Aborto recorrente e consolo - Perguntas dos amigos ...


Boa Noite, João!
Conheci seu site, após perder meu primeiro filho! Procurava algo que me explicasse o porquê? Se o seu espírito estava bem, se tinha sofrido? Engravidei inesperadamente, eu e meu marido tomamos um susto, a princípio, depois ficamos felizes e fizemos inúmeros planos, como todos os pais. Entretanto, ao fazermos uma ultrassonografia de ___semanas, alguns marcadores não bateram. Começava o nosso desespero, refizemos o exame, fomos nos melhores médico que nos indicavam...mas nenhum deles nos dava esperança! Falavam que nosso bebê, dificilmente, nasceria com vida! Era difícil digerir tudo que os médicos nos passavam, não queríamos acreditar, esperávamos a cada ultrassonografia por um milagre divino. No dia _______ de 2014, esse milagre chegou,  não da forma que queríamos, mas da forma que Deus quis....o coraçãozinho que batia acelerado tinha parado. 
Uma dor sem tamanho se instalou em mim, até hoje doe! 
Para nossa surpresa, ao fazer uma ultrassonografia de rotina, dia________ de 2015, descobri uma gravidez de ___ semanas, 1 ano após toda dor que passamos. O medo tomou conta de nós, será que passaríamos por tudo novamente...as perguntas eram muitas! Enfim, agimos com frieza e decidimos não contar para nossa família, não seria justo ver nossos pais tão felizes, criando várias expectativas em torno do primeiro neto e de repente acontecer tudo novamente! Tentávamos ficar calmos, mas por dentro nossas emoções eram turbilhões!
Com uma semana do descobrimento, veio um sangramento e hoje a ultrassonografia nos diz que mais uma vez ele se foi! 
Sabemos que Deus tem um motivo para tudo em nossas vidas, entretanto, só vamos entender mais adiante! 
Queria saber o porquê ou o para que tivemos que passar por isso, mas isso só Deus poderia nos responder! Não sei se tudo está diante de nossos olhos e não conseguimos enxergar...
Enfim, peço desculpas pelo desabafo, mas  queria receber suas palavras tão sábias e que já trouxe tantos amparos e consolos, para tantos outros!
Obrigada pela atenção.




Minha irmã, bom dia.

A paz de Jesus acalente teu coração sofrido e oriente teus
pensamentos... os quais tiveram a bondade de me julgar bem mais do que
sou e infinitamente do que mereço... agradeço por isso.

A vida, minha irmã, muitas vezes nos trás revezes que ofuscam nossa
compreensão do mundo e tiram de nossos pés o chão que nos sustentamos.
São momentos em que a própria fé se nos aparenta insegura e frágil;
pois que a nossa dor se aprensenta tão profunda e forte que tendemos a
esquecer tudo que aprendemos e a duvidar daquilo que cultivamos em
nossos corações.

O momento da perda de um filho - mesmo que em nosso ventre - certamente
é um destes.

Entretanto, confiando na sabedoria da Providência Divina - a qual nada
faz sem um sentido justo e útil - devemos buscar compreender o que se
nos acontece, sem mágoas ou revoltas, pois que se Deus é amor e
justiça, nada acontecerá em nossas vidas sem que Sua permissão se
apresente nestes fatos.

Nossa memória, assim como a evangelização do nosso espírito, é ainda
pequena e imatura e se perde na noite escura dos séculos sem que
possamos conhecer o nosso passado distante, seus fatos e suas
consequencias.

Sabedores que somos das leis universais, entre elas a da causa e
efeito, podemos apenas supor que colhemos hoje o fruto de nosso
plantio no pretérito onde, invariavelmente, cada um de nós possui
anotados nos livros da vida  - e de nossas consciências - inúmeros
relatos de violência, dor e sofrimento aos quais inflingimos tantos
companheiros de jornada e pelos quais necessitamos urgentemente de
reparação e reequilíbrio, visando prosseguir em nossa jornada de
aprendizado e evangelização de nós mesmos, sem maiores pesos a nos
arrastar para baixo.

Desta forma, observemos em "o livro dos espíritos" as seguintes questões:

355. Há, de fato, como o indica a Ciência, crianças que já no seio
materno não são vitais? Com que fim ocorre isso?
“Freqüentemente isso se dá e Deus o permite como prova, quer para os pais do
nascituro, quer para o Espírito designado a tomar lugar entre os vivos.”

356. Entre os natimortos alguns haverá que não tenham sido destinados à
encarnação de Espíritos?
“Alguns há, efetivamente, a cujos corpos nunca nenhum Espírito esteve destinado.
Nada tinha que se efetuar para eles. Tais crianças então só vêm por seus pais.”

E percebamos que no mais das vezes somos nós os artífices de nossas
desditas, bem como de nossas  alegrias... e que necessitamos reparar a
vida o que a ela deixamos de dar no passado.

Aproveitemos estas oportunidades para  aprender e praticar a
resignação - não apenas a resignação conformista e derrotista, mas
aquela que alimenta o desejo de melhora; aquela que alimenta a fé e
que serve de base para a esperança em um futuro melhor.

Aprendamos com a espiritualidade e sejamos seus parceiros pois que ela
mesmo nos orienta que em casos assim são libertos de problemas
perispirituais e de formas ovóides espíritos que estão em grande
sofrimento; percebendo assim que o nosso sofrimento pessoal serve,
principalmente, de alívio e libertação para espíritos em sofrimento
muito maior que o nosso...

somos, nestes momentos, auxiliares diretos o mais alto no tratamento e
alívio das dores e desditas de nossos irmãos em caminhada, os quais
cometeram tantos ou mais deslizes que nós, e aos quais damos a mão -
mesmo inconscientemente - para que possam subir mais um degrau na
retomada do seu processo de crescimento e evangelização.

Percebemos, minha irmã, que a vida nos dá a oportunidade de resgatar a
vida aos que a tinham comprometido...e que nossa dor, quando observada
desta forma, se torna mais leve e o nosso sofrimento mais suave...
pois que com Jesus todo fardo é leve e todo jugo suave... através do
amor, nos libertamos de nossa dor e transformamos nosso sofrimento em
oportunidades de esperança... e isso é lindo.

Assim sendo, querida irm~~a, te convido a elevar teu pensamento em
agradecimento a Jesus que nos concede tão plena oportundiade de
resgate e tão grande responsabilidade perante a vida... Agradeçamos o
sofrimento que nos lava, e que como um bálsamo alivia nossas dores
íntimas e "limpa" o passado delituoso que todos temos.

Aproveita, minha irmã, todo este amor que sentem tu e teu marido, e o
qual ainda não tem um objeto direto para ser direcionado, e visita
abrigos de crianças, orfanatos e casas de passagem infantis... doa de
todo desejo de ser mãe que tens para que aqueles que não tem mães e
efetiva teu trabalho de amor desta vez de forma consciente e por
vontade... ama aos que não tem amor e maior será teu galardão...
simplesmente ama, pois que o amor cobre a multidão de nossos erros...
e dedica teu amor aos que necessitam mais do que ti mesma.

Agiando assim, querida irmã, estarás realizando mais do que a vida te
pede e, certamente, aliviando o sofrimento de teu coração através do
carinho e dos abraços daqueles que ainda não os tem.

espero ter sido de alguma ajuda...

paz contigo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...