Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 39

O destino do homem é seguir em frente

e crescer sempre em sua caminhada.


Não nos cabe regatear o futuro

ou o passado que deixamos para trás.


Não nos cabe buscar o fruto maduro,

sem que a semente esteja lançada.


Plantemos em nós o fruto do amanhã

e o hoje será mais leve.


Levemos em nós o amor do Cristo

e a dor e o sofrimento serão breves.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 38

Nada neste mundo volta atrás

com o mesmo objetivo

ou as mesmas características.


Até a terra, girando,

retorna pelo mesmo caminho,

mas com feições diversas

e acontecimentos diferentes.


Assim sejamos nós também, meus amigos,

que ao retornar atrás,

seja para amparar o que erra

e não para errar com ele

mais uma vez.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 37

Alma triste que caminha entre os homens

e que com eles divide o seu penar.


Aguarda, alma triste, que mais tarde,

alguém irá te ajudar.


Não te deixes levar pelo desespero,

nem pelo seu lento caminhar.


Mas aguarda e confia em Jesus,

que nunca irá te desamparar.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 36

As ondas do mar

vão e vem,

trazendo vida em abundância,

ao que sabe observar.


O ponteiro do relógio

faz sempre o mesmo caminho,

mas traz o dia e a noite,

ao que sabe esperar.


Os dias e as noites

vão e vem infinitos,

trazendo a consciência e o crescimento,

ao que sabe aproveitar.


E nós, que vamos e voltamos

a este planeta,

quantas vezes nos perdemos

e não sabemos nos consertar.


Aguardamos nova oportunidade

de crescer, voltar e viver,

para que possamos aprender a amar.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 35

Voava o pequeno vaga-lume no céu, brilhando e atraindo

as atenções dos que ali estavam.

Muitos observavam alegres e outros se extasiavam.

Alguns porém, observavam o vaga-lume e

desejavam uma maneira de o prender

para que não brilhasse mais, pois que sua luz os incomodava.


Assim somos nós, meus filhos,

quando observamos os outros fazerem coisas que desejamos,

e não sabemos ou não podemos.


Mas que tantas vezes sentimos a emoção corrosiva da inveja.


Os outros se esforçam e decidem fazer a sua parte.

O que nos impede de fazer a nossa?


Se desejamos brilhar também, deixemos que a nossa luz se espalhe...

Se não conseguimos fazer como o irmão faz,

que façamos da melhor maneira que pudermos: a nossa maneira.


Bastante para isso, encontramos esta maneira

e transformá-la em realidade

dentro de nós.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 34

O charco lamacento

é o repositório de tudo que nele se deposita

e não levam embora.


O charco lamacento

tem em si próprio, tudo o que viveu

e não deixou para trás.


O rio, repleto de vida,

é a correnteza que tudo vive,

mas que compreende que o fluxo da vida

não deve ser contido;

e vive o que precisa,

permitindo que se vá

o que ele não precisa ou necessita.


Tantas coisas prendemos em nosso íntimo,

por não saber como nos libertamos.


À tantas dores nos agarramos,

sem perceber como sofremos em vão.


Não nos prendamos ao que nos machuca

ou nos maltrata;

mas permitamos que a água pura do perdão

lave em nós as nossas dores e sofrimentos.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 33

A porta aberta,

o passo dado,

a palavra dita,

o amor sentido,

a maldade vivida,

o bem desejado,

tudo é, e sempre estará em nossa vida.

Entretanto, todos levamos em nossa bagagem

apenas aquilo a que nos afeiçoamos.


Observemos o que carregamos

e teremos a resposta do que devemos

deixar para trás em nossas vidas.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 32

A chave pequena e dourada abria a porta fechada

que escondia um tesouro imenso.

Apenas seu dono e a chave conheciam o segredo

que ficava lá dentro.


Tantas vezes, a chave abriu e fechou a porta,

mas nunca pode usufruir do que seu dono guardava.

Após sua morte, a chave ficou inutilizada, parada e enferrujou.

Pois ninguém sabia do que ali existia e ninguém mais a procurou.


Assim somos nós, meus filhos, quando como a chave

deixamos que se passe a oportunidade de fazer o melhor

pois achamos que o tesouro pertence a outro.

Mas esquecemos dos tesouros que trazemos dentro em nós.

Nossas experiências, nossas lembranças, nossos desejos...

E deixamos de usar o que temos, para ajudar o irmão,

pois que ficamos presos ao tesouro do outro, que nunca será nosso.


Não permitamos que isso conosco aconteça,

pois que muito temos a fazer.


Basta que nos libertemos da ilusão da posse do outro

e deixemos fluir em nós o que devemos ser.

Um Espírito Amigo - Livro 8 - Mensagem 31

Não fuja ao que se pede,

nem deixe o que deve para trás.


É assim que deve ser

o caminho do trabalhador.


Seguindo com amor e compaixão,

fazendo o que for necessário,

dando de si ao irmão,

sem regatear o salário.


A vida nos enche de bençãos

e ainda não entendemos.

Mas há de chegar o dia

em que reconheceremos.


E através do trabalho

nós agradeceremos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...