a sua vibração fluídica íntima.

Por este motivo, querida irmã, independente da expectativa que tenhamos do pós morte, este é o momento de amparar o desencarnado com suas orações e emissões de fluidos de amor e carinho - para que possa passar por este processo da forma menos traumática possível e saber que os que ficam estão conseguindo viver a saudade e o amor de forma saudável e amorosa.

A saudade é natural e o amor que sentimos nunca acaba; entretanto se observarmos atentamente os sentimentos de dor e desespero que externamos, na maioria das vezes, estão embasados no sentimento de egoismo e orgulho que habita em nós e que não deseja nos ver sofrer por conta da partida do ente querido; Nós não desejamos sofrer e "jogamos" através do desespero a culpa por esta dor no desencarne do ente querido sem ao menos pararmos para observar se foi melhor ou não para aquele que retorna a pátria espiritual.

Perceba, querida irmã, que o desencarne - independente de qualquer coisa - é a libertação do espírito cativo que retorna a casa espiritual e que pode agora retomar seu curso de crescimento e evangelização - no tempo acertado.

A morte não é fim, nem motivo para desespero e angustia. É o início da continuidade de nossa caminhada e devemos sentir saudade sim, mas também ficar alegres e compreender o motivo do afastamento de nosso ente querido - o qual necessita de nosso carinho e apoio agora tanto quanto necessitava em vida.

Não sejamos nós e nossos sentimentos fardos pesados para os que regressam a pátria espiritual; mas façamos nossa parte como filhos, esposos, parentes e amigos e doemos a nossa migalha de apoio e carinho através de pensamentos equilibrados, oração sincera e emissão de fluidos salutares.

Acalma teu coração, minha irmã, e ora por ele e para que possam se encontrar em teus sonhos - aliviando assim a saudade que sentes.

espero ter sido de alguma ajuda.

PAz contigo.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...